Doenças Saúde

Caxumba: sintomas, contágio e cuidados

Caxumba
Siga nosso dia-a-dia no insta! Clique aqui para acessar nosso perfil.

O aumento das glândulas salivares próximas aos ouvidos faz o rosto de quem tem caxumba inchar. Esta é uma das principais características da doença, também conhecida como papeira ou parotidite.

O vírus causador da caxumba pode afetar uma ou as duas glândulas salivares, as parótidas, que ficam uma de cada lado, na região do queixo. Por isso, a papeira é chamada de parotidite.

Extremamente contagiosa, a caxumba é causada pelo Paramyxovirus, transmitido através do contato direto com a saliva ou perdigotos de pessoas infectadas.

Uma pessoa contaminada pela caxumba elimina o vírus na saliva. Quando ela fala, os microrganismos que “pegam carona” nas gotículas de saliva ficam dispersas no ar por alguns segundos. Tempo suficiente para chegar até outro indivíduo.

Se alguém susceptível estiver por perto, o vírus pode entrar em seu organismo. Dependendo do estado imunológico desta pessoa, ela desenvolve ou não a caxumba.

Geralmente, os surtos de parotidite acontecem no inverno e na primavera, atingindo principalmente as crianças. E a melhor forma de evitar a caxumba é a imunização aos 12 meses e por volta dos 15/18 meses de vida.

É importante destacar que a primeira dose da vacina contra a caxumba precisa ser dada quando o bebê completa 1 ano. Ela é parte de uma imunização chamada SCR – nome correspondente a sarampo, caxumba e rubéola.

A imunidade fica mais completa com as duas doses de vacina contra papeira.

A transmissão da caxumba acontece a partir de dois dias após o aparecimento dos sintomas.

Se uma pessoa já está contaminada, deve ficar em casa até nove dias após o início da caxumba.

Outra medida essencial para evitar a propagação da enfermidade é desinfetar os objetos utilizados pelo doente que possam estar contaminados com secreções do nariz, boca e garganta.

Para quem teve contato direto com pessoas doentes, é recomendada a vacinação de bloqueio.

O período de incubação da caxumba dura de 2 a 3 semanas. Os primeiros sintomas da papeira são: calafrios, dor de cabeça, febre, dor muscular e ao mastigar ou engolir. A caxumba também costuma causar fraqueza e falta de apetite.

Os sintomas costumam ser menos intensos nas crianças do que nos adultos.

Quando há complicações da doença, os sinais que pedem intervenção médica imediata são:

  • Dor e inchaço nos testículos (orquite)
  • Dor na região dos ovários (ooforite)
  • Dor no abdômen superior (pancreatite)
  • Rigidez na nuca, dor de cabeça e prostração (meningite)
  • Náusea
  • Vômito

Importante: os sintomas descritos aqui têm caráter informativo, e são levantados a partir dos aspectos gerais – já conhecidos pela ciência – dos problemas. Apresentar um ou mais destes sinais não significa, necessariamente, que um indivíduo esteja com caxumba. E somente um médico pode dar diagnósticos e prescrever tratamentos.

Saiba o que é caxumba e como ela é transmitida

Quando a papeira aparece depois da puberdade, tende a provocar inflamação, inchaço e dor testículos ou ovários. Nas mulheres, a doença é capaz de causar esterilidade. É importante, portanto, redobrar a atenção em situações assim, e manter o acompanhamento médico.

Os casos graves de parotidite podem levar à pancreatite, meningite asséptica, neurite e surdez. Felizmente, raramente a caxumba é letal.
Também são raros os casos de reinfecção pelo Paramyxovirus. Em geral, adquirimos imunidade depois de infectados. Entretanto, se a infecção ocorreu somente de um lado, o outro pode ser atingido posteriormente.
O diagnóstico da papeira é clínico. Mas havendo dúvida, o médico pode solicitar exame de sangue, que serve para detectar anticorpos contra o vírus da caxumba.

Quanto ao tratamento, não existem remédios específicos. A papeira é autolimitada; são prescritos medicamentos para controle dos sintomas, tais como antitérmicos e analgésicos. É essencial manter o repouso enquanto a infecção durar.

Mulheres que nunca tiveram caxumba e não foram imunizadas devem procurar um posto de saúde para tomar a vacina antes de engravidar. A doença pode causar abortamento.

Consulte sempre seu médico!

Até a próxima…

/* ]]> */