Beleza Estética

Cinta para malhar: Será que funciona? Veja que cuidados tomar

Cinta para malhar

Muitas famosas brasileiras e gringas estão usando cinta para malhar. Seus posts nas redes sociais com o acessório acabam influenciando outras mulheres por toda a parte. Mas será que a peça ajuda mesmo ou pode acabar atrapalhando? Vamos descobrir isso hoje!

A justificativa das adeptas das cintas para malhar é que ela auxilia na postura e, claro, na modelagem do corpo e no afinamento da cintura. Há quem diga que as cintas conseguem eliminar os pneuzinhos – até os exterminados somente com muita malhação ou cirurgia plástica.

Médicos alertam para o fato de as cintas modeladoras para treinar conseguirem um resultado momentâneo. Ou seja, o método não permite perder medidas definitivamente. E mais: não existem evidências científicas aconselhando produtos assim para modelar a silhueta.

Na verdade, para delinear as curvas de maneira consistente, duradoura, é preciso reduzir a gordura corporal – com atividade física ou cirurgia e dieta adequada.

Os profissionais de saúde chamam atenção também para o uso de itens muito apertados sem orientação especializada. Isso pode ser perigoso em algumas situações, especialmente se o uso é frequente.

Um dos riscos é de problemas com mudanças na circulação na área do abdômen, levando ao surgimento de varizes. Outra complicação é a compressão dos órgãos, além de machucados na pele e limitação no movimento natural da musculatura.

Sem falar que a respiração fica mais curta, e a pessoa é capaz de sentir falta de ar. Isso ocorre porque a mulher até consegue respirar, porém, não ventilar. Aí está um dos perigos.

A compressão excessiva na parte inferior do tórax causa restrição respiratória, e esta, por sua vez, pode levar a uma insuficiência, quando o uso é muito exagerado. Assim, existe a probabilidade de acontecer o que os médicos chamam de narcose carbônica, ou seja, desmaio, apagão.

Cinta para treino

Isto é, proibidas de usar, as cintas não são. Os corpetes realmente afinam a cintura na medida em que a deixa mais elevada ao comprimir o local, moldando o corpo a longo prazo – e do jeito certo, é bom destacar!

É importante ressaltar ainda que mesmo no dia a dia, fora da academia, muitas mulheres erram ao tentar usufruir da peça, uma vez que acabam apertando excessivamente. Quem faz isso parece entender que, usando do modo correto, não há resultado, pelo menos não aquele de cintura tão fina que mais parece ter sido feita no Photoshop.

Só que as cintas modeladoras, aquelas que lembram os corpetes antigos usados pelas mulheres da realeza, não são recomendadas para fazer exercícios.

Cinta modeladora durante o treino: saiba mais

Personalidades da televisão, música e moda exibem uma tendência que está tomando conta da mídia, e das cinturas das mulheres no mundo inteiro: as cintas para malhar.

[yuzo_related]

A ideia é potencializar os resultados dos treinos com ajuda de corpetes enquanto acessórios da musculação e outras atividades, afinando a cintura e contribuindo para delinear as curvas. Mas será que isso funciona mesmo? Ou faz mal para a saúde?

É fundamental levar em consideração outro aspecto: a cinta apertada demais pode gerar atrofia muscular nas costas. A musculatura não consegue contrair, fica exageradamente relaxada. E o efeito pode ser permanente.

Essa atrofia é algo que ocorre quando engessamos a perna, por exemplo. Uma consequência que pode levar ao desenvolvimento de problemas como dor na coluna e hérnia de disco.

Se você já tem algum distúrbio na coluna e musculatura abdominal atrofiada, evite o uso da cinta para malhar. A dica vale também para quem teve atrofia na musculatura do abdômen e das costas durante a gravidez.

As cintas para malhar viraram hit entre famosas e anônimas em busca de um corpo perfeito. Ter curvas desenhadas é hoje o objetivo de muitas mulheres de todas as idades, no mundo todo.

Seguir moda não é necessariamente um vilão. Mas antes de copiar as técnicas das celebridades, pense que nenhum exagero faz bem à saúde. E, como vimos hoje, afinar a cintura depende de vários outros fatores.

Converse com seu médico e tire todas as suas dúvidas. Só ele pode dar as orientações adequadas, prescrever tratamento se os problemas já apareceram e cuidar da sua saúde em geral.

Até a próxima!