Chás Maternidade

Está grávida? Conheça e evite os chás abortivos!

Siga nosso dia-a-dia no insta! Clique aqui para acessar nosso perfil.

O chá é uma bebida apreciada no mundo inteiro e é utilizado com frequência como fitoterápico, através de infusões de diferentes ervas.

No entanto, nem tudo que vem da natureza faz bem, principalmente se você passa por um período delicado como a gestação. Algumas plantas podem ser nocivas por possuírem potencial abortivo e suas infusões não devem ser ingeridas durante a gravidez.

Para não correr riscos, leia este post e saiba como esses chás funcionam no organismo e quais devem ser evitados durante a gravidez. Confira!

Como eles funcionam e seus efeitos na gestação

a pregnant woman is holding her tummy

Os chás abortivos funcionam como aceleradores do período menstrual e, em doses excessivas, causam irritação no útero, produzindo contrações que podem levar à expulsão do feto. Também aumentam a pressão arterial, podendo provocar hemorragias intensas.

Eles baseiam-se no envenenamento do corpo da mulher, elevando o nível de substâncias tóxicas em sua corrente sanguínea. Por isso, causam diversos efeitos colaterais como náuseas, diarreia e calafrios.

Estudos indicam que a chance de um chá ocasionar um aborto é de 20% a 30%, se ingerido em grande quantidade e em doses fortes. Mas, mesmo que esses chás não levem ao aborto propriamente dito, sabe-se que seu uso pode trazer graves consequências à saúde da mulher e do bebê, como malformações do feto, problemas na amamentação e outras complicações.

Principais chás abortivos que devem ser evitados

Há muita controvérsia sobre quais plantas possuem propriedades abortivas, mas algumas já são bastante conhecidas e citadas em estudos. Conheça as principais:

  • Chá de canela: a canela é um conhecido acelerador da menstruação. Ela estimula a circulação sanguínea, aumenta a pressão arterial e causa contrações musculares. Essa contração também afeta o útero e pode causar a expulsão do feto no início da gestação.
  • Chá de carqueja: é um chá muito conhecido por suas propriedades medicinais. Porém, deve ser evitado por gestantes e lactantes, pois possui substâncias abortivas que agem diretamente no útero e na produção de leite.
  • Chá de poejo: Conhecido como hortelãzinha, produz contrações uterinas fortes se tomado em doses excessivas. É um chá bastante perigoso e tem fortes efeitos colaterais, como tontura, cólicas, náuseas e convulsões.
  • Chá de tanásia: a infusão de tanásia é um conhecido chá abortivo e sua overdose pode causar cólicas intensas, batimento cardíaco irregular e hemorragia uterina, levando ao aborto.
  • Outras ervas abortivas a serem evitadas: sene, arruda, buchinha-do-norte, quina-quina, aroeira, boldo, agoniada, aloe vera e losna.

Também não é recomendada a ingestão de chás com alto teor de cafeína, como o de erva-mate, preto e verde, pois essa substância atravessa a placenta, podendo causar intoxicações, além de deixar o feto agitado e com os batimentos cardíacos acelerados.

Chás permitidos e que fazem bem à gestação

chas-na-gravidez

Nem todos os chás estão na lista dos proibidos. Se você é amante dessa bebida, saiba que algumas ervas não só estão liberadas como podem trazer benefícios para a gestação.

Chás de camomila e erva-cidreira não só estão liberados como são benéficos tanto para a gestante como para o bebê, pois causam a sensação de relaxamento graças às suas propriedades calmantes. O chá de erva-doce também pode ser consumido, pois auxilia na produção do leite materno.

A gravidez é um período delicado e requer cuidados redobrados por parte da gestante quanto ao que se ingere e se tem contato.

A melhor orientação é sempre consultar um especialista e nunca ingerir nada sem a permissão de seu médico de confiança, independente se é um produto natural ou não.

Cuide-se e até o próximo post!

Comentar

/* ]]> */