Nutrição

Óleo de Rícino: Benefícios e usos

Siga nosso dia-a-dia no insta! Clique aqui para acessar nosso perfil.

O óleo de rícino é um líquido amarelo claro, extraído da semente da mamona. É um poderoso anti-inflamatório e anti-oxidante, utilizado há centenas de anos por seus fins terapêuticos e medicinais.

Muitos pensam que seus benefícios são provenientes da alta concentração de ácidos não-saturados. Qualquer que seja o motivo, o óleo de rícino é utilizado em diversos cosméticos, produtos de higiene, remédios e, até mesmo tecidos.

Saiba tudo sobre o óleo de rícino, quais seus benefícios e quais são os cuidados necessários:

Quais os benefícios do óleo de rícino?

Há alguns séculos, o óleo de rícino é utilizado em tratamentos internos e externos em culturas que encontravam a mamona à sua disposição. Como ele possui a capacidade de fortalecer o sistema imunológico, sempre atribui-se seu efeito a diferentes tratamentos.

Entre as condições de saúde que utilizam o óleo de rícino como parte do tratamento, pode-se destacar a esclerose múltipla e o mal de Parkinson. Além disso, seu uso é conhecido em casos de paralisia cerebral e no alívio de dores de artrite e reumatismo. Muitos acreditam, ainda, que o óleo é capaz de diminuir a queda de cabelo.

Problemas de saúde menores, como infecção por fungos, constipação e problemas gastrointestinais também beneficiam-se do óleo de rícino. Alguns povos o atribuíam ao tratamento de problemas hormonais. É o caso de problemas com a menstruação, surgimento de acne e micoses variadas.

Outros, atribuem o uso do óleo de rícino ao tratamento de lesões leves e moderadas na pele. Por isso, utiliza-se o produto para tratar queimaduras, machucados na pele, inflamações e infecções leves.

Historicamente, parteiras utilizavam o produto para induzir a mulher a dar à luz com maior facilidade. Não se sabe se este efeito específico é real, e atualmente trata-se de uma prática relacionada à tradição local.

Leia mais:  Óleo de Coco: Benefícios e usos

Usos do óleo de rícino

oleo-de-ricino

Há diversas formas de utilização do produto. Seu potencial como anti-inflamatório, por exemplo, o torna um remédio natural para artrite. Neste caso, utiliza-se o óleo para fazer uma massagem que alivia as juntas, os nervos e os músculos inflamados.

Outro efeito conhecido do produto é seu forte efeito laxante. Por isso, ele é utilizado como um remédio para a constipação. Para esta finalidade, basta tomar uma colher de chá do óleo (ou misturá-la em uma bebida).

A presença do composto chamado ácido undecilênico torna o óleo de rícino ótimo para o tratamento de micoses. Seu efeito também pode ser aproveitado contra outros fungos.

Diversos estudos demonstram que o óleo de rícino funciona para o tratamento da pele em diversos aspectos. Em especial, destaca-se queimaduras de sol, esfolamentos, acne, pele ressecada, marcas do tempo e inflamações.

Outro uso comprovado do produto é para o tratamento de terçol. Neste caso, recomenda-se pingar o óleo diretamente no local afetado cerca de duas ou três vezes por dia.

Efeitos colaterais

Geralmente, o uso do óleo de rícino é bastante seguro, desde que feito com moderação. No entanto, mulheres grávidas e lactantes, ou pessoas com situações de saúde muito graves não devem utilizar o produto sem a recomendação de um médico.

É recomendada atenção especial toda vez que o produto for consumido oralmente. São raríssimos os casos em que se utiliza mais do que uma colher de chá do óleo em um único dia. A utilização exagerada de óleo de rícino pode causar irritações no trato digestivo, resultando em vômitos e diarreias.

Comentar

/* ]]> */