Maternidade

Gravidez de alto risco: conheça sintomas e cuidados necessários

Siga nosso dia-a-dia no insta! Clique aqui para acessar nosso perfil.

A maioria das gestações são consideradas de baixo risco, pois não apresentam problemas de saúde, como alterações na pressão arterial, alta concentração de glicose no sangue, entre outras complicações. Mas, algumas gestantes podem apresentar estes quadros e, nestes casos, são classificadas como gravidez de alto risco.

A principal diferença entre o pré-natal comum e o pré-natal de alto risco é o tipo de acompanhamento que é dado à gestante, que em caso de complicações de saúde, deve ser mais minucioso e intenso.

Neste artigo, saiba quais são os sintomas da gravidez de alto risco e conheça alguns cuidados essenciais para estes casos.

O que é gravidez de alto risco?

Toda gravidez oferece certo risco à mãe e ao bebê, no entanto, em alguns casos esse risco é maior que o da média. A gestação de alto risco acontece quando a saúde do bebê e da mãe possuem mais chances de serem atingidas, se comparadas com a maioria das gestações.

Segundo o Manual Técnico de Gestação de Alto Risco do Ministério da Saúde, existem alguns fatores que são usados para classificar esse tipo de gestação:

  • idade da gestante menor que 17 anos ou maior do que 35 anos;
  • condições de trabalho que exigem muito esforço físico ou que oferecem situações de estresse exagerado;
  • dependência de drogas;
  • histórico reprodutivo com problemas, como doenças uterinas, cirurgias no útero, abortos espontâneos, etc;
  • doenças na gestação atual, como variações na pressão arterial, anormalidades no crescimento e desenvolvimento do feto, diabetes gestacional, trabalho de parto prematuro ou tardio, etc;
  • histórico de saúde da gestante que possua problemas de saúde que interfiram na gestação.

No pré-natal de alto risco a equipe médica deverá acompanhar a evolução da gravidez e procurar detectar a influência que as condições de risco oferecem à gestação e tentar controlar essa influência para garantir uma gravidez mais segura e saudável para a mãe e o bebê.

Sintomas da gestação de alto risco:

Apenas um especialista pode diagnosticar uma gravidez de alto risco. No entanto, se você já apresentou problemas de saúde, como diabetes, pressão alta, doenças e complicações uterinas ou qualquer outro quadro que se encaixe nas definições da gravidez de alto risco que explicamos no tópico anterior, converse com seu médico.

O acompanhamento no pré-natal irá monitorar seu estado de saúde e acompanhar o desenvolvimento do seu bebê para garantir que, caso você se enquadre na gravidez de alto risco, você receba o pré-natal adequado.

O papel da ansiedade na gravidez de alto risco:

A ansiedade possui um papel importante na gravidez de alto risco e pode influenciar a gestante emocionalmente e fisicamente. É comum que gestantes que apresentem doenças gestacionais durante a gravidez fiquem preocupadas e estressadas.

Se este é o seu caso, fique atenta ao estresse no trabalho, sempre conversando com seu médico a respeito desses acontecimentos e procure exercícios de relaxamento para controlar o nervosismo. A gravidez de alto risco implica maiores cuidados, mas não significa que necessariamente algo de ruim acontecerá com você e seu bebê, ok?

Veja também:

Informação gera mais segurança para a gestante:

Outra atitude importantíssima para a gestante que é classificada como alto risco é a procura por informação. O estresse e medo gerado por um problema de saúde na gravidez pode ser diminuído quando a gestante conhece a história de outras grávidas que também estão passando ou já passaram por isso.

Procure também conversar bastante com seu médico para tirar todas as suas dúvidas.

Alimentação e exercícios:

Cuidar da mente é essencial, no entanto, fazer isso sem cuidar da saúde física não é suficiente. Por isso, fique atenta às restrições alimentares que seu médico indicar para você e, se possível, consulte uma nutricionista para que ela possa orientar você sobre os alimentos que não são indicados para seu estado de saúde.

Exercícios físicos, a partir do segundo trimestre de gestação, embora moderados, também são imprescindíveis para sua saúde.

Confira:

/* ]]> */