Doenças Saúde

Hérnia de disco tem cura? Conheça sintomas e tratamentos

Hérnia de disco
Siga nosso dia-a-dia no insta! Clique aqui para acessar nosso perfil.

O termo hérnia de disco é usado quando a estrutura encarregada de “amortecer” entre uma vértebra e outra sai de seu lugar normal. Um deslocamento do disco capaz de comprimir os nervos da coluna e provocar dor.

Geralmente, a alteração é causada por excesso de esforço ou trauma. Porém, algumas pessoas desenvolvem esta condição devido ao envelhecimento natural ou fatores genéticos.

A hérnia de disco surge principalmente na lombar e cervical, pois são partes com grande mobilidade. Mas é um problema que pode aparecer em toda a coluna, e é algo relativamente comum.

A maioria dos casos cicatriza e é reabsorvida com o tempo. Entretanto, essa reabsorção pode acontecer de maneira diferente de um indivíduo para outro. O período para o processo natural de cura vai de semanas até meses, dependendo do caso.

A reabsorção da hérnia de disco em certos pacientes pode demorar muito ou, ainda, levar à calcificação do disco, provocando sintomas persistentes.

Sintomas de hérnia de disco

A intensidade da dor resultante de uma hérnia de disco varia muito, assim como a localização do desconforto. Em grande parte das vezes, a dor ocorre somente em um lado do corpo.

Quando existe uma lesão no disco, mas sem herniação ou deslocamento importante, o incômodo geralmente fica centralizado na área do próprio disco.

Mas se a hérnia chega a tocar ou comprimir as estruturas nervosas, normalmente a dor é relatada em outro lugar – ou até irradiada da coluna à parte inervada pela raiz nervosa afetada.

Os sintomas mais frequentes nesses casos são: formigamento, amortecimento, câimbras; dor forte na coluna com sensação de irradiação para perna, braço, mão, perna, pé etc.; travamento ou perda de força.

Importante: os sintomas descritos aqui têm caráter informativo, e são levantados a partir dos aspectos gerais – já conhecidos pela ciência – dos problemas. Apresentar um ou mais destes sinais não significa, necessariamente, que um indivíduo esteja com hérnia de disco. E somente um médico pode dar diagnósticos e prescrever tratamentos.

Como tratar hérnia de disco

Aproximadamente 90% dos casos de hérnia de disco são resolvidos com tratamento clínico/conservador indicado pelo médico.

Existem diversas opções terapêuticas. A começar pelo repouso relativo nos primeiros dias após o diagnóstico do problema.

Os ortopedistas também costumam prescrever analgésicos, anti-inflamatórios e, em determinadas situações, opioides para a crise aguda de hérnia de disco, além acupuntura e fisioterapia analgésica.

Durante a fase crítica, é recomendado suspender a prática de exercícios de fortalecimento e alongamentos. As atividades esportivas também devem ser paralisadas até os sintomas agudos desaparecerem.

Em geral, depois que há melhora da inflamação e da dor, a reabilitação dos músculos da coluna vertebral, membros e abdômen deve ser retomada. O que inclui técnicas de estabilização da postura, alongamentos e fortalecimento muscular.

E como muitos casos de hérnia de disco estão ligados à má postura, é fundamental o acompanhamento de um fisioterapeuta. Ele poderá indicar exercícios de RPG e fisioterapia motora, entre outros processos.

Outra estratégia para evitar recaídas ou novas hérnias é praticar atividades físicas com regularidade. Os exercícios mais recomendados são: Pilates, yoga, natação, caminhada e academia (com restrição a movimentos capazes de sobrecarregar os discos).

Em média, 10% das pessoas com hérnia de disco não respondem bem ao tratamento clínico, e podem receber indicação de correção cirúrgica do problema. São pacientes que, apesar dos cuidados, continuam apresentando dor ou sintomas neurológios associados e progressivos.

Há vários tipos de cirurgia para tratar as hérnias. Cada caso requer análise minuciosa por parte de um especialista em coluna, para chegar a um procedimento individualizado.

É claro que a preferência atualmente é por técnicas minimamente invasivas para a remoção da hérnia de disco. Com isso, cai o tempo de internação e aumenta a chance de uma recuperação pós-operatória mais rápida.

Espero que as informações de hoje possam ajuda de alguma forma. Mas consulte sempre seu médico!

Até a próxima…

/* ]]> */