Maternidade Saúde

O que é icterícia em recém-nascido? Saiba aqui causa e tratamentos

A icterícia em recém-nascidos é a doença mais comum em neonatos, segundo a Sociedade Brasileira de Pedriatria. Os bebês com esse desequilíbrio químico ficam com um aspecto amarelado, tanto na pele quanto nos olhos.

Como tratar esse problema? Ele pode prejudicar muito a saúde do bebê?

Neste artigo, conheça a causa da icterícia e saiba quais os tratamentos e complicações desse problema tão comum.

O que é a icterícia em recém-nascido?

A icterícia neonatal ou, mais popularmente, amarelão é um desequilíbrio químico no corpo do recém-nascido, também chamada de hiperbilirrubinemia. Cerca de 60% dos recém-nascidos apresentam esse problema.

A icterícia acontece pelo excesso de bilirrubina no sangue. A bilirrubina é produzida no organismo com a decomposição dos glóbulos vermelhos.

Ela deve ser absorvida pelo fígado, que a transporta até a vesícula biliar. De lá, a bilirrubina deve ir para o intestino delgado para ajudar na digestão da gordura. Quando essa substância não passa pelos filtros do fígado, acaba se concentrando muito no sangue.

Por causa desta concentração, a cor da pele, dos olhos e gengivas do bebê ficam com um aspecto amarelado, bem diferente dos tons normais de rosado.

Causas:

Ela pode ser um fenômeno de adaptação do organismo, que ainda não possui o fígado maturado, e não causar maiores problemas.

Nestes casos, apenas algumas sessões de banhos de luz são necessários para que a cor da pele e dos olhos do bebê mude dos tons amarelados para os tons rosados. O tratamento dura apenas alguns dias.

Mas, caso a icterícia seja detectada em níveis altos, por meio de exames de sangue, a equipe médica irá proporcionar o tratamento adequado. Existem vários fatores de risco para a icterícia. Veja os principais:

  • ictericia nas primeiras 24 horas de vida;
  • problemas relacionados à incompatibilidade sanguínea;
  • dificuldade no aleitamento materno com perda de peso maior do que o normal depois do nascimento;
  • nascimento com 35 ou 36 semanas de gestação;
  • irmãos que tiveram icterícia que precisaram do tratamento com luz;
  • descendência asiática.

Tratamentos:

Existem tipos diferentes de tratamento para a icterícia, dependendo da intensidade do problema.

Quando ocorre apenas um desequilíbrio fisiológico e temporário, os médicos podem receitar apenas banhos de luz natural ou artificial.

Os banhos de luz ou fototerapia, podem ser de tipos diferentes, dependendo do nível de bilirrubina na pele e outros fatores analisados pela equipe médica. O tempo de exposição também varia, dependendo do equipamento disponível no hospital e também do tempo de vida do bebê.

Em casos mais graves de icterícia em que há insuficiência do trabalho do fígado, é necessário fazer hemodiálise no recém-nascido.

 

Os banhos de luz solar são indicados para todos os bebês, com icterícia ou não, pois proporcionam vários benefícios para a saúde. Veja mais: Conheça os benefícios do banho de luz para o bebê.

Para acompanhar nossas postagens, curta nossa página do Facebook e fique por dentro!

/* ]]> */