Maternidade

O bebê chora muito quando você está longe? É a ansiedade de separação

Siga nosso dia-a-dia no insta! Clique aqui para acessar nosso perfil.

Seu bebê abre o berreiro quando você se afasta dele, mesmo que seja por alguns minutos? Provavelmente ele está passando por uma fase de seu desenvolvimento chamada ansiedade de separação.

É uma fase complicada em que o bebê vai querer ficar bem grudadinho com você e pode chorar muito quando percebe que você não está ao seu lado. Mas não se desespere! Existem algumas dicas para lidar com essa fase e ajudar o bebê a se tornar cada vez mais independente.

Neste artigo, vou explicar um pouco sobre a ansiedade de separação e dar dicas de como lidar com ela.

Cadê? Achou!

Existe um ditado popular muito conhecido que você certamente já ouviu: “Você não nasceu grudada em ninguém”. Pois é, acontece que todos nós nascemos grudados a nossa mãe pelo cordão umbilical.

Nos primeiros meses de vida o bebê sequer compreende que ele é um ser separado da mãe. O mundo visto e entendido pelo pequeno ser de quem cuidamos ainda é muito restrito. Para você ter uma ideia, ele ainda não tem consciência de si e do próprio corpo. Isso acontece aos poucos. Primeiro ele descobre as mãozinhas, depois os pés e assim por diante.

Sabe quando você cobre seu rosto na frente do bebê e depois o mostra novamente dizendo “Cadê? Achou!”. Sabe por que ele se diverte? Porque ele ainda não compreende completamente que as coisas que ele não consegue ver continuam existindo. Então, quando você esconde seu rosto e o mostra novamente, ele fica encantado, afinal, parece mágica para seu bebê.

Na psicologia infantil esse conceito é chamado de permanência do objeto. Um nome bem genérico para chamar a incapacidade do bebê de entender que as coisas continuam existindo, mesmo que ele não consiga vê-las ou tocá-las.

Veja mais detalhes sobre o desenvolvimento de seu bebê:

Ansiedade de separação:

Quando o bebê começa a desconfiar de que ele é um ser separado da mãe e das pessoas mais próximas, é muito comum que ele entre em pânico quando o deixamos sozinho. Isso tem tudo a ver com a incapacidade de entender a permanência dos objetos.

Tenta entender o mundo como seu bebê: quando você não está em seu campo de visão ele acha que você desapareceu e que não voltará mais. Por isso ele fica desesperado, inseguro e ansioso.

Conforme o bebê entende que as coisas existem mesmo que ele não esteja com elas naquele momento, desenvolve sua independência. Outros fatores caminham juntos nesse processo, como o desenvolvimento de sua personalidade, sua vontade de explorar o mundo e sua confiança em saber que ele será amparado quando precisar.

A ansiedade de separação pode ocorrer até os 2 anos de idade. O período mais intenso é entre os 6 e 8 meses de vida, mas é normal ele ter algumas recaídas, especialmente em períodos de grandes mudanças, como o retorno da mãe ao trabalho ou a ida à creche.

Você também pode gostar deste artigo:

Algumas atitudes simples podem ajudar você a deixar seu pequeno mais seguro para desenvolver sua independência. Quanto mais forte for o vínculo entre vocês, mais seguro ele estará para explorar o mundo.

O que fazer?

Para que isso aconteça, é importante que ele tenha suas necessidades básicas atendidas prontamente. Sempre que ele estiver com fome, com as fraldas sujas ou com sono, procure atendê-lo o mais rápido possível.

Procure também adaptar sua casa ao novo integrante da família. Em vez de se transformar numa verdadeira metralhadora de “nãos”, correndo atrás do pequeno e impedindo que ele faça qualquer coisa porque é perigoso para ele, talvez seja mais fácil ter um trabalho só: retirar todos os fatores de risco que você puder e deixar o bebê livre para se aventurar.

Eu sei que nem sempre é possível mudar tudo. Se é muito difícil para você mudar a casa toda, crie pelo menos um espaço onde o seu pequeno possa brincar com liberdade sem grandes riscos.

Quando for sair de perto do bebê ou deixá-lo com outra pessoa, procure se despedir dele. Fale carinhosamente e explique que voltará logo. Uma boa dica é manter um padrão de cumprimento, fazendo a mesma coisa antes de sair e depois de voltar. Assim, ele ficará cada vez mais habituado à situação.

Se seu bebê já está com 2 anos de idade ou mais e ainda chora ininterruptamente quando você não está por perto ou exige que você esteja ao lado dele o tempo todo, é melhor procurar a ajuda de um profissional, certo?

 

Essa fase é cansativa, tanto para você quanto para o bebê. Escrevo isso com a serenidade no olhar de uma mãe de um pequeno de 7 meses. Entendo exatamente o que você está passando, não é nada fácil.

Ontem eu tentei uma estratégia nova: fiquei cantando alto enquanto colocava as roupas na máquina de lavar para que ele ouvisse minha voz. Funcionou por 5 segundos. Sem contar que os vizinhos tiveram que se contentar com a minha cantoria. Ah, a maternidade…

Como tem sido sua experiência com a ansiedade de separação? Conta nos comentários.

/* ]]> */