Plantas Medicinais Saúde

Fitoterapia: o que é? Como funciona?

Siga nosso dia-a-dia no insta! Clique aqui para acessar nosso perfil.

A fitoterapia, também chamada de herbologia ou medicina botânica, é a aplicação de pesquisas científicas e padrões profissionais à prática da medicina herbal. A fitoterapia encoraja e utiliza-se do recente crescimento de informações científicas a respeito de plantas e drogas, utilizando-as para tratamentos.

Ela difere de outros tipos de medicina derivados de plantas na farmacologia comum. No padrão farmacológico, isola-se o componente ativo de uma determinada planta. Na fitoterapia, busca-se preservar a complexidade de substâncias de uma determinada planta, com um menor nível de processamento, buscando manter sua efetividade e segurança.

Como a fitoterapia funciona?

mulher-segura-cha-19363

Na fitoterapia, as plantas medicinais são selecionadas principalmente para estimular o fortalecer as funções normais do organismo. O objetivo é, portanto, permitir que o próprio corpo cure a si mesmo. A medicina botânica possui diversos ingredientes, e oide gerar diversas ações terapêuticas simultâneas no corpo.

Qualquer medicina erval prescrita a um paciente costuma ser uma combinação de plantas escolhidas para os efeitos terapêuticos necessários para aquele indivíduo. Cada planta ou erva utilizada possui ingredientes ativos, químicos e componentes que geram determinados efeitos.

Companhias farmacêuticas comuns costumam isolar os ingredientes químicos essenciais de uma planta para produzir réplicas sintéticas destes componentes, convertendo em medicamento.

O resultado final deste processo é uma droga poderosa com diversos efeitos colaterais. No entanto, esta medicação não carrega todas as interações importantes que faziam parte do composto original da planta.

A fitoterapia garante uma abordagem funcional à cura. Ela permite que o próprio corpo seja capaz de identificar o problema e combatê-lo. A fitoterapia também resulta em moléculas bioativas, capazes de integrar-se ao sistema endócrino humano.

Neste sentido, os suplementos auxiliam a promover ou combater determinadas ações que já são realizadas pelo paciente. Isso quer dizer que a fitoterapia não leva seu corpo a agir de formas pouco naturais – apenas fortalece suas ações.

Efeito adaptógeno

Outro princípios fitoterapêutico é o efeito adaptógeno, no qual o corpo do pacientes responde e utiliza as moléculas das plantas de diversas maneiras. Ele é capaz de adequar isso à quantidade e proporção necessárias para regular e metabolizar estes componentes.

Há, neste caso, um forte contraste em relações às intervenções farmacêuticas comuns. Os medicamentos sintéticos não permitem que o corpo decida as quantidades que serão utilizadas de seus componentes – entram rapidamente no organismo. Isso pode gerar vulnerabilidades ou disfunções metabólicas a longo prazo.

Fitoterapia e menopausa

Especialmente quando combinada com um estilo de vida saudável e escolhas de alimentação adequadas, a fitoterapia pode auxiliar as mulheres a reverter os desequilíbrios hormonais. O resultado disso é uma melhor saúde e estabilidade na menopausa.

Com seu efeito adaptógeno, o tratamento auxilia a normalizar, fortalecer e proteger seu organismo dos eventos estressantes da menopausa. A utilização de ervas para lidar com os sintomas da menopausa é, aliás, cada vez mais popular. Isso ocorre à medida que percebe-se os riscos da reposição hormonal com a mesma finalidade.

As terapias botânicas para os sintomas da menopausa estão tomando papel cada vez mais importante. Muitas mulheres estão determinadas a utilizar terapias alternativas, com hormônios naturais. Outras encontraram o equilíbrio em diminuir a dosagem sintética, combinando com a fitoterapia.

Este é um processo importante, pois um tratamento confortável e pouco danoso para o organismo é tão importante quanto a reposição orgânica em si, atualmente.

Veja também:

Comentar

/* ]]> */