Beleza Estética

Consórcio de silicone: saiba como funciona

O implante de silicone, chamado cientificamente como mamoplastia, é o sonho de muitas mulheres hoje em dia. Algumas almejam a cirurgia de aumento das mamas por questão de estética – de tanto ver na TV as famosas ostentando os seios grandes e firmes – e outras devido a problemas sérios nas mamas, geralmente provocados após a gravidez e amamentação.

E não é à toa! Afinal, quem é que não gosta de estar com os seios lindos e a auto-estima nas alturas, não é mesmo? No entanto, a má notícia é que nem todas têm o que precisam para fazer o implante das próteses de silicone: dinheiro. Por isso, a cirurgia é tida apenas como um objetivo de cada uma, em que poucas poderão alcançá-lo.

Neste sentido, as mulheres que sonham em colocar silicone nos seios deparam-se com duas opções: ou juntar dinheiro ou pagá-lo a partir de financiamento. Em todo o caso, são duas opções difíceis, principalmente para quem não tem planejamento financeiro.

Então, o que fazer para colocar o tão desejado silicone nos seios? Não se desespere! Atualmente, para ajudar a realizar o sonho de várias mulheres, algumas empresas têm investido em consórcios para cirurgias plásticas, dentre elas, as de implante de silicone nas mamas.

É isso mesmo! As empresas administradoras permitem que elas juntem dinheiro de maneira coletiva para alcançarem o mesmo objetivo. No final do consórcio, todas fazem a colocação das novas mamas, ficam lindas e com a auto-estima lá em cima!

Ficou interessada em saber como funciona o consórcio de silicone? Leia o artigo até o final e saiba tudo sobre a novidade no mundo das cirurgias plásticas!

Como funciona o consórcio de silicone?

implante-de-silicone

Se você não tem dinheiro e já percebeu que não tem o menor dom para juntá-lo para fazer a tão sonhada colocação de próteses de silicone nas mamas, o consórcio pode ser a melhor opção para o seu caso. O procedimento funciona como um consórcio normal de qualquer outro produto, como de carros, por exemplo.

O primeiro passo é pesquisar por administradoras de consórcio de cirurgias plásticas de confiança e com boa reputação. Essas empresas é que serão responsáveis – como o nome já diz – por administrar o dinheiro que você está investindo e fazer os sorteios do consórcio.

Pesquise na internet e, se for o caso, peça ajuda de amigas ou outras pessoas que já fizeram a cirurgia a partir desse meio. Essa etapa é essencial para evitar prejuízos ou calotes, apesar de não serem problemas comuns de acontecerem neste tipo de consórcio.

O segundo passo é pesquisar o preço médio da cirurgia no mercado. Assim, você saberá o quanto deverá investir para fazer a colocação dos seus novos seios.

Feito isso, é só solicitar na empresa administradora que você escolheu para participar do consórcio a chamada carta de crédito, que deverá ser no valor da cirurgia que você pesquisou e que pretende fazer. Algumas empresas oferecem cartas de crédito no valor de até R$ 10 mil.

A partir daí, você vai começar a pagar as mensalidades para a administradora, de acordo com um prazo previsto em contrato. Todos os meses, uma mulher é sorteada para fazer a cirurgia e todas farão o procedimento até o fim do consórcio.

Mas, tem uma observação importante para quem pretende participar do consórcio de silicone. Mesmo após ser sorteada e fazer a cirurgia, a mulher deve continuar pagando as mensalidades do consórcio.

A regra é prevista em qualquer administradora e tem o objetivo de evitar que as outras mulheres que ainda não fizeram a colocação das próteses sejam prejudicadas.

Vantagens

Participar dessa modalidade de investimento em cirurgias plásticas, como as implante de silicone, tem as suas vantagens. Apesar de exigir muita confiança nas administradoras do consórcio, os benefícios para as consorciadas são visíveis.

Veja quais são elas:

  • O consórcio costuma ser mais barato do que empréstimo pessoal junto aos bancos;
  • Por ser pago em mensalidades, é ideal para quem tem dificuldade para juntar dinheiro, já que administradora guardará o dinheiro para você.

Desvantagens

Apesar de ser uma boa opção para muitas mulheres, o consórcio também tem lá as suas desvantagens:

  • Ao entrar em um consórcio, você deve saber que poderá ser sorteada no início dele ou no fim e, mesmo assim, continuará pagando as parcelas;
  • Os consórcios de silicone duram de um a quatro anos, em média, o que pode fazer muitas mulheres desistirem no meio do caminho do seu objetivo;
  • Nem sempre dá para entrar de logo de cara em um consórcio, pois já pode estar em andamento ou em espera para atingir um número ideal de participantes. Por isso, a opção pode ser desagradável para quem não tem muita paciência;
  • Ao atrasar as mensalidades, você não poderá participar das assembleias e nem dar lances, além de correr o risco de ser excluída do consórcio.

Como entrar em um consórcio de silicone?

protese-de-silicone

Ao procurar uma administradora de consórcio desse tipo de cirurgia plástica, você deve saber que existem algumas regras para participar e conseguir alcançar o seu sonho. Confira abaixo quais são elas:

Para entrar em grupo em formação

Antes de entrar em um consórcio de silicone, verifique se o grupo no qual você está entrando está em formação e quando acontecerá a primeira assembleia.

Isso é muito importante, uma vez que, em alguns casos, você precisa esperar a administradora reunir uma quantidade exata de pessoas para começar a pagar as mensalidades.

Por isso, pode demorar um pouco mais para você começar a investir na colocação das próteses de silicone.

Para entrar em grupo formado

Existem duas formas de entrar em grupos de consórcio que já estão formados:

Compra de cota vaga: Ao solicitar a participação em um consórcio de silicone que já está com grupo formado, você poderá comprar a chamada cota vaga. A administradora deverá informá-la sobre as vagas disponíveis e oferecer a melhor forma de negociar o pagamento das mensalidades que já foram investidas pelas demais consorciadas.

Compra de cota de outra consorciada: Neste caso, você poderá comprar a vaga diretamente de outra participante que deseja sair do grupo. A negociação é sempre feita entre você e a mulher que está vendendo a vaga, sem mediação da administradora do consórcio – isso porque a maioria das administradoras não costuma apoiar essa prática.

Portanto, ao receber esse tipo de proposta, é importante entrar em contato com a administradora para saber se realmente a pessoa que está vendendo a vaga faz parte de algum grupo consorciado daquela empresa. Fique de olho!

Dicas importantes

  • Antes de entrar em um consórcio de silicone, é preciso estar bem informado e, no caso de dúvidas, perguntar à empresa administradora;
  • Faça perguntas sobre as regras de contemplação, de lance e de taxa de administração;
  • Confirme o valor das mensalidades e prazo de duração do consórcio antes de assinar o contrato;
  • Escolha o preço das prestações em conformidade com a sua situação financeira para que você possa pagar sem comprometer o orçamento familiar.

Quanto tempo dura um consórcio de silicone?

Em geral, como falamos acima, os consórcios com essa finalidade costumam durar de um a quatro anos. Por isso, é importante ter paciência se o consórcio for muito longo, uma vez que você poderá ser sorteada no início ou apenas no final dele.

Há casos em que você pode dar um lance e levar a carta de crédito ofertada naquela ocasião, mas nem sempre isso acontece. Não é à toa que essa modalidade de investimento é indicada para quem não consegue guardar dinheiro e também não está com pressa para fazer a cirurgia. Pense nisso!

Qual é a forma de pagamento?

O pagamento é feito a partir de boletos. Ao entrar em um consórcio, você recebe os boletos com as mensalidades que devem ser pagas durante o consórcio e com informações sobre o número de consorciadas e quantos foram sorteadas no último mês.

Tem juros ou taxas?

Apesar de não ter tantos juros como os de empréstimo pessoal junto aos bancos, pode ser que você pague uma taxa à administradora do consórcio. Ainda, as mensalidades podem sofrer reajustes anuais, dependendo da variação de alguns índices que medem o consumo do consumidor, como o INPC.

Além disso, você poderá pagar juros e multas em caso de atraso das mensalidades, como nós falamos nos parágrafos acima. Se houver o acúmulo de parcelas, você pode até ser excluída do consórcio, podendo resgatar o seu dinheiro investido apenas no final dele e após quitar a multa.

Melhores administradoras de consórcio de silicone

protese-de-silicone-para-seios

Algumas empresas administradoras já são reconhecidas e possuem boa fama em relação ao seu consórcio de silicone. Nós listamos algumas delas abaixo, mas vale lembrar que é importante que você pesquise bem sobre elas antes de entrar no consórcio.

Uma boa dica é dar uma olhada no site do Reclame Aqui para verificar a nota delas junto ao Procon e aos consumidores.

Veja abaixo quais são elas:

Luiza Consórcios – atende em todo o Brasil e divide as mensalidades em até 36x. O valor da carta de crédito concedida varia entre R$ 5 e R$ 10 mil.

Consórcio Rodobens – atende em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná, Distrito Federal e Pernambuco e divide as mensalidade entre 12x e 36x. O valor da carta de crédito é de até R$ 10 mil.

Embracon Consórcio Nacional – atende em todo o país e divide as mensalidades de 12x a 36x. O valor da carta de crédito varia entre R$ 5 mil a R$ 20 mil.

Finama Consórcio – atende em São Paulo e Minas Gerais e divide as mensalidades em até 36x. O valor da carta de crédito varia entre R$ 5 mil e R$ 10 mil.

Unilance Consórcio – atende em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná, Distrito Federal e Pernambuco e divide as mensalidades em de 12x a 48x. Não há valor limite para a carta de crédito.

União Catarinense Consórcio – atende em Santa Catarina, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul e divide as mensalidades de 24x a 36x. O valor da carta de crédito varia entre R$ 4 mil e R$ 8 mil.

Multimarcas Consórcios – atende em Maranhão, Minas Gerais, Distrito Federal, Tocantins, Goiás e Pará e divide as mensalidades em 30x ou 40x. O valor da carta de crédito varia entre R$ 5 mil e R$ 20 mil.

Banco do Brasil (BB) Consórcios – atende em todo o Brasil. Para saber como são divididas as mensalidades e qual é o valor disponibilizado para a carta de crédito, procure uma unidade mais próxima da sua casa para fazer o orçamento.

Consórcios Sicredi – atende em todo o Brasil. Para saber como são divididas as mensalidades e qual é o valor disponibilizado para a carta de crédito, também é preciso procurar uma unidade mais próxima da sua casa para fazer o orçamento.

Bradesco Consórcios – atende em todo o Brasil. Assim como os dois consórcios acima, para saber como são divididas as mensalidades e qual é o valor disponibilizado para a carta de crédito, é preciso procurar uma unidade mais próxima da sua casa para fazer o orçamento.

Perguntas Frequentes

1 – A carta de crédito do consórcio de silicone é entregue em dinheiro?

Não. O valor da carta de crédito não cai na sua conta, justamente para evitar que você gaste o dinheiro com outras coisas. Ao ser sorteado no consórcio, você agenda a cirurgia com o médico e avisa à administradora para que ela pague o procedimento.

2 – Posso fazer outro tipo de serviço usando a carta de crédito do consórcio?

Isso vai depender de cada administradora. Há algumas que permitem, como é o caso da Rodobens, e outras não. Se você tiver interesse em contratar outro serviço com o valor da carta de crédito, converse com a sua administradora.

3 – A cirurgia é feita logo após a consorciada ser sorteada?

Não é obrigatório. Caso você tenha sido sorteada e não quiser fazer a cirurgia naquele momento, a administradora deposita o valor da carta de crédito em uma conta poupança para que você utilize posteriormente, quando decidir fazer o procedimento.

Vale ressaltar que existe um prazo mínimo de seis meses para você sacar o dinheiro e o prazo máximo é até o consórcio terminar.

4 – E se a cirurgia que eu quiser fazer tiver o valor diferente da carta de crédito?

Tudo vai depender do que está previsto no contrato que você assinou ao entrar no consórcio. De um modo geral, as administradoras agem da seguinte forma:

Se a cirurgia for mais barata do que a carta de crédito, você realiza o procedimento e utiliza o restante do dinheiro para quitar as mensalidades seguintes do consórcio.

Se a cirurgia for mais cara do que a carta de crédito, você utiliza a carta de crédito, mas terá que completar o valor que falta para realizar o procedimento.

5 – Quantos sorteios acontecem por mês?

A quantidade varia de acordo com cada administradora, já que as regras de uma para outra costumam ser diferentes.
Na maioria delas, o número de sorteios acontece seguindo a norma de quantidade de participantes, pois quanto mais consorciados existem em determinado grupo, mais dinheiro é arrecadado por mês para a carta de crédito.

6 – Como funcionam os lances no consórcio de silicone?

Como dissemos nos parágrafos anteriores desse artigo, você pode ser contemplada para fazer a cirurgia por meio dos sorteios ou dos lances em um consórcio. Os lances funcionam como um leilão, no qual a consorciada que oferecer mais dinheiro ganha.

Em algumas administradoras, eles funcionam de forma diferente, onde o lance vencedor não é aquele mais alto, mas sim aquele em que a consorciada antecipou o maior número de parcelas do pagamento, considerando que no mesmo grupo podem existir pessoas com prazos e parcelas diferentes.

7 – O que acontece com o dinheiro caso o meu lance não seja o vencedor da vez?

Pode ficar tranquila! Caso o seu lance não seja o vencedor daquela carta de crédito, você pode guardar o seu dinheiro de volta e oferecê-lo novamente em outras tentativas.

8 – O que acontece se eu desistir do consórcio?

Existem algumas sugestões feitas pelas administradoras caso você não queira mais participar do consórcio. Uma opção é vender a sua vaga para outra pessoa, como nós falamos no decorrer do artigo.

Caso a sua desistência seja motivada por não conseguir pagar as mensalidades, a sugestão é mudar para outro consórcio da mesma empresa que tenha mensalidades menores ou com a carta de crédito mais barata.

Se você falar para a administradora responsável que não está interessada em nenhuma das duas opções acima, você pode pedir para sair do grupo. Neste caso, você paga uma multa e aguarda um prazo para ser sorteado e receber o dinheiro que investiu nas mensalidades anteriores.

Comentar

/* ]]> */