Beleza Estética Pele

Laser ablativo: Tudo sobre este procedimento estético de rejuvenescimento da pele

Laser ablativo

O laser ablativo é um procedimento estético presente no mercado há mais de 20 anos, sendo um dos primeiros – e mais efetivos – lasers utilizados em tratamentos de rejuvenescimento da pele.

Com resultados excepcionais, o laser ablativo é um dos procedimentos estéticos mais procurados para tratamento de rugas, cicatrizes, flacidez, linhas de expressão, entre outros.

Ficou interessada? Saiba neste post tudo sobre essa técnica, como ela funciona, quando é indicada e os cuidados que se deve ter após fazer o procedimento. Confira!

O que é o laser ablativo?

O laser ablativo é um tratamento estético que consiste na técnica de resurfacing, ou seja, destruir a camada superficial da pele a fim de estimular o corpo a substitui-la por uma epiderme nova e rica em colágeno, promovendo uma pele mais lisa, firme e uniforme.

Esse laser usa a vaporização para destruir a epiderme através da desidratação, queimando superficialmente a pele da região afetada, de maneira uniforme e controlada. Ele pode ser de CO2 ou de Erbium, ambos vaporizadores do tecido cutâneo.

O laser é aplicado sobre a pele de forma precisa e então sua energia luminosa se transforma em calor, causando a evaporação da umidade natural da derme, provocando a destruição do tecido e a remoção da camada mais externa da pele.

Durante o processo de cicatrização e renovação da pele, há um estimulo para a produção de colágeno – proteína que fornece estrutura e sustentação para a derme – e também uma retração deste nas camadas mais internas da pele, originando uma cútis mais firme e elástica.

Quando o tratamento com laser ablativo é indicado?

O laser ablativo pode ser aplicado em qualquer parte do corpo e é recomendado no tratamento de uma série de problemas de pele relacionados à marcas, manchas e envelhecimento. Confira as principais indicações:

  • Flacidez da Pele;
  • Rugas e marcas de expressão;
  • Olheiras;
  • Estrias;
  • Manchas na pele ocasionadas pelo sol;
  • Cicatrizes de acne;
  • Cicatrizes hipertróficas (pós-cirúrgicas);
  • Rejuvenescimento facial e corporal.

No entanto, o procedimento é contraindicado para gestantes e lactantes, pessoas que possuem vitiligo, queloides e herpes e pacientes que façam uso de isotretinoina ou anticoagulantes.

Laser ablativo fracionado e não fracionado

O uso do laser ablativo pode ser dividido em duas técnicas, o laser fracionado e o não fracionado.

No laser não fracionado, a aplicação é feita por um único feixe de luz que remove toda a camada superficial da pele da área atingida. Ele é mais agressivo, exige um tempo de recuperação maior e mais cuidados no pós- procedimento. Além disso, pode necessitar de analgesia ou sedação durante a sessão, visto que sua aplicação é mais dolorosa e incômoda.

Já o laser fracionado é separado em diversos feixes de luz que atingem a pele como uma peneira, deixando áreas intactas entre as atingidas pelo laser. Essas áreas intactas ajudam no processo de cicatrização, permitindo uma reestruturação mais rápida da pele, acelerando sua regeneração.

Veja também

O laser ablativo fracionado é o mais realizado atualmente, por apresentar uma série de vantagens, como ser um procedimento menos agressivo e incômodo, apresentar um tempo menor de recuperação e um pós-procedimento mais confortável.

Como funciona o tratamento?

Primeiramente é feita uma avaliação que considera a genética, queixas e hábitos de cada paciente.

Então é estabelecido um número de sessões necessárias para solução ou melhora dos incômodos. A quantidade e duração das sessões dependem das condições da pele e indicações de cada indivíduo.

As sessões são realizadas em consultórios clínicos especializados, com o uso de anestésico local e sedação, dependendo da extensão e gravidade da região afetada, pois a aplicação do laser pode ser bastante incômoda. Também são utilizados óculos de proteção para maior conforto e segurança do paciente.

Após cada sessão, a pele costuma apresentar vermelhidão, inchaço e ardência.

Quais os cuidados pós-procedimento?

Apesar do paciente ser liberado no mesmo dia, é necessário um período de repouso em casa antes de retornar ao trabalho e outras atividades, pois a região tratada costuma ficar escura, dolorida, minar secreção e apresentar formação de crostas ressecadas e descamação nos dias posteriores à aplicação.

Essas crostas caem naturalmente em alguns dias e revelam uma pele lisa, brilhante e avermelhada, que sinaliza que o processo de cicatrização está ocorrendo e o novo colágeno, se formando.

Assim como as crostas, a vermelhidão também desaparece aos poucos, originando uma pele rejuvenescida.

Durante o período de pós-procedimento, é indicado o uso de pomadas e medicamentos receitados pelo seu médico e é essencial evitar exposição solar direta nos primeiros 15 dias e nunca se esquecer de usar protetor solar.

Apesar do laser ablativo ser mais agressivo do que outros tratamentos não ablativos – como radiofrequência, a luz intensa pulsada e o infra vermelho – seus resultados são muito superiores, o que ainda o torna um dos procedimentos estéticos mais realizados quando o assunto é rejuvenescimento da pele, mesmo com o surgimento de técnicas ditas mais modernas e menos abrasivas.

Qual a sua opinião sobre laser ablativo? Você prefere um tratamento com laser ablativo e resultados excepcionais, ou uma técnica menos agressiva com resultados mais modestos? Compartilhe seu ponto de vista nos comentários!