Nutrição

Benefícios do pau-doce ou uva-japonesa: sabor exótico com saúde

Seus frutos são ramificados e retorcidos, apresentando tom avermelhado; seu sabor é doce quando maduro, lembrando o gosto da maçã. É a uva-japonesa, também conhecida como pau-doce. Conheça agora seus principais benefícios e usos:

• Evitar ressaca – escapar dos efeitos desagradáveis das bebidas alcoólicas é uma das utilidades do pau-doce. A fruta é utilizada na medicina tradicional chinesa há séculos neste sentido, sendo que a Food Korean & Drug Administration incluiu a uva-japonesa (Hovenia dulcis) na lista de “substâncias” capazes de proteger o corpo do álcool.

O motivo de tudo isso é um produto químico natural que ela contém: ampelopsina ou dihydromyricetin, com direito a pesquisa citando o sumo da planta enquanto possível aliado contra as consequências adversas da ingestão do álcool, incluindo proteção do fígado de prejuízos decorrentes.

• Propriedades antivirais e anti-inflamatórias – a uva-japonesa é fonte de quercetina, uma substância que favorece o combate aos vírus e inflamações. Ela também age como broncodilatador, isto é, ajuda liberar histamina, além de ser utilizada no tratamento de fibromialgia e eczema.

A ação anti-inflamatória do pau-doce é sem dúvida uma das características mais notáveis da fruta. Diz-se que ela reduz até febre alta e tem bom desempenho enquanto antiespasmódico – fator fundamental no tratamento de disfunções gastrointestinais.

• Fonte de carboidratos – energia para o organismo; combustível para nosso cérebro, nervos, medula, células vermelhas, etc.

Fibras – boa parte do conteúdo de fibra na Hovenia dulcis é do tipo solúvel (9,66 g 100 g-1), inclusive com pectina em níveis acima dos achados na maioria das frutas consideradas ricas neste elemento, tais como damascos, maçãs, pêssegos e ameixas.

Vitamina C (ácido ascórbico) – está presente na uva-japonesa (4,25 mg 100 g-1). Esta vitamina hidrossolúvel participa da síntese de colágeno, proteína principal dos tecidos fibrosos; age como antioxidante, protegendo as células do envelhecimento precoce, e promove a resistência aos agentes infecciosos.

Proteínas – embora a uva-japonesa contenha somente 0,41 g 100 g-1 de proteínas e que as melhores fontes sejam de origem animal, a ingestão de proteína vegetal também oferece aminoácidos para a síntese proteica. O consumo deles é útil no fornecimento de energia, formação e manutenção dos tecidos, síntese de anticorpos, hormônios e enzimas.

Vantagens explicadas, mas afinal, como posso consumir essa frutinha tão exótica? Bem, a resposta é simples: ao natural ou em inúmeras receitas doces e salgadas. O pau-doce é ótimo para preparar uma calda, bolo, pães. Se você deseja um substituto para as famosas passas, fica a dica de sabor exótico!

E mais: a uva-japonesa tem alto teor de açúcar (glucose, frutose e sacarose). Se você espremer um segmento dela entre os dedos, sentirá a densidade do melado.

Uma ideia de consumo é obter o suco do pau-doce com ajuda de uma centrífuga e levar o líquido ao fogo para que ele vire uma deliciosa calda. A fruta seca, por sua vez, pode ser triturada e substituir tranquilamente o açúcar em diversas receitas, inclusive nas massas de bolos.

A parte comestível do fruto é o pedúnculo suculento, espessado, de cor alaranjada, interior crocante e película marrom.

Para aproveitar a uva-japonesa, descarte suas bolinhas secas com sementes e lave bem os pedúnculos comestíveis, deixando-os de molho em solução desinfetante de verduras. Em seguida, enxágue a fruta em água corrente.

Assim, você pode saborear o pau-doce ao natural, nas saladas, tortas, salpicão, acompanhando pedaços de frango assado, entre outros preparos.

Hovenia dulcis é originária de regiões montanhosas da China, mas logo seu cultivo cresceu pelo Japão, Coreia e Índia. No Brasil, a planta é cresce bem especialmente nas regiões Sudeste e Sul. No entanto, não é uma espécie muito conhecida ou valorizada comercialmente.

Muitas vezes o pau-doce cresce nas áreas urbanas das cidades, atingindo uma altura que torna difícil a colheita. Melhor desse modo, afinal, não é aconselhável consumir o fruto antes de ele chegar ao chão, pois é tânico e adstringente enquanto não amadurece.

Gostosa, diferente e com diversos benefícios para a saúde. É a uva-japonesa. E você, já provou a fruta?

Até a próxima!

/* ]]> */