Infográficos Maternidade Nutrição

Alimentação na gravidez: saiba o que pode e o que não pode

Siga nosso dia-a-dia no insta! Clique aqui para acessar nosso perfil.

 

Agora que você está grávida, com certeza já se deparou com algum comentário dizendo que você não pode comer alguma coisa ou que você agora deve comer por dois.

Grávidas não precisam comer por dois, literalmente, mas com certeza você vai perceber mudanças em seu apetite daqui para frente. E talvez já tenha percebido.

Além de prestar muita atenção a como seu corpo recebe os alimentos para saber o que te causa enjoo, azia ou outros desconfortos da gestação, daqui para frente você também vai ter que saber o que pode e o que não pode comer.

Este infográfico vai te ajudar a saber como deve ser a alimentação na gravidez. Dê adeus à insegurança causada pelos palpites.

E sempre que puder, consulte o profissional que acompanha sua gestação para tirar suas dúvidas.

O que não pode:

  • comidas enlatadas: atum, sardinha, milho, ervilha;
  • bebidas alcoólicas: nem cerveja preta, aliás ela não ajuda na produção de leite;
  • peixes contaminados com mercúrio: cação, marlim, peixe-espada, tubarão, cavala e peixe-batata, pois podem prejudicar seriamente o sistema nervoso do bebê;
  • carnes cruas ou frutas e legumes mal-lavados: oferecem grande risco de infecção alimentar, que pode colocar em risco a vida do bebê;
  • ovo cru: pode ter uma bactéria chamada salmonella, que extremamente prejudicial à saúde da gestação;
    leites e queijos não pasteurizados: podem causar infecções por bactérias;
  • chás abortivos: canela, poejo e carqueja são alguns deles;
  • adoçantes: pois possuem sacarina e ciclamato, que são cancerígenos;

O que pode com moderação:

  • Carboidratos simples: arroz branco, açúcar branco, farinha branca;
  • Cafeína: presente no café, nas bebidas de cola e no chá mate;
  • Refrigerantes e doces: podem colaborar para a diabetes e hipertensão durante a gestação;
  • Fígado bovino ou de frango: em bifes ou patês, possui a forma retinoica da vitamina A, que pode prejudicar o bebê;
  • Pimenta: não causa mal para o bebê, mas pode piorar a azia e a digestão lenta;
  • Mel: é mito que faz mal durante a gravidez, mas convém consumir com moderação;
  • Comidas gordurosas: podem prejudicar a digestão e piorar a azia;
  • Castanhas e nozes: consuma em pequenas porções de duas a três vezes por semana.

O que pode muito:

  • Carboidratos complexos: alimentos integrais (farinha, arroz, pão, macarrão), abóbora, batata doce, linhaça, quinoa, pêssego, tomate, milho, tapioca (com recheio de queijo branco);
  • Carne vermelha bem cozida: o patinho, por exemplo, possui uma grande concentração de ferro;
  • Alimentos frescos: muitas frutas e legumes bem lavados são uma ótima opção para o cardápio, pois são fontes de vitaminas e minerais;
  • Água: a gestante precisa beber 2 litros de água por dia;
  • Peixes livres de mercúrio (sempre frescos): sardinha , salmão, pescada, truta, anchovas, linguado, etc;
  • Verduras escuras: são ricas em ferro e em ácido fólico, que são valiosas para o desenvolvimento do bebê;
  • Ovos cozidos: fonte rica de vitaminas, minerais e proteínas;
  • Feijão: rico em ferro, vitaminas, cálcio, zinco, carboidratos complexos e fibras;
  • Iogurte integral: rico em proteínas e cálcio

Leia também:

/* ]]> */