Nutrição

Ornitina favorece produção do hormônio do crescimento e a massa muscular

Siga nosso dia-a-dia no insta! Clique aqui para acessar nosso perfil.

O que é e para que serve?

A ornitina ou L-ornitina é um aminoácido não essencial que ajuda a incrementar a massa magra, reduzir a gordura corporal e melhorar a imunidade e a função do fígado, contribuindo para sua proteção.

Uma de suas características é atuar no ciclo da ureia, que é retirada dos aminoácidos e eliminada por meio da urina. Além disso, pode ser convertido em outro aminoácido, a L-arginina, e vice-versa.

Nosso organismo sintetiza quantidade suficiente de ornitina a partir de outros aminoácidos, sempre de acordo com sua necessidade. Mas esta substância pode ser consumida através de alimentos e suplementos, algo bastante procurado por quem deseja músculos maiores.

As fontes de ornitina são os alimentos de origem animal: carnes em geral, leite, ovos e derivados. Já suas versões manipuladas são encontradas em cápsulas, pós e comprimidos, sendo utilizadas sozinhas ou acompanhadas por outros aminoácidos.

A associação dos aminoácidos L-ornitina e L-taurina, por exemplo, dá origem a um produto capaz de substituir o sal de cozinha tradicional. É o sal ornitil-taurina, indicado para pacientes com restrições ao cloreto de sódio em países como o Japão.

A ornitina e o crescimento muscular…

Ao praticarmos atividades físicas, estimulamos a liberação do GH, o hormônio do crescimento. E quanto mais intenso o exercício, maior a quantidade dele. Lembrando que o GH é famoso por seu desempenho anabólico, potencializando a hipertrofia.

No ponto de vista da nutrição, a L-arginina vem sendo ligada ao aumento do nível de GH no plasma sanguíneo. Como ela faz isso? Provocando a redução da secreção de outro hormônio, a somatostatina, responsável por inibir o GH.

Portanto, com uma forcinha da L-arginina, é possível ter um estímulo melhor na produção do hormônio do crescimento, com elevação de sua quantidade no sangue.

Ok, mas o que isso tem a ver com a onitina? Para entender melhor, basta voltar ao ponto anterior em que falei que a L-arginina pode ser convertida em ornitina e vice-versa.

Cientificamente falando, L-ornitina é um aminoácido obtido pela hidrólise da L-arginina.

É correto afirmar que a prática esportiva intensa justifica a aplicação da arginina devido à sua participação na síntese de proteínas. Afinal, este aminoácido serve de substrato metabólico variado, produzindo diversos compostos ativos biologicamente, entre eles ornitina e o GH.

Então, fica fácil perceber que a presença da arginina está sempre ligada à presença de ornitina, e as duas desempenham papéis importantes no exercício.

Para ilustrar, eu cito pesquisa sobre a suplementação de ornitina que revelou a capacidade de aumentar a eficiência do consumo energético e da liberação de amônia. O aminoácido exerce um interessante efeito antifadiga.

Outro estudo revela que a suplementação de arginina e ornitina trouxe aumento significativo na produção de GH e IGF-1 (fator de crescimento parecido com a insulina 1) em atletas de força treinados durante três semanas.

Descobrir como os aminoácidos são importantes para nossa saúde e desenvolvimento físico é um roteiro cheio de curiosidades e achados fascinantes.

Ao perceber o perfil de um aminoácido em um suplemento proteico, por exemplo, muita gente talvez não dê muito valor ao termo L-ornitina HCL, pois não sabe os benefícios que ele pode proporcionar.

Ornitina é um dos poucos aminoácidos com função na produção hormonal do crescimento, e por isso é frequentemente empregado com objetivo de turbinar a massa muscular durante a redução da gordura acumulada no corpo.

Uma curiosidade extra para terminar… Quando você vir o prefixo “L” (latim – esquerda) por aí nos posts sobre aminoácidos, saiba que ele significa a estrutura em espiral da composição química da molécula. E que os chamados “L” aminoácidos são achados nos tecidos orgânicos, entre os quais estão as plantas e o tecido animal.

Até a próxima!

/* ]]> */