Nutrição Vegetais

Malefícios da alcachofra: descubra quando o consumo pode fazer mal

A alcachofra está entre as plantas medicinais que podem fazer muito bem à nossa saúde. Rica em diversos nutrientes fundamentais ao funcionamento adequado do corpo, dentre eles, vitaminas ABC, além de minerais importantíssimos, como enxofre, cobre, iodo, ferro, cálcio, fósforo, sódio, zinco, potássio e manganês, o seu consumo regular na alimentação pode tratar e prevenir diversos tipos de doenças, como é o caso do câncer.

Além disso, o alimento é pouquíssimo calórico, podendo fornecer ao corpo apenas 47 calorias para cada 100 gramas, o que significa que ele também pode ser um grande aliado de quem quer mandar aqueles incômodos quilinhos extras da balança, ajudando de forma saudável no processo de emagrecimento.

É por este motivo que a planta de origem europeia é amplamente conhecida no mundo todo, apesar de ainda pouco comum nas cozinhas brasileiras. Além de seu potente poder nutricional, a alcachofra também pode ser consumida de várias maneiras, podendo compor receitas deliciosas, como pizza, salada, chás, licores e molhos, entre outras que você já aprendeu anteriormente no nosso post “Como consumir alcachofra? Veja passo a passo e receitas”.

Dentre os principais benefícios da alcachofra para a saúde, podemos destacar:

  • Redução do colesterol;
  • Melhora da digestão;
  • Controle da pressão sanguínea;
  • Prevenção e tratamento do câncer;
  • Melhora do funcionamento do fígado;
  • Fortalecimento dos ossos;
  • Faz bem para a gravidez;
  • Ajuda no emagrecimento;
  • Cura da ressaca;
  • Melhora da saúde mental.

Perigos do consumo excessivo de alcachofra

Apesar dos inúmeros benefícios da planta medicinal para a saúde, como os que você conheceu anteriormente, a alcachofra, quando consumida de forma excessiva, pode trazer alguns malefícios à saúde.

Portanto, é importante que você saiba que o seu uso na alimentação requer alguns cuidados, sob o risco de causar alguns efeitos colaterais indesejados. Confira, a seguir, alguns dos principais malefícios da alcachofra para a saúde:

Obstrução do canal biliar

É uma das principais reações maléficas do consumo de alcachofra, quando esta é consumida em excesso. Esse efeito colateral ocorre em decorrência de outros quadros clínicos já presentes no organismo, como é o caso de tumores, cálculos, inflamações e cistos.

Em geral, os principais sintomas incluem urina escura, amarelamento na pele, fezes claras e mucosas nos olhos. Especialistas indicam que o efeito negativo do consumo do vegetal neste sentido se dá por conta de um aumento no fluxo da bile que as suas propriedades nutritivas podem causar.

Com o aumento desse fluxo biliar, outro efeito colateral causado pela alcachofra pode ser a formação de cálculos biliares.

Reações alérgicas

Pessoas com sensibilidade ou alergias à plantas como calêndulas, tasneiras, margaridas e crisântemos, ou qualquer uma pertencente à essa família, podem sofrer com algumas reações alérgicas causadas pelo consumo da alcachofra, especialmente se for feito de forma excessiva.

Dentre os sintomas indesejados estão erupção cutânea, coceira, urticária, inchaço, dificuldades para respirar, complicações na respiração e até mesmo o choque anafilático, que pode levar à morte.

Aumento da urina

Devido ao seu efeito diurético no organismo, a alcachofra costuma ser utilizada na medicina europeia para estimular o funcionamento dos rins. Sendo assim, o seu consumo pode causar o aumento da urina, o que se torna um perigo para pessoas que já sofrem com problemas na bexiga.

Interage com medicamentos para o colesterol

Se você faz uso contínuo de medicamentos para baixar o colesterol, não deve consumir a alcachofra. Isso porque as propriedades nutricionais da planta medicinal já promovem esse efeito no corpo, ajudando a reduzir os níveis do colesterol no sangue.

Por isso, ao incluir a alcachofra na alimentação, ela pode interferir no efeito dos medicamentos, potencializando-o e diminuindo o colesterol mais do que o inicialmente desejado. Converse com o seu médico antes de começar qualquer tratamento com alimentos do tipo.

Diarreia e flatulência

O consumo do coração da alcachofra também pode causar problemas no sistema digestivo, levando a quadros de diarreia e flatulência.

Quem não pode comer alcachofra?

Como você leu anteriormente, o consumo inadequado da alcachofra pode levar a uma série de efeitos colaterais indesejados. Portanto, além de tomar cuidado ao incluir o vegetal na alimentação, também é preciso ficar atenta se você não está dentro do grupo de contraindicações da planta.

Sendo assim, é bom que você saiba que, devido aos efeitos da alcachofra no aumento do fluxo biliar, pacientes diagnosticados com obstrução do canal biliar e cálculos renais não devem consumi-la sem a orientação de um médico de confiança.

Da mesma forma, pessoas com alergias à plantas da mesma família da alcachofra, como as que citamos anteriormente, também não devem comer ou usar o extrato da planta como remédio, para não sofrer com algum tipo de reação alérgica.

Grávidas e lactantes também não devem iniciar qualquer tratamento com a planta medicinal sem conversar antes com um médico especialista, já que ainda não existem informações suficientes sobre os efeitos colaterais que a alcachofra pode causar durante a gestação ou período de amamentação.

Também não custa nada ressaltar que as propriedades presentes na planta também podem interagir com alguns medicamentos usados para baixar os níveis de colesterol no sangue, além de anticoagulantes e antiplaquetários. A dica é buscar orientação médica previamente.

Quais são os cuidados que devo ter ao consumir alcachofra?

Mesmo que você não esteja inclusa no grupo de pessoas contraindicadas para consumir alcachofra que listamos acima, a recomendação é para que, antes de iniciar qualquer tratamento usando o extrato da planta ou medicamentos que a contenham em sua fórmula, busque-se orientação de um médico.

Isso porque você pode ter algum problema que ainda desconheça em seu organismo e que impeça o uso da alcachofra, o que você só vai poder descobrir durante uma consulta com o médico. Além disso, somente um especialista poderá indicar a duração, frequência e dosagem corretas para o seu tratamento em específico.

No caso de quem optar por usar a alcachofra em receitas culinárias, a dica é limpar bem o vegetal, tal como ensinamos aqui. Se você ou qualquer outra pessoa venha a sentir efeitos colaterais indesejados ou reações alérgicas, procure um médico o mais rápido possível.

E não se esqueça! Mesmo um sintoma leve ou moderado pode indicar uma complicação grave na saúde do organismo, que, se for diagnosticada imediatamente, poderá ter mais chances de ser tratada e curada com maior eficiência. Fique ligada, ok?

Até a próxima!

/* ]]> */