Beleza Cabelos

11 erros que você comete na hora de fazer chapinha

Siga nosso dia-a-dia no insta! Clique aqui para acessar nosso perfil.

A chapinha virou a melhor amiga das mulheres que amam manter os cabelos lisos e impecáveis. Afinal, ela chegou para facilitar a nossa rotina e, ainda, poupar tempo e dinheiro, já que antes só podíamos conquistar madeixas lisinhas indo frequentemente a um salão de beleza.

É por isso que ninguém mais dispensa o uso desse aparelho, seja no inverno ou verão, em ocasiões formais ou informais, durante o dia à noite, na hora de modelar os fios. Por outro lado, devido ao fato de o processo de passar a prancha parecer bastante simples, além daquela pressa na hora de modelar o cabelo no dia a dia, muitas de nós acabou cometendo alguns deslizes ao fazer a chapinha que podem danificar os nossos fios, até mesmo de maneira irreversível.

Por isso, no artigo de hoje, para nunca mais correr o risco de utilizar o aparelho incorretamente, você vai conferir quais são os 11 erros que você comete na hora de fazer chapinha e como evitá-los para ter cabelos sempre saudáveis e bonitos. Vamos lá?!

1º: Temperatura muito alta

A maioria das chapinhas encontradas no mercado oferecem limite de temperatura acima de 200 °C. No entanto, de acordo com especialistas, o ideal é não ultrapassar 180 °C, pois o calor excessivo pode queimar os fios e parti-los ao meio. Tome cuidado!

2º: Temperatura muito fria

Por outro lado, usar a chapinha em temperatura muito fria também não é o mais recomendado para modelar e alisar o cabelo. Isso porque, neste caso, o aparelho vai exigir que você o passe mais vezes em uma mesma mecha, o que significa que vai aumentar a exposição ao calor e o atrito sobre os fios.

O resultado será de fios lisinhos, mas com bastante ressecados e com frizz. E não é isso o que a gente quer, não é mesmo? Fique atenta!

3º: Não usar protetor térmico

Esse é um dos maiores erros cometidos na hora de fazer chapinha e que você deve evitar de uma vez por todas. Para quem não sabe, o protetor térmico é essencial para quem usa o aparelho ou qualquer outro em alta temperatura, pois ele cria um filme protetor sobre os fios, ajudando a chapinha a deslizar e reduzir a ação desgastante do calor nas nossas madeixas.

Deixá-lo de lado pode não fazer diferença em uma ou duas aplicações, mas, a longo prazo, o cabelo pode sofrer danos perigosos e até irreversíveis com a falta de proteção. Portanto, nunca se esqueça de aplicar o produto antes de passar a prancha, ok?

4º: Pranchar todos os dias

Mesmo na temperatura certa, aplicando sempre o protetor térmico e mantendo todos os cuidados necessários durante o processo, passar a chapinha todos os dias pode acabar fragilizando o cabelo, tornando os fios ressecados e quebradiços.

Por isso, comece a pensar na ideia de deixar as madeixas naturais alguns dias na semana. Isso ajudará o cabelo a “respirar” melhor e, portanto, tornar-se mais saudável e bonito.

5º: Aplicar no cabelo cheio de produtos

Muito provavelmente, você já deve ter escovado o cabelo no dia anterior e aplicado um reparador de pontas, spray fixador ou qualquer outro produto finalizador para deixar a modelagem ainda mais bonita após a chapinha. Depois, no dia seguinte, acordou com os fios amassados e resolver passar a prancha para modelar novamente. Acertei? Pois bem!

A partir de agora, não faça mais isso! Ao aplicar a chapinha no cabelo cheio de produtos, você pode acabar “fritando” – literalmente – o cabelo. Isso porque os produtos possuem componentes na fórmula, como álcool, por exemplo, que podem potencializar o calor da chapinha e tostar os fios.

6º: Demorar a deslizar pelos fios

Deslizar a chapinha muito devagar pelo cabelo pode aumentar o tempo de contato do calor com a mecha, “queimando” os fios e danificando-os, e também deixar as madeixas marcadas com linhas, prejudicando a aparência do cabelo após a modelagem.

7º: Separar mechas muito largas

Por outro lado, passar a chapinha com pressa, separando o cabelo em mechas muito largas para terminar o processo mais rápido, também pode prejudicar em muito a saúde dos fios. Isso porque você acaba aplicando o aparelho mais vezes em uma mesma região para fazer o alisamento, o que pode “queimar” os fios.

Portanto, nada de economizar tempo e acabar com a saúde das madeixas, ok? O mais recomendado é separar o cabelo em mechas finas e passar a prancha, no máximo, três vezes em cada uma.

8º: Descer a prancha reta

O movimento reto na hora de passar a chapinha no cabelo pode deixar o cabelo com um aspecto chapado e as pontas espigadas, colocando em risco o objetivo de ter madeixas lisas com ar natural.

Por isso, o ideal é optar por pranchas com corpo mais arredondado ou, se não tiver uma, girar levemente a mão quando estiver chegando às pontas para fazer uma voltinha e deixar o resultado mais natural.

9º: Prender logo depois de alisar

Se você é daquelas que não aguenta ficar nem cinco minutos com o cabelo solto após aplicar a prancha, por conta do calorão, já pode acabar com esse velho hábito. Isso porque, ao terminar a modelagem, os seus fios ainda estão quentes e, ao prendê-los com o elástico, você pode deixá-los marcados.

Caso você necessite de verdade, seja para fazer uma maquiagem ou por estar deixando a franja curtinha crescer, opte por usar presilhas, que são mais suaves e, portanto, não oferecerão nenhum atrito aos fios.

10º: Pranchar o cabelo sujo

Da mesma forma que passar a chapinha no cabelo cheio de produtos, aplicar o aparelho no cabelo sujo, mesmo que seja só para dar aquela arrumada básica nas pontas, também pode danificar os fios.

Isso porque, além de deixar as madeixas com um aspecto pesado, a oleosidade da raiz pode se espalhar por todo o comprimento e “queimar” os fios.

11º: Pranchar o cabelo molhado

Da mesma maneira que passar a chapinha no cabelo sujo pode prejudicar a saúde dos fios, aplicar a prancha nas madeixas molhadas também pode “fritar” os fios, destruindo a fibra capilar. Por isso, seque bem seu cabelo antes de fazer chapinha.

/* ]]> */