Maternidade

5 formas de economizar dinheiro para mães de primeira viagem

Siga nosso dia-a-dia no insta! Clique aqui para acessar nosso perfil.

Ter filhos pode fazer milagres no orçamento da família. Mesmo que os rendimentos não aumentem é sempre possível um ajuste, com alguns cortes nos excessos, para dar prioridade para as compras para o bebê.

Mas, o que pouca gente sabe é que existem vários apetrechos que são comercializados e usados por uma legião de pais e mães que podem ser dispensados. Basta conversar com nossos avós para ter uma ideia de como eram poucos os recursos para se criar um filho há alguns anos atrás.

Existem prós e contras em relação a qualquer decisão, na hora de pensar em como será o futuro com seu bebê, mas algumas soluções que estão neste artigo são mais práticas do que você imagina!

Agora que você já sabe de onde vêm essas dicas de economia, vamos conferir algumas delas?

1. O quarto do bebê:

A maioria das gestantes sempre pensa num lindo quarto de bebê quando estão montando o enxoval. Comigo também foi assim. Mas, a realidade é bem mais modesta: o berço, quando é usado, fica no quarto dos pais.

A cama compartilhada ou quarto compartilhado é uma maneira de ter o bebê por perto e garantir que suas necessidades sejam supridas rapidamente. Nos primeiros dias de vida do bebê, quando ele acorda inúmeras vezes para mamar, ter cama compartilhada ou quarto compartilhado alivia a rotina maluca desse período.

Por isso, a primeira dica de economia é: você pode dispensar a decoração do quarto do bebê apenas adaptando seu quarto para recebe-lo!

Para saber como fazer a cama compartilhada e também conhecer os princípios de segurança para este método, veja este artigo aqui:

2. Carregadores de bebê:

Basta dar uma olhada rápida nos sites de venda de carrinhos de bebê para ter uma leve taquicardia. Além de não serem nada baratos, eles devem ser trocados ao longo do crescimento do bebê, fazendo com que a fatura do cartão de crédito fique mais longa do que gostaríamos.

A alternativa das mães antenadas na economia de dinheiro é simples e possui como inspiração as mães africanas, indianas e latinas: o sling.

O sling é um carregador de bebê geralmente de tecido que deixa o bebê bem junto ao corpo da mãe, trocando calor e afeto. Para complementar, temos também o famoso colo.

Escolhendo o modelo certo de sling para você e sua família, você se livrará de dores nas costas, poderá fazer tarefas e sair com seu bebê literalmente, grudadinho com você.

Quer saber como escolher o sling certo? Dá uma olhada:

3. Alimentação do bebê:

Você já viu quanto custa uma lata de fórmula artificial para recém-nascidos? Além disso, tem que comprar mamadeiras, chupetas, remédio para cólica e mais um monte de coisas. Ah, e você também terá que levantar de madrugada para aquecer a água, esterilizar as mamadeiras cotidianamente e tudo mais.

Definitivamente, o aleitamento materno é muito mais barato! Você só precisa se alimentar bem, beber muita água e ter disposição para trocar muito carinho com seu bebê.

O leite materno é o melhor alimento que seu bebê pode receber, ele ajuda a evitar as cólicas, alergias e é muito mais nutritivo do que as fórmulas artificiais.

As papinhas industrializadas são outro gasto que pode ser evitado. Alimentos frescos comprados na feira podem ser cozidos a vapor e preparados para o bebê. O trabalho é quase o mesmo, afinal, o bebê não come tanto, então você pode até aproveitar os legumes cozidos para alimentar a família para fazer a papinha.

4. Fraldas:

As fraldas são a principal preocupação dos pais, com certeza. O bebê chega a usar mais de 4 mil fraldas durante os três primeiros anos de vida e este é, de longe, o maior gasto. Além das fraldas, temos os lenços umedecidos e as pomadas anti-assaduras.

Mas, para a alegria das mães que precisam economizar, as fraldas de pano estão voltando com tudo. Os modelos modernos são muito mais práticos, não prejudicam o ambiente e ainda fazem bem para a pele do bebê. As fraldas de pano ajudam a evitar as alergias e também contribuem para a diminuição das assaduras.

A economia de dinheiro, durante os três anos de vida do bebê, pode chegar a R$2.500 reais! Já pensou?

Fique por dentro das novidades:

5. Banho:

E para substituir a banheira com o suporte que fica encostada no canto da casa ocupando espaço, o que temos? Nada. Isso mesmo, você pode dar banho no seu bebê no chuveiro mesmo.

Para os mais novinhos, o ideal é usar o chuveirinho, tomando cuidado para regular corretamente a temperatura da água. Conforme o bebê for crescendo, ele toma banho no colo. Rápido e fácil.

Conforme o pequeno cresce, aprende a tomar banho sozinho muito mais facilmente. Logo ele vai querer entrar no banheiro toda vez que alguém ligar o chuveiro.

 

Cada família possui suas características específicas e consegue se adaptar de uma maneira à nova rotina com o bebê em casa. Pode ser que todas estas dicas sejam perfeitas para você, mas também pode acontecer de vocês não se adaptarem a uma coisa ou outra.

A praticidade que os novos produtos oferecem, muitas vezes, compensam seu custo. O importante mesmo é fortalecer o vínculo com o bebê e curtir cada momento com ele.

O que achou das dicas? Vai adotar alguma? Conta pra gente nos comentários!

 

Artigo adaptado do blog The Other Baby Book.

/* ]]> */