Nutrição

Metionina: conheça as funções e benefícios deste aminoácido

A metionina é um aminoácido essencial que participa da síntese de outro aminoácido, a cisteína. Além disso, é um dos aminoácidos codificados pelo código genético. Portanto, é um dos componentes das proteínas nos seres vivos.

Enquanto aminoácido essencial, a metionina não é produzida por nosso organismo, precisa ser ingerida por meio dos alimentos ou suplementos.

E mais: ela traz enxofre em sua composição, uma substância essencial à síntese de um importante antioxidante natural encontrado no corpo humano, a glutationa.

Ao participar da produção de outros aminoácidos contendo enxofre, incluindo taurina e cisteína, a metionina atua na eliminação de impurezas, promovendo a criação de tecidos mais saudáveis e o bom funcionamento cardiovascular.

Por meio da ação da enzima metionina sintase, acontece a conversão de homocisteína em metionina. Com a queda do nível de homocisteína em nosso sangue, é possível reduzir o risco de trombose venosa e aterosclerose, entre outras doenças.

Outra função do aminoácido metionina é auxiliar no processamento de gorduras pelo fígado, assim como no controle da disponibilidade de glutationa. Esta, por sua vez, é vital para a neutralização de toxinas no órgão.

É relevante ainda para a fabricação de creatina, um nutriente encontrado nos músculos que fornece energia; e de colágeno, utilizado na formação de unhas, pele, cartilagens, tendões e ligamentos.

O que a metionina faz e como aproveitar seus benefícios

Podemos encontrar metionina nos alimentos, especialmente no queijo, castanha-do-pará e ovo desidratado (principalmente, a clara); nos peixes (sardinha, atum, dourado, salmão, tilápia, linguado, bacalhau, etc.) e carnes (alce, frango, búfalo, veado, peru, porco, vaca, coelho); crustáceos e leite.

As fontes não animais deste aminoácido são: aveia, sementes de girassol e gergelim e castanha-do-pará, entre outros.

Importante: ferver demais ou deixar os alimentos que contêm metionina de molho por muito tempo faz com que eles percam grandes quantidades do aminoácido. Ele é muito solúvel e, quando exposto ao calor de maneira prolongada, acaba ficando comprometido.

Veja para que serve a metionina

• Pode ser utilizada para tratar sintomas de depressão, contribuindo para que o quadro não fique crônico;

• Age positivamente em processos inflamatórios, como na osteoartrite, pois diminui os níveis de histaminas inflamatórias no organismo;

• Atua como coadjuvante em casos de dores musculares;

• Auxilia no tratamento de doenças no fígado, tais como cirrose e hepatite;

• É um interessante recurso para quem possui nível de estrogênio mais elevado que o de progesterona, convertendo o estradiol (com potencial carcinogênico) em estriol, o chamado estrogênio “bom”;

• O metabólito da metionina conhecido como s-adenosil metionina serve para combater fadiga crônica, esclerose múltipla e fibromialgia;

• O aminoácido pode ser benéfico na prevenção de danos ao fígado devido envenenamento por paracetamol (acetaminofeno);

• O fato de ligar-se a metais pesados faz com que a metionina ajude o corpo a eliminá-los sem sofrer grandes danos;

• Auxilia na prevenção da ejaculação precoce;

• Contribui no controle de infecções urinárias, uma vez que inibe a fixação de microrganismos no trato urinário e, por consequência, sua proliferação;

• Promove a restauração corporal em situações como: alcoolismo, alergias, tratamentos à base de radiação, asma, esquizofrenia, Mal de Parkinson, sintomas de abstinência de drogas;

• A metionina pode colaborar na redução da demência e da memória em pacientes com Aids, porque é capaz de atrasar a deterioração dos nervos.

O conteúdo deste post tem função de informar. Apenas um médico pode decidir o que é melhor para cada pessoa e prescrever tratamentos de acordo com a situação específica.

Os profissionais de saúde são os únicos aptos a recomendar o uso de substâncias para tratar doenças, avaliando inclusive o risco de interações entre medicamentos.

A maioria das pessoas não precisa de suplementos de metionina, pois, em condições normais de saúde, a dieta costuma ser suficiente para suprir a quantidade necessária do aminoácido para que o corpo funcione bem.

Cuide-se! Até a próxima!

/* ]]> */