Maternidade

Chiqueirinho para bebê: Vale a pena? Veja aqui prós e contras

Siga nosso dia-a-dia no insta! Clique aqui para acessar nosso perfil.

Pensou em comprar um chiqueirinho para bebê, mas ficou em dúvida? Isso é muito comum, afinal, muitas pessoas não sabem se o investimento de comprar o cercadinho se reverterá em benefícios mesmo. E se meu bebê não se acostumar? E se o cercado prejudicar o desenvolvimento do meu filho?

Muito além de saber mais sobre as vantagens e desvantagens desse acessório, você também lerá sobre a melhor maneira de usá-lo para evitar que seu bebê tenha atrasos em seu desenvolvimento por conta de seu uso.

Muitos hábitos relacionados à criação dos filhos que aprendemos com nossos pais não são os mais adequados. Podem até funcionar, mas não são os mais indicados por especialistas. Por isso, se você quer fazer o melhor para seu filho, continue a leitura e saiba o que evitar.

Neste artigo, você saberá se vale mesmo a pena comprar um chiqueirinho para bebê, verá qual a maneira mais adequada para usá-lo, segundo especialistas, e ainda verá prós e contras da sua utilização no dia-a-dia.

Quando comprar o chiqueirinho para bebê?

O melhor momento para usar o cercado é na fase em que o bebê está começando a engatinhar e quer explorar o ambiente para fortalecer seu corpo e também para ficar cada vez mais hábil. O cercado também é muito útil na fase em que o bebê está em transição do engatinhar para o andar, pois ele pode explorar este ambiente seguro para arriscar os primeiros passos.

No entanto, assim que o bebê aprender a andar, é importante começar a avaliar outras formas de cuidar do pequeno. Isso porque, assim que o pequeno adquirir habilidade suficiente, ele fará de tudo para escapar do cercadinho. Essa fuga pode render acidentes graves, por isso, evite o cercado quando o bebê começar a escalá-lo.

Veja o exemplo desse bebê, que se arrisca para sair do espaço limitado:

Tudo que é demais faz mal:

Antes de comprar o chiqueirinho, é essencial que os pais se conscientizem sobre a melhor maneira de usá-lo. Ao contrário do que podemos pensar, nem todos os bebês se contentam com o espaço limitado e não conseguem ficar muito tempo nele.

O ideal é que o chiqueirinho seja um apoio para que vocês consigam fazer atividades domésticas ou outras coisas com o bebê por perto, mas livre do risco de ficar no chão. Então, é possível usar o cercado para que o bebê fique na cozinha enquanto vocês preparam algo para comer ou na área de serviço enquanto você está lavando roupas, por exemplo.

É importante ter em mente que o bebê nunca deve ficar sozinho por muito tempo e também que ignorar o choro da criança por um longo período é prejudicial para seu desenvolvimento psicológico e cognitivo.

Espaço limitado:

Há quem diga que o chiqueirinho pode prejudicar o desenvolvimento sensório motor do bebê. Na realidade, qualquer limitação de espaço e de movimentação pode prejudicar o desenvolvimento do bebê. Seja esta limitação na cama, no berço ou no cercado.

Além de não deixar o bebê no cercado por longos períodos, é imprescindível que o bebê receba estímulos ao seu desenvolvimento. Se você quer saber como estimular o desenvolvimento de ser bebê, confira estas dicas de brincadeiras que você pode fazer em casa para seu bebê explorar.

Mas então, vale a pena comprar um chiqueirinho para bebê?

Antes de mais nada você precisa pensar em algumas coisas: Meu bebê é mais ativo e explorador? Ele já engatinha no chão? Ou ele é mais quietinho, ainda não se arriscou a engatinhar?

Cada bebê irá reagir de uma forma ao cercado. Os bebês mais exploradores e mais ativos tendem a ficar entediados mais rápido e por isso, nem sempre aceitarão ficar no espaço limitado. Mas os bebês mais tranquilos podem se adaptar bem e até gostar de um cantinho só para eles.

Tudo depende da maneira como você introduzirá o cercado na rotina. Vem comigo, que vou te dar algumas dicas!

Dicas para se adaptar o bebê ao chiqueirinho:

A primeira impressão é a que fica, não é? Por isso, cuide para que o primeiro contato do seu filho com o cercado seja mágico. Quando o cercado estiver pronto para usar, leve o bebê para conhecê-lo.

Escolha uma hora do dia em que ele esteja disposto, queira brincar e esteja alerta. Se você colocá-lo lá quando ele estiver com sono ou com fome, provavelmente ele não gostará nada. Com o bebê alegre e disposto, fica mais fácil a adaptação.

Fale de maneira assertiva e animada sobre o chiqueirinho e conte para ele que aquele é o novo espaço dele. Pode parecer bobo, mas não é. Mesmo que o bebê não entenda suas palavras, ele entenderá que é algo bom e ficará interessado, porque ele sentirá isso por meio do seu tom de voz e da sua postura. E é isso que você quer: que ele curta o novo espaço dele, certo?

Vá mostrando todos os detalhes do cercado e coloque os brinquedos favoritos dele lá dentro. Não exagere na quantidade de brinquedos, pois o espaço é pequeno e o bebê deve se sentir aberto à descobri-lo.

Deixe que o bebê vá se aproximando, que vá tocando o cercado e convide-o para entrar. Quando colocá-lo lá dentro, brinque com ele usando seus brinquedos e converse com ele até que ele se sinta mais seguro.

Faça isso nas primeiras vezes que for colocá-lo lá. Chegará uma hora que seja natural para ele. Pode ser até que ele peça para ir lá, quando quiser brincar.

 

A tendência é que o cercado se torne um local de brincadeira e espaço de experimentação e desenvolvimento. Há casos em que o bebê não se adapta, no entanto, se você introduzir o cercado de maneira amigável, essas chances diminuem muito.

Divida com a gente como tem sido a adaptação do seu bebê ao chiqueirinho!

/* ]]> */