Maternidade

O que causa cólica no bebê, afinal? Veja aqui dicas preciosas!

Siga nosso dia-a-dia no insta! Clique aqui para acessar nosso perfil.

O choro interminável, a irritação e o sofrimento dos pequenos que sofrem de cólica deixam as mães literalmente chorando junto, não é? E depois de alguns dias sofrendo com a tal da cólica, há de surgir a dúvida: mas o que causa cólica no bebê, afinal?

A cólica no bebê é popularmente conhecida como uma espécie de dor de barriga, que deixa o bebê incomodado. Essa dor pode ser causada por gases ou por dificuldade de fazer cocô.

No entanto, estudos recentes têm apontado para outras possíveis causas para esses choros inconsoláveis dos pequenos. Conhecer mais sobre essas novas tendências pode ajudar você a lidar melhor com seu pequeno e evitar esse sofrimento com atitudes simples.

Neste artigo, confira as possíveis causas das cólicas no bebê e veja dicas práticas e simples para evitá-las, tornando o ambiente mais adequado ao recém-nascido.

Teoria da extero gestação:

Segundo a teoria da extero gestação, mesmo após o nascimento do bebê, ele ainda é muito frágil e precisa de um cuidado especial. É como se os primeiros três meses de vida fossem o período final da gestação, mas agora fora do útero.

Nesse período de gestação extra uterina, o bebê ainda está se adaptando ao mundo e tudo que para nós é normal, pode causar muita confusão e desorientação para nosso bebê.

Imagina só: dentro do útero o bebê estava imerso em água, quentinho e apertadinho, recebendo todo o alimento do que precisa pelo cordão umbilical.

De repente ele sai de lá e vai parar num lugar seco e amplo, precisa aprender a respirar e mamar, porque sente necessidade. Neste novo mundo tudo é muito iluminado e há sons e cheiros estranhos. Não é de admirar que é preciso ir com calma com o pequeno, não é?

Para saber mais sobre a teoria da extero gestação e como acalmar seu bebê nos primeiros meses, confira:

O que causa cólica no bebê?

Agora que você já sabe um pouco mais sobre o que seu bebê está passando nesses primeiros momentos de vida, vamos conferir algumas das principais causas de cólica nos pequenos, certo?

O maior vilão para um bebê recém-nascido, com certeza, é o excesso de estímulos. Mas o que são estímulos e como saber a quantidade correta?

Veja: estímulos é tudo que provoca os sentidos do bebê, que ainda são muito sensíveis e delicados. Para saber como evitar estímulos demais para seu bebê, continue a leitura, porque falaremos disso logo mais!

Provavelmente você deve estar se perguntando: Mas e a barriga do bebê? Não dói nem um pouquinho? E eu te respondo que isso é quase impossível responder isso com certeza. Até os especialistas não têm certeza, afinal, como saber o que o bebê sente?

O que podemos deduzir é que no período da extero gestação é possível que a digestão seja uma novidade incômoda para o pequeno, que nunca antes na vida precisou digerir leite. Por isso, existem alguns macetes para ajudar o pequeno a eliminar os gases e fazer cocô com mais facilidade. Quer ler? Veja aqui.

Como evitar a cólica?

Agora que você já viu quais são as possíveis causas da cólica no pequeno, vamos ver algumas dicas de como evitar esse mal estar no pequeno? São atitudes simples, mas que muita gente acaba deixando para lá e prejudicando este momento tão importante para a adaptação do pequeno ser humano ao mundo.

Crie um ambiente calmo e silencioso:

A primeira coisa a se fazer é eliminar o máximo de estímulos. Evite som alto e conversas em voz muito alta. Dessa maneira o bebê poderá descansar e ir percebendo o ambiente com mais tranquilidade, sem sustos ou sobressaltos.

Controle o número de visitas:

Eu sei que muita gente quer ver seu bebê. Mas tanto você quanto ele precisam de um tempo para se recompor depois de tanta energia despendida na gestação e parto, ok? Evite que muita gente entre no quarto ao mesmo tempo e não deixe que ninguém atrapalhe o sono do seu filho, porque esse sono é importante para o seu desenvolvimento.

Veja também:

Evite movimentações:

Levar o pequeno para uma festa, mesmo que seja uma festa de família, não é indicado. Além do barulho, este ambiente provavelmente estará muito movimentado, com muitos estímulos, que deixarão o bebê cansado e estressado, podendo causar crises de choro nos dias depois da festa.

Manter a iluminação suave:

Uma iluminação suave, tanto de dia quanto à noite, é muito importante para que o bebê se acostume com as luzes mais intensas quando ele for maior. Por isso, use luminárias suaves e cortinas para filtrar a luz natural.

Evite cheiros fortes:

O olfato do seu bebê ainda é muito sensível. Procure evitar cheiros fortes, principalmente de cosméticos e perfumes. Expôr o pequeno a estes cheiros pode causar muitos incômodos para o pequeno.

Aleitamento materno em livre demanda:

O aleitamento materno é o melhor que você pode oferecer ao seu bebê. Segundo estudo realizado por especialistas e divulgado no Jornal da Sociedade Brasileira de Pediatria, os bebês que são amamentados no seio da mãe possuem menos chances de ter cólica. Mas também é importante dar de mamar sempre que o bebê chorar, porque a sucção do seio materno também o ajuda a se acalmar.

Não deixar o bebê chorando muito:

Deixar o bebê chorando muito tempo antes de atendê-lo é prejudicial para o pequeno. Gera um estresse desnecessário ao bebê e se ocorrer com frequência pode deixá-lo inseguro, contribuindo para que o pequeno se torne uma criança mais chorona do que o normal.

Dê água ao bebê que toma fórmula:

Caso você não possa dar seu leite ao bebê, procure conversar com seu pediatra para encontrar a fórmula artificial que mais se adapte ao organismo do seu pequeno.

A fórmula artificial pode causar desconfortos gástricos e prisão de ventre no bebê, principalmente se não for oferecida adequadamente. Sempre ofereça de 30 a 50ml de água ao bebê que toma fórmula entre uma mamada e outra, pois isso ajudará o bebê a não ficar com as fezes ressecadas.

Também é possível dar um probiótico chamado ColiKids para facilitar a digestão. Confira este post sobre ele e converse com o pediatra:

/* ]]> */