Saúde

Dieta DASH: Saiba como ela ajuda no controle da hipertensão

Dieta Dash
Siga nosso dia-a-dia no insta! Clique aqui para acessar nosso perfil.

A dieta DASH é, na verdade, um conjunto de métodos para combater a hipertensão através da dieta. A palavra é uma abreviação de Dietary Approaches to Stop Hypertension. Este guia alimentar foi criado pelo governo norte-americano para reduzir os riscos à saúde decorrentes da pressão alta.

O plano de alimentação inclui medidas para diminuição do consumo de gorduras saturadas e colesterol. Ao mesmo tempo, destaca a ingestão de vegetais, frutas, leite desnatado e seus derivados; acrescenta grãos integrais, peixes, frango, nozes; e restringe itens como doces, refrigerantes, açúcar e carne vermelha.

A dieta DASH é especialmente benéfica aos hipertensos porque é rica em fibras, proteínas, cálcio, magnésio e potássio, entre outros nutrientes.

Em casos mais brandos de pressão alta, o programa pode ajudar a suspender o uso de remédios. Nos mais severos, tem mostrado ser capaz de auxiliar na diminuição da dosagem dos medicamentos para controle do problema.

Lembrando que o conteúdo deste post tem função de informar. Apenas um nutricionista ou médico pode prescrever dietas e fazer alterações importantes na alimentação, de acordo com a situação específica de cada pessoa. Também não é objetivo deste artigo incentivar a interrupção de qualquer tipo de tratamento.

Dito isto, o fato é que a dieta DASH oferece condições de melhorar a saúde de várias maneiras. Basta destacar que a ingestão de vegetais e frutas contribui na redução do risco de alguns tipos de câncer, entre outras vantagens.

Já o cálcio encontrado nos produtos lácteos serve para diminuir a probabilidade de ocorrência da osteoporose; enquanto os distúrbios cardiovasculares são evitados com auxílio de uma dieta pobre em gorduras saturadas.

Ou seja, o que não falta é motivo para a dieta DASH ajudar muita gente a ter mais saúde em sentido amplo. Mas é claro que os benefícios dela dependem não somente a disponibilidade dos alimentos recomendados, como também do compromisso das pessoas com mudanças duradouras no estilo de vida.

E como grande parte das orientações envolve alterações significativas no comportamento alimentar, é fundamental ter o acompanhamento de um nutricionista para conseguir bons resultados, e em longo prazo.

Não é novidade que diversas intervenções não medicamentosas são capazes de impactar positivamente as pessoas com pressão alta. A correção do peso corporal, a redução da ingestão de sal e do consumo de bebidas alcoólicas são algumas delas, auxiliando na prevenção ou tratamento da hipertensão.

E mais: além da dieta DASH, o aumento dos exercícios físicos, o abandono do cigarro e o consumo ideal de cálcio, potássio, magnésio e ômega 3 (nutrientes que impulsionam a expulsão de sódio pelo organismo) são medidas vitais neste sentido.

Por tudo isso e muito mais, a Dietary Approaches to Stop Hypertension (DASH) é considerada um avanço e tanto na ciência nutricional. E desde sua criação, há 20 anos, ensaios revelam sua influência consistente no controle da pressão arterial.

No país em que foi criada a DASH, por exemplo, a hipertensão é fator de risco primário para enfermidades do coração e derrames, duas das maiores causas de morte nos Estados Unidos.

Porém, infelizmente, até hoje, ainda é um grande desafio para os órgãos de saúde pública daquele país aumentar a taxa de adesão ao método.

Para você ter uma ideia, uma análise de 10 anos dos dados da Pesquisa Nacional de Saúde e Nutrição revelou que menos de 1% dos norte-americanos era completamente adepto da dieta DASH (de 1988 a 2004), sendo que somente 20% tinham metade dos níveis recomendados de nutrientes.

E você, já ouviu falar da dieta DASH? Quem sabe não é uma boa opção para você que enfrenta dificuldades com a pressão alta? Converse com seu médico! E tenha mais saúde e qualidade de vida cuidando do que você leva à mesa todos os dias…

Até a próxima!

/* ]]> */