Doenças Saúde

Bursite: inflamação pode impedir movimento. Saiba como tratar

Bursite

Bursite é a inflamação da bursa, uma pequena bolsa que contém um líquido especial. Este líquido é importante porque envolve as articulações e age como uma espécie de amortecedor entre diversas estruturas: tecido muscular, tendões e ossos.

Esta condição faz parte das chamadas Lesões por Esforço Repetitivo, ou LER, uma síndrome formada por um grupo de doenças, entre elas a tendinite e a tenossinovite.

Ou seja, a bursite pertence às enfermidades que afetam músculos, nervos e tendões, e sobrecarregam aparelho musculoesquelético, principalmente dos membros superiores.

Este distúrbio atinge mais as mulheres, com predominância entre as que fazem trabalhos manuais como tricô e crochê.

Quem trabalha digitando, opera britadeira, é musicista, esportista, jardineiro, pintor ou atua em linhas de montagem e de produção também está mais exposto ao risco de adquirir bursite.

Qualquer pessoa pode desenvolver bursite. No entanto, o envelhecimento torna esta condição mais comum.

A doença é provocada devido agressões que vão dos esforços repetidos continuamente aos que pedem muita força na execução e às vibrações, passando por fatores como postura errada e estresse.

Geralmente, a bursite acontece principalmente nos joelhos, cotovelos e ombros. Seus sintomas mais frequentes são: inchaço, dor, restrição de movimento, além da própria inflamação. E ainda é capaz de alterar a capacidade de funcionamento do local atingido.

Uma pessoa com bursite pode notar sensibilidade ao pressionar a área em torno da articulação; rigidez local; calor ou vermelhidão (quando a bursite é relacionada a uma infecção).

Mas isso não significa que, se você apresentar os sintomas acima, tenha necessariamente bursite. Somente um médico pode fazer o diagnóstico e indicar um tratamento.

O tratamento inclui o uso de anti-inflamatório, relaxante muscular, aplicações de gelo e redução dos movimentos. Fisioterapia melhora a inflamação, mas os exercícios devem ser orientados por profissionais especializados.

O médico pode aplicar uma injeção de corticosteroide na bursa afetada para diminuir os sintomas. Este tratamento costuma proporcionar alívio rápido da dor. Dependendo do quadro, é o suficiente para tratar a doença.

Outra medida é a punção, utilizada com função de esvaziar o líquido inflamatório ou traumático.

Em casos mais graves de inflamação na bursa, às vezes é preciso passar por cirurgia para resolver o problema.

As causas da mais comuns da bursite são: artrite (inflamação das articulações); gota (acúmulo de cristais de ácido úrico na articulação); infecções; lesões por esforço; movimentos repetitivos; traumatismos; uso excessivo das articulações.

Certas posições e situações também podem causar danos às bursas. Por exemplo:

  • Ficar de joelhos ou apoiado nos cotovelos durante muito tempo
  • Traumas nas bursas, como no joelho e cotovelo, que ficam logo abaixo da pele
  • Passar muitas horas sentado, principalmente em locais nada confortáveis e com superfícies duras
  • Lançar bola ou erguer algo sobre sua cabeça repetidamente

Como é feito o diagnóstico de bursite

Para avaliar a condição do paciente, o médico faz uma série de procedimentos. O primeiro é o exame físico completo para encontrar as articulações lesionadas. O histórico da pessoa também é levado em conta para fechar o diagnóstico.

Depois, poderá pedir alguns exames de imagem – geralmente, ultrassom e ressonância magnética. O raio-X, apesar de não servir para diagnosticar bursite, às vezes é solicitado para ajudar a descartar outras possíveis causas. Além disso, testes laboratoriais também podem ser úteis.

As informações disponíveis aqui não substituem o aconselhamento médico. Evite a automedicação. Ao sentir sintomas parecidos com os descritos no post de hoje, deixe o local afetado descansar o máximo possível e procure um profissional de saúde de sua confiança.

Outra dica é tentar observar que atividades têm disparado o processo de inflamação na bursa, para que você possa evitar crises. Mantenha uma vida mais saudável e ativa, com exercícios de alongamento e fortalecimento muscular para prevenir desconfortos.

Cuide-se! E até o próximo artigo com muito mais!

/* ]]> */