Beleza Cabelos

Falhas no couro cabeludo: por que acontecem e como tratar?

Siga nosso dia-a-dia no insta! Clique aqui para acessar nosso perfil.

A queda de cabelo é algo normal no decorrer da vida de toda mulher, mas vale a pena ficar atenta quando ela começa a ficar fora do normal. Segundo especialistas, um ser humano (homem ou mulher) pode perder até 100 fios por dia, um número considerado dentro do padrão e que faz parte do ciclo de vida do cabelo.

Quando passa disso, torna-se um problema que deve ser investigado. Neste sentido, uma das maiores reclamações relacionadas à perda de cabelo estão as chamadas falhas no couro cabeludo, que são o assunto do nosso artigo de hoje. Afinal, por que aqueles incômodos “buracos” aparecem no cabelo? Por que os fios não nascem mais no lugar como antes?

As falhas no couro cabeludo em mulheres, também chamadas de alopecia areata (seu nome científico) ou “pelada”, podem ter várias causas e provoca a queda dos fios em placas, além de retardar ou paralisar totalmente o nascimento de outros novos. Se você sofre com esse problema, acompanhe os próximos parágrafos desse artigo e descubra quais as dicas para tratar e disfarçar o problema. Vem comigo!

Quais são as causas?

As causas das falhas no couro cabeludo podem ser inúmeras, especialmente em mulheres. Além da herança genética, que é a mais comum, os temidos e incômodos “buracos” no couro cabeludo podem ser causados por uma reação auto-imune do organismo.

Na prática, significa que o sistema imunológico do organismo “ataca” de forma incorreta as células do corpo, ao invés de protegê-la. No caso da alopecia, esse ataque é feito sobre as células dos folículos pilosos. Além disso, pessoas com doenças relacionadas à tireoide, asma, rinite alérgica, vitiligo e síndrome de Down também estão mais propícias a desenvolver o problema.

Veja outras possíveis causas das falhas no couro cabeludo ou alopecia areata:

Anemia

A doença afeta a produção dos fios e enfraquece os que já existem, devido à ausência de oxigenação no bulbo capilar. Portanto, fique atenta: caso sinta outros sintomas junto à perda de cabelo, como falta de ar, dor de cabeça, mal-estar, fraqueza e cansaço, é recomendado investigar se não há deficiência de ferro no organismo, principal fator que leva ao desenvolvimento da anemia.

Má alimentação

Alimentos gordurosos, fast foods, álcool e alimentos de baixo valor nutritivo podem fazer muito mal aos seus cabelos, já que eles ficam fracos e oleosos, dois bons motivos para causar a queda dos fios e, portanto, deixar falhas no couro cabeludo.

Banho quente

Quando você toma banho em água com temperatura muito alta, a estrutura dos seus fios de cabelo acaba ficando ressecada, além de perder parte do sebo que protege o couro cabeludo, o que pode causar as falhas na região. Por isso, tome banhos em água morna ou fria para evitar o problema.

Medicamentos e cirurgias

Alguns medicamentos de uso contínuo utilizados no tratamento de gota, depressão, artrite, problemas cardíacos, anemia e hipertensão arterial também contribuem para as falhas no couro cabeludo. Além disso, o excesso de vitamina A também pode levar a  queda, principalmente em casos de suplementação.

Secador e chapinha em excesso

O uso frequente de secador e chapinha, entre outros aparelhos de alta temperatura, pode causar falhas no couro cabeludo, especialmente entre pessoas com cabelos mais frágeis.

A explicação dos especialistas para isso está no fato de que, depois do banho, as partículas de água entram nos fios e, quando você os coloca em contato com o calor, pode levar à formação de bolhas de ar dentro das madeixas, ocasionando a queda e, consequentemente, deixando falhas no couro cabeludo.

Por isso, a recomendação é utilizar o secador e chapinha apenas quando for realmente necessário e, no caso deste primeiro, cuidar para que ele fique a uma distância de, pelo menos, 30 centímetros de distância da cabeça, e, de preferência, em temperatura morna.

Estresse

O estresse está entre os maiores causadores da queda de cabelo e, portanto, das falhas no couro cabeludo. Isso porque, quando você está estressada, o seu corpo direciona os nutrientes necessários para o desenvolvimento dos fios para a geração de energia.

Com isso, em vez de ter madeixas fortes e saudáveis, você perde vitaminas e minerais essenciais à fibra capilar e aumenta os níveis do cortisol (hormônio do estresse). Este age desacelerando a divisão celular na raiz, o que automaticamente aumenta a quantidade de fios perdidos.

Veja quais são os sintomas da alopecia areata

Está na dúvida se está com falhas no couro cabeludo causadas pela alopecia areata? Procure um médico dermatologista o mais rápido possível se você observar:

  • Falhas no couro cabeludo aparecem em formas ovais ou em círculos;
  • Sensação de queimação na parte do couro cabeludo afetada, coceira e formigamento;
  • Pele do couro cabeludo lisa, assim como a careca;
  • Em casos mais raros, lâminas ungueal com anormalidades (apresentadas em forma de entalhes ou pontos minúsculos), vermelhidão em excesso, estrias e rachaduras.

Dicas para evitar falhas no couro cabeludo

O mais recomendado para pessoas que estão com falhas no couro cabeludo e perda de cabelo anormais é procurar um médico dermatologista imediatamente. No entanto, prevenir e melhor que remediar, concorda? Então, fique de olho nessas dicas para evitar o problema:

  • Alimente-se bem: Uma alimentação rica em nutrientes é ideal para manter os nossos cabelos fortes e no seu devido lugar. Por isso, inclua no seu cardápio aqueles que contenham zinco (carne vermelha, frango e peixe); aminoácidos, como lisina, cisteína e prolina (carnes), betacaroteno (vegetais alaranjados, como cenoura, e folhas de cor verde-escura); vitaminas do complexo B (grãos, nozes, legumes e cereais integrais).
  • Não durma de cabelos molhados: Quando em contato com o travesseiro, os fios podem ficar enfraquecidos, pois ele ajuda a tampar os poros e piorar as falhas no couro cabeludo. Além disso, dormir com cabelo molhado pode causar caspa também.
  • Evite usar chapéus: Os acessórios também fazem com que o couro cabeludo fique suado e úmido, levando à queda dos fios.

Como tratar?

Assim como as causas do problema, os tratamentos que podem resolver as falhas no couro cabeludo também são bastante variados. Você pode procurar o tratamento clínico, onde serão feitas sessões de laser de baixa potência, loções e cápsulas de vitaminas, que possuem o papel fundamental de cuidar para que os novos fios venham fortes.

Enquanto o laser costuma ser feito uma vez por semana, a loção deve ser aplicada duas vezes ao dia. Já as vitaminas devem ser tomadas até três por dia. O tempo de duração do tratamento varia de acordo com o nível de agravamento do problema e do diagnóstico do profissional, mas ele deve ser repetido por, pelo menos, três meses.

Também é possível combater as falhas no couro cabeludo com tratamentos injetáveis, como é o caso, por exemplo, da Carboxiterapia. Trata-se de uma injeção de gás anidro carbônico (CO2) nas áreas que estão perdendo cabelo, que deverá fazer com que elas reajam à agressão produzindo mais oxigênio. Com isso, a circulação local melhora e mais nutrientes chegam à raiz, melhorando o problema.

Em média, são necessárias dez sessões para o resultado ser satisfatório. Uma ou duas aplicações costumam ser suficientes. Em casos mais graves, existe também a opção do transplante de unidades foliculares. O procedimento é considerado cirúrgico, com o auxílio de anestesia, sedação e uma unidade hospitalar. Durante o procedimento, o médico retira uma faixa do couro cabeludo da região da nuca e separa tufos contendo de um a quatro fios.

Em seguida, o profissional os implanta nas áreas onde há falhas. Para isso, a técnica exige que a pessoa dê um tempo de secador, chapinha, coloração, academia e tesoura por 30 dias.

Outras formas de tratamento

  • Cortisona: Em creme, que deve ser aplicado em cima das manchas que ficam onde houve a perda de cabelos; e a cortisona injetável, que serve para compensar a reação imune.
  • Ácido éster escurário dibutilo e difenciprona: Para produzir uma reação alérgica para abrandar o ataque ao sistema imunológico.
  • Minoxidil: Para aumentar o crescimento dos fios e ajudar para que eles passem até diâmetro maior.
  • Antralina (Micanol): Também para estimular o crescimento dos fios no lugar atacado pela doença e acabar com as falhas no couro cabeludo.
  • Ultravioleta e Psoraleno: ambas para fototerapia.
  • Corticosteroides: Via oral ou via intravenosa, raríssimas vezes, em casos com maior perda de cabelos.
/* ]]> */