Exercícios Saúde

Pliometria: mais rendimento, velocidade e explosão nos treinos

Pliometria

Alongar a musculatura e, em seguida, fazer uma rápida contração é uma sequência que faz parte dos exercícios da pliometria. O método junta saltos e lançamentos, movimentos cíclicos de alongamento e encurtamento. A ideia é potencializar o uso dos músculos, com foco em explosão e velocidade.

O termo pliometria serve para descrever o método capaz de aplicar o que os fisiologistas chamam “ciclo estiramento-encurtamento”. Tudo porque nossa musculatura conta com uma certa elasticidade – e, ao ser esticado, todo elástico volta rapidamente para sua posição original.

Então, depois disso, quando as fibras musculares sofrem uma breve contração, o movimento fica mais explosivo. O resultado é ganho em velocidade, força e potência.

Para entender melhor como funciona a pliometria, imagine que seus músculos são molas. E faça um teste fácil: agache e fique assim durante alguns segundos; dê um pulinho e volte à posição de leve agachamento, saltando logo em seguida. Você notará que o segundo salto foi bem mais alto e exigiu menos força.

Cientificamente falando, isso acontece porque usamos a energia cinética da contração, somada ao potencial de tensão elástica do retorno do movimento. A consequência é o aumento na capacidade total de produzir força.

A pliometria é muito aproveitada por atletas para melhorar o desempenho, isto é, permitir que a musculatura e demais estruturas atuantes estejam mais preparadas para alterações repentinas de deslocamento ou otimizar os saltos, entre outros benefícios.

Esse tipo de exercício também é empregado na fisioterapia, inclusive em casos de rompimento do ligamento cruzado anterior.

Na verdade, existem várias maneiras de realizar esse treino, incluindo o trabalho para membros superiores – com flexões, medicine ball e barras livres, por exemplo.

Mas é bom ir com calma, controlar a ansiedade em relação aos resultados, pois a evolução nos membros superiores é bem mais gradual do que a das pernas.

Entendendo a pliometria, seus usos e vantagens

A corrida é uma sequência de pulos, portanto, nada melhor do que um trabalho com pliometria para turbinar o desempenho na corrida e reduzir os tempos.

Geralmente, os exercícios podem ser incluídos na rotina da academia duas vezes por semana. Os profissionais da musculação ou instrutores de corrida analisam o que é melhor para cada caso.

A pliometria pode ser simples. Mas não se engane, é cansativa, e deve ser feita com bom preparo muscular. Sempre começando com exercícios de menor intensidade para preparar as articulações, músculos, tendões e ligamentos.

Quem faz atividade física para perder peso também pode contar com a pliometria. O método atrasa a fadiga muscular nos pulos, o que é essencial para quem pratica exercícios aeróbios com intuito de emagrecer.

Orientações para uma prática segura da pliometria:

  • Deve ser executada por alunos avançados, uma vez que requer força e coordenação muscular.
  • É importante aprender aterrissar antes de fazer pulos grandes, para que os músculos das pernas – e não os ligamentos dos joelhos – absorvam a carga.
  • Pratique sempre em solo firme.
  • Periodize o treino, pois a pliometria, embora muito eficiente, não deve ser realizada durante longo período devido sua alta intensidade e, por consequência, maiores riscos de lesão.
  • Nunca deixe de aquecer antes dos exercícios.
  • Mantenha a concentração. As atividades podem parecer fáceis e até divertidas, mas necessitam de foco como qualquer outra.
  • Atividades para membros inferiores os exercícios podem ser realizadas em progressão, unilateralmente ou nas duas pernas, com ou sem materiais.
  • Fazer alongamento depois da prática também está entre os cuidados com as articulações, assim como o aquecimento.

Somente um educador físico, fisioterapeuta ou outro profissional habilitado pode indicar treinos e corrigir exercícios.

Mas espero que as informações de hoje sobre pliometria possam ajudar você a conhecer um pouco a respeito do método e tirar proveito dele.

Bom treino! Até a próxima…

/* ]]> */