Exercícios Saúde

Crossfit é para todos? Saiba mais sobre a atividade física da vez

Treino de alta intensidade com movimentos funcionais, o crossfit pode assustar no primeiro contato. Ele exige muito do corpo, em alta velocidade, levando muita gente a acreditar que jamais poderia fazer algo assim. Será? Vejamos…

Profissionais diretamente envolvidos com o crossfit garantem que sim, todos pode aderir ao treinamento, desde que sejam fornecidas as orientações corretas e usado o bom senso – por parte de alunos e instrutores.

Explico: é preciso adaptar os movimentos, as cargas, sempre respeitando as limitações das pessoas. Desse modo, sim, qualquer um estaria apto a praticar crossfit, das crianças aos idosos, passando pelos sedentários e portadores de deficiências físicas.

Cabe ao coach, como é chamado o professor que conduz as aulas de crossfit, analisar como cada aluno treinará, que carga poderá utilizar, quais os movimentos favoráveis e em quantas vezes eles poderão ser repetidos.

Quando é necessário, o instrutor faz adaptações para driblar limitações individuais, inclusive mudando os exercícios. O importante é respeitar a condição do praticante, incluindo sua idade.

Um exemplo é o exercício chamado thruster, quando o aluno agacha com peso sobre os ombros e, ao subir o corpo, ainda faz um desenvolvimento com os braços, posicionando o peso acima da cabeça e mantendo o corpo ereto. Uma sequência que requer um esforço intenso dos membros inferiores e superiores.

Uma pessoa de 20 anos, com bom preparo físico prévio e praticando crossfit há algum tempo, pode usar uma carga de 40 kg ou mais no thruster. Um aluno na faixa dos 40 anos muitas vezes precisa reduzir o peso para fazer o movimento completo e sem risco de lesão.

Também é bom lembrar que o crossfit ajuda aumentar a força física e trabalha a flexibilidade, aspectos essenciais especialmente quando o processo de envelhecimento acelera.

Mas é claro que isso varia de um indivíduo para outro. De qualquer forma, isso mostra que até senhoras de 70 anos podem praticar crossfit, quando liberadas por seus médicos e acompanhadas por profissionais capacitados, que façam as alterações no treino.

Se for o caso, basta o peso corporal para executar alguns exercícios e, quem sabe, até tirar do sedentarismo que andava sem motivação para qualquer prática esportiva.

Obviamente, seja qual for a idade, é fundamental contar com liberação médica antes de iniciar uma atividade física, principalmente uma tão intensa como o crossfit.

Desvendando o universo do crossfit…

As mídias sociais estão repletas de imagens de corpos esbeltos e jovens, abdomens trincados graças ao crossfit. Gente que mais parece ter saído de algum filme de super-herói, com capacidade além da maioria, os ‘simples mortais’.

Porém, ao conviver mais com o mundo ‘crossfiteiro’ (nem sei se esta palavra existe), ao vencer o medo diante de tantas anilhas enormes e pesadas, caixas gigantescas, barras olímpicas e tarefas aparentemente impossíveis de realizar, encontramos pessoas bem ‘normais’.

Gente que realiza o misterioso WOD (work of the day) com uns quilinhos a mais ou a menos, no corpo; com uma lesão ali, outra acolá, e por aí vai. Isto é, percebemos na prática o quão adaptável é o treino a todas as capacidades físicas, idades e desejos.

É claro que existem algumas polêmicas, questionamentos a respeito das lesões que a modalidade pode provocar. No entanto, não é objetivo deste artigo debatê-las, e sim, responder que crossfit é para todos, respeitados os devidos limites que somente os médicos e os educadores físicos podem indicar.

Qualquer pessoa pode fazer crossfit? Pelo jeito, sim. Entretanto, conhecer seus próprios pontos fracos e ter humildade diante deles é fundamental.

Aliás, o que não falta é aprendizado nesse treinamento pesado, pois no crossfit um dia nunca é igual ao outro. De repente, você se vê fazendo algo que nunca imaginou fazer…

E você, já ouviu falar do crossfit?

Até a próxima!

/* ]]> */