Frutas Nutrição

Como consumir caqui? Confira receitas e dicas para incluí-lo no cardápio

Com sabor adocicado e aparência semelhante à de um tomate, o caqui está no grupo das frutas tropicais que mais fazem bem à nossa saúde. Conhecido como a “fruta do outono”, ele é originário da China e não costuma estar muito presente na mesa dos brasileiros, devido ao seu preço um pouco “salgado”.

No entanto, quando tiver aquele dinheirinho sobrando depois de pagar as contas do mês, saiba que vale muito a pena incluir o caqui no seu cardápio. Isso porque ele é rico em diversos nutrientes essenciais ao bom funcionamento do corpo, como é o caso de vitaminas ACE, do complexo B, além de minerais como ferro, cálcio, fósforo, manganês, magnésio e zinco, fitonutrientes, fibras e antioxidantes, que podem ajudar a prevenir e combater várias doenças que possam acometer o organismo, dentre elas, o câncer.

Além disso, por ser pouco calórico, também pode ser o seu grande aliado na busca pela boa forma, o que torna a fruta ideal para quem está querendo emagrecer. Confira, a seguir, quais são os principais benefícios do caqui para a saúde:

  • Ajuda na perda de peso;
  • Melhora a visão;
  • Previne o envelhecimento precoce;
  • Melhora a digestão;
  • Previne o câncer;
  • Fortalece o sistema imunológico;
  • Protege o coração;
  • Combate a retenção líquida.

No entanto, para obter todos os benefícios listados acima, é preciso saber como consumir caqui corretamente, o que muita gente pode não saber por ter pouco acesso à fruta. A boa notícia é que, de uma maneira geral, o caqui pode ser consumido de inúmeras formas, desde a sua versão in natura, que é o mais indicado, até como ingrediente principal de receitas, entre elas, sucos ou doces, por exemplo.

Por isso, no nosso artigo de hoje, você vai aprender dicas e receitas deliciosas para incluir a fruta no seu cardápio sem erro. Vem comigo que eu te mostro tudo!

Acertando na hora de comprar caqui

O primeiro requisito fundamental para consumir caqui de forma adequada é acertar na hora da compra da fruta. Para isso, é preciso ficar atenta a alguns cuidados especiais, que pedem que você:

Identifique o tipo

Ao chegar à feira ou supermercado, observe primeiramente o formato do caqui. Em sua versão doce, a fruta é achatada e com uma base plana, com uma estrutura bem semelhante à do tomate. Ainda, é possível encontrar alguns com linhas recuadas suaves do caule à base, enquanto outros são lisos.

No caso de quem prefere os caquis azedos, eles costumam ser mais alongados e com uma extremidade pontuda, como se fossem uma “bolota” grande.

Escolha a espécie

O caqui possui diversos nomes, principalmente se você for comprá-lo em mercados orientais. Os de nome Fuyu’ são doces (não azedos) e costumam ser consumidos quando estão firmes. Enquanto isso, a variedade Hachiya oferece caquis azedos, quando verdes, e só podem ser consumidos quando ficam bem moles.

Dentro das opções doces, podemos citar outros nomes, como Jiro, Hanagosho, Izu, Midia, Shogatsu, Suruga e qualquer variedade terminada em “Jiro”, “Maru” ou “Fuyu. Para quem prefere caquis azedos, as principais espécies encontradas à vendas são Tanenashi, Tamopan, Eureka e Gailey.

Verifique o estado

Assim como qualquer outra fruta que você vá comprar, o caqui também deve ser observado detalhadamente para não levar para casa unidades com machucados ou outros danos. Se for possível, peça ajuda a um vendedor para verificar com mais precisão.

Como comer caqui doce?

Depois de escolher a sua variedade de caqui doce, que devem estar frescos e firmes para melhor consumo e nas cores laranja ou vermelho alaranjado, quando a fruta está madura. Evite os caquis verdes, pois estes não são doces, e sim, bem azedos.

Sendo assim, com tudo isso checado, você pode consumir caqui doce com uma colher, em sua versão in natura mesmo. Para isso, é preciso lavar bem a fruta, especialmente a pele, que também é comestível, esfregando-a debaixo de água corrente para deixá-la bem limpinha.

Em seguida, tire as folhas e fatie o caqui. Você pode fazer isso utilizando uma faca afiada. Sendo assim, corte a parte florada superior e o caule, se houver. Em seguida, corte o caqui em quatro pedaços ou em fatias, da mesma forma que faria com um tomate.

Apesar de a pele ser comestível, além de fina, você pode optar por tirá-la. Se for o caso, a dica é mergulhar a fruta inteira na água quente por pouco tempo. Remova com um pegador de macarrão e tire a pele. Esse processo é igual ao descaldar tomates.

Em seguida, coma o caqui cru. Caso haja sementes, retire-as e descarte-as. Uma dica deliciosa é consumir a fruta com suco de limão ou creme de leite e açúcar. No decorrer desse artigo, você vai aprender algumas receitas com caqui fáceis e gostosas. Não perca…

Como comer caqui azedo?

A primeira coisa que você precisa saber sobre como consumir caqui azedo é que ele precisa amadurecer por completo. Além disso, eles ficam bem melhores quando estão amolecidos, praticamente desmanchando, e com a pele lisa, semitranslúcida e na cor laranja escura.

Isso tudo é para que garantir que a fruta não fique com tanta acidez, o que pode causar um pouco de estranhamento ao paladar e garantir com que você faça a careta mais feia que já viu na vida, pode acreditar.

Caso isso aconteça e você sinta a sensação de dormência, pode ficar tranquila, pois ela não deverá durar muito tempo. Basta beber ou comer outros alimentos que ajuda a acabar com o desconforto.

Outra dica importante é que os caquis azedos costumam demorar um pouco para amadurecer, podendo levar de 7 a 10 dias após a compra, ou até um mês inteiro, dependendo da variedade, para chegar ao ponto ideal para consumo. Neste caso, você pode acelerar o processo de amadurecimento com alguns truques fáceis.

O primeiro deles é guardar as frutas dentro de um saco de papel ou um recipiente hermético. A desvantagem dessa segunda opção é que, se forem armazenadas em um recipiente hermético, podem ficar mofadas.

Então, para evitar esse problema, coloque uma pera, uma maçã ou uma banana no saco de papel ou no pote. Algumas gotas de rum ou outra bebida destilada na parte florada do caqui também podem ajudar neste sentido.

Um truque importante para evitar que os caquis fiquem moles demais ao acelerar o processo é enrolar cada um deles em três camadas de filme plástico não poroso (ou seja, que contenham símbolo de reciclado 4 ou “LDPE”).

Em seguida, leve-os ao forno em uma temperatura mínima ou apenas com a luz-piloto ligada. Nunca ultrapasse a temperatura de 50 °C. Deixe por 18 à 24 horas, verificando de vez em quando.

Passado esse período, verifique se as frutas ficaram moles. Em caso positivo, leve-as até a geladeira. Quando for comer, corte a parte superior florada do caqui e, depois, fatie de pé. Em seguida, retire as sementes e o caule central, se houver. Coma o resto com uma colher.

Assim como acontece com o caqui doce, o caqui azedo também possui uma pele comestível. Aproveite! Uma boa forma de consumir a fruta é junto com creme de leite e açúcar ou um pouco de suco de limão.

Receitas com caqui

Agora que você já aprendeu tudo sobre como consumir caqui corretamente, chegou a hora de aprender algumas receitas fáceis e deliciosas para complementar o cardápio da semana. Veja!

1 – Geleia de caqui

Ingredientes:

  • 4 caquis grandes;
  • Raspas de 1 limão;
  • ½ xícara de açúcar.

Como fazer:

O primeiro passo para fazer a sua geleia é lavar bem os caquis. Em seguida, corte-os em pedaços grandes e disponha-os em uma panela ao fogo, junto com o açúcar, mexendo bem por cerca de 5 minutos.

Passado esse tempo, desligue o fogo e espere até a mistura esfriar um pouco. Quando isso acontecer, transfira-a para um liquidificador e bata bem até formar uma pasta. Feito isso, passe a pasta de volta para a panela.

Por último, adicione as raspas de limão e leve a mistura ao fogo por mais uns três minutos. Espere esfriar e sirva em seguida.

2 – Pudim de caqui

Ingredientes:

  • 1 xícara de chá de polpa de caqui;
  • 1 xícara de chá de leite;
  • ¼ xícara de chá de açúcar;
  • 1 xícara de chá de farinha de trigo;
  • 1 pitada de sal;
  • 1 colher de chá de baunilha.

Como fazer:

Primeiro, misture o açúcar e a polpa. Em seguida, adicione sal, farinha e baunilha, alternando com o leite. Transfira tudo para uma forma untada e asse em banho-maria por cerca de uma hora e meia.

/* ]]> */