Doenças Pele Saúde

Psoríase: saiba o que é e como tratar

Siga nosso dia-a-dia no insta! Clique aqui para acessar nosso perfil.

Ultimamente, as pessoas estão cada vez mais interessadas em cuidar da saúde da pele. Buscam os mais diversos tratamentos para obter os melhores resultados. No entanto, precisamos ficar mais atentas a alguns problemas que agridem a pele. como a psoríase.

Apesar de pouco falada, a psoríase é uma doença de pele muito comum, porém, pouco discutida. A falta de informação atrapalha no tratamento, que pode ser mais simples do que você imagina.

Separamos aqui algumas informações que podem ser úteis para você:

O que é a psoríase?

É uma doença hereditária, autoimune e crônica, ou seja, não tem cura, mas tem tratamento. Segundo cientistas, o sistema imunológico é ativado por engano nas células cutâneas e o aumento do crescimento delas provoca a descamação da pele.

Aparecem lesões escamosas, normalmente, em placas e manchas avermelhadas na pele. Essas lesões aparecem, geralmente, nas mãos, pés, cotovelos, joelhos, unhas e até na genitália. Além de o histórico familiar contar bastante, a psoríase atinge principalmente pessoas entre 20 e 50 anos de idade. A genética é responsável pelo diagnóstico de 40% dos casos.

psoriaz-2

Quais os tipos?

Placas

É o tipo mais comum da doença. Tem tamanhos variados e cor avermelhada, além de escamação seca que surge principalmente nos cotovelos e couro cabeludo.

Pustulosa

É um tipo raro que causa manchas em diversas partes do corpo. Desenvolvem-se através de bolhas de pus que aparecem após as manchas avermelhadas. Esse tipo pode causar febre e calafrios.

Gutata

Como o próprio nome – que vem do latim – já diz, ela tem formato de gota e são pequenas lesões que normalmente aparecem no tronco, braços, couro cabeludo e pernas. Ela atinge crianças e jovens de até 30 anos de idade e se desenvolve através de infecções virais ou doenças respiratórias.

Flexural ou inversa

Esse tipo atinge locais mais úmidos do corpo onde formam dobras, como ao redor da área genital, embaixo dos seios e virilhas. Esse tipo pode causar maior irritação ou inflamação, caso haja aumento de calor nessas regiões.

Eritrodérmica

É o tipo menos comum e com lesões mais graves, podendo atingir 75% do corpo.

Quais são os sintomas?

Os sintomas podem ser os mais variados, porque existem diversos tipos de psoríase. Pode ser identificada através de sintomas como pele ressecada, rachada, coceira, inchaços e rigidez nas articulações, manchas vermelhas ou esbranquiçadas, descamação da pele e queimação.

Leia também: Pitiríase Versicolor: saiba como tratar

É doença contagiosa?

É uma doença autoimune, não contagiosa e nem passa através do compartilhamento de objetos ou roupas.

O que pode agravar a doença?

É importante lembrar que, por ser uma doença imunológica, ela se manifesta de acordo com as reações do seu organismo e com as suas emoções. O estresse e a má alimentação são agravantes em potencial para a psoríase.
Procure ter uma boa alimentação, boas horas de sono e o costume de praticar exercícios físicos.

Pode tomar sol?

Ao contrário do que muitos pensam, quem tem psoríase pode sim tomar sol, respeitando os limites, é claro! É recomendável que tome sol antes das 10 horas e depois das 17 horas.

Deve atentar-se ao uso de protetor solar fator 30 nas áreas não atingidas pela psoríase e hidratantes corporais nas lesões – vaselina é um ótimo aliado ao tratamento e hidratação. O tempo de exposição ao sol é de 10 a 15 minutos. Caso haja vermelhidão excessiva pela exposição ao sol, procure um dermatologista para melhor orientação.

Essa doença tem tratamento?

Como já dita, psoríase não tem cura, mas tem tratamento que, se seguido à risca, tem total êxito. Por ser emocional, a resposta ao tratamento varia de pessoa para pessoa. Os tratamentos mais comuns são com:

Pomadas

Pomada dermatologicamente desenvolvida para esse tipo de doença. Consiste na aplicação direta na lesão.

Imunossupressores

Agem no sistema imunológico, impedindo que organismo ataque a si próprio.

Medicamentos biológicos

Moléculas com tecnologia da engenharia genética produzidos especialmente para tratamento de doenças autoimunes. São indicados em último caso, quando os demais tratamentos não surtem efeito.

O tempo de tratamento em cada paciente varia muito. É necessário que você procure um profissional capacitado para lhe orientar e indicar o melhor tratamento. Não use remédios e pomadas sem prescrição médica.

Comentar

/* ]]> */