Cabelos Doenças Saúde

Alopécia: Tipos, causas e tratamentos

Alopécia areata
Siga nosso dia-a-dia no insta! Clique aqui para acessar nosso perfil.

Alopécia Areata é uma doença que provoca queda de cabelo. Na maioria das vezes, a perda é em alguns pontos. Mas existe também a Alopécia Areata Total, com queda de todos os fios da cabeça, e Alopécia Areata Universal, quando caem os pelos do corpo todo.

Se a pessoa apresenta Alopécia Areata, a perda de cabelo é notada em áreas bastante delimitadas, geralmente ovais ou arredondadas do couro cabeludo – ou outras partes, dependendo do tipo da doença.

As causas exatas da Alopécia são desconhecidas, porém, fatores genéticos e condição autoimune estão entre os mais prováveis. Acredita-se que a predisposição determinada nos genes desencadeie a reação autoimune.

O fato é que não há como prever o problema, que chega a ser completamente contornado em algumas pessoas. Ou seja, o cabelo volta a crescer, mesmo que, em certos casos, possa tornar a cair tempos depois.

E ainda: fatores emocionais, traumas físicos e quadros infecciosos são capazes de estimular o surgimento ou agravar a Alopécia Areata.

Cada caso é único, inclusive com possibilidade de ocorrência da Alopécia Areata somente uma vez ao longo de uma vida inteira, incluindo os pacientes com Alopécia Areata Total.

Embora cause certo desconforto físico e emocional, a doença não é contagiosa.

Dados e mais informações sobre a Alopécia Areata

Só nos Estados Unidos, aproximadamente 5 milhões de pessoas têm Alopécia. A estimativa é que em apenas 5% dos casos haja queda de todos os pelos do corpo.

Alopécia

No geral, a condição ocorre em 1% a 2% da população, afetando ambos os sexos e todos os grupos raciais. Apesar de poder aparecer em qualquer idade, 60% dos diagnósticos de Alopécia são feitos em pessoas com menos de 20 anos.

Em relação ao tratamento, ele não é obrigatório, uma vez que não previne recidivas. Além disso, a Alopécia é uma condição benigna e tende a regredir por conta própria.

O fator que mais pesa ao decidir por um método terapêutico é o emocional, pois o distúrbio pode provocar problemas psicológicos importantes. Muitos pacientes ficam extremamente abatidos por causa da Alopécia.

Em crianças, o tratamento psicológico precisa ser levado ainda mais a sério, para evitar que elas sejam discriminadas, excluídas por seus colegas.

Tratamento para Alopécia: conheça os principais

Os tratamentos não curam a Alopécia Areata; apenas estimulam o folículo capilar a produzir outra vez. Mas eles precisam de continuidade até a doença desaparecer completamente, e costumam ser mais eficazes nos casos mais leves do problema. Veja alguns deles:

  • Injeção de cortisona – um dos mais comuns; consiste na aplicação da substância nas manchas na pele por meio de uma pequena agulha, uma vez por mês. O resultado, quando ele acontece, pode ser notado em quatro semanas.
  • Minoxidil tópico – é uma solução tópica 5% concentrada. Aplicada duas vezes ao dia, é capaz de favorecer o crescimento do cabelo, sobrancelhas e barba. Mas não é eficiente em casos de perda completa dos pelos.
  • Antralina (creme ou pomada) – substância sintética, aplicada no local das manchas. Quando o corpo tem boa resposta ao tratamento, o novo cabelo é percebido entre 8 e 12 semanas.
  • Drogas sensibilizantes (difenilcicloproprenona, difenciprona) – são indicadas para combater Alopécia Areata superior a 40% do couro cabeludo, casos crônicos ou resistentes da doença.

Casos graves e extensos de Alopécia necessitam de tratamento com corticoides e imunossupressores orais.

Porém, somente um médico pode prescrever o método mais adequado. Nunca invista em automedicação!

Saúde, e até o próximo post!

Comentar

/* ]]> */