Beleza Cabelos

Relaxamento Capilar: saiba mais sobre o tratamento para cacheados e crespos

Siga nosso dia-a-dia no insta! Clique aqui para acessar nosso perfil.

Cachos difíceis de domar e volumão “bagunçado”?! Se você tem cabelos cacheados ou crespos, já deve ter passado, pelo menos uma vez na vida, por essa situação. Em alguns casos, mesmo usando os produtos certos e cuidando dos fios como nunca, esses problemas nunca vão embora e deixam o visual um tanto para baixo na frente do espelho.

Por isso, muitas pessoas têm apostado no famoso relaxamento capilar para deixar os fios mais disciplinados e, portanto, os cachos mais definidos e no seu devido lugar. Muito provavelmente, você já deve ter ouvido falar desse tratamento, seja através de uma revista, site, no salão de beleza ou até mesmo por uma amiga, recomendado para “solucionar” esses problemas em cabelos tipo 3 e 4 (cacheados e crespos), mas nunca soube, de fato, do que ele se trata.

Afinal, o que é o relaxamento capilar? Ele serve para alisar o cabelo? Faz mal ou bem aos fios? No artigo de hoje, você vai saber melhor o que é, para que serve e quais os prós e contras desse tratamento para as nossas madeixas. Então, se você é uma cacheada ou crespa que ama cuidar dos seus cachos, não deixe de me acompanhar nos próximos parágrafos. Vem comigo que eu te conto tudo!

O que é e para que serve o relaxamento capilar?

O relaxamento capilar nada mais é que um tratamento químico ideal para cabelos cacheados ou crespos, que tem o intuito de alisar os fios completamente ou apenas “relaxar” ou “abrir” mais os cachos, deixando-os mais disciplinados e definidos, além de controlar o volume excessivo.

A primeira curiosidade interessante é que os produtos de relaxamento capilar são os mais antigos do mercado e, portanto, a origem de praticamente todos os alisantes que você conhece atualmente. A segunda é que o nome “relaxamento” vem do produto original, proveniente dos Estados Unidos, chamado Relaxer.

O procedimento é feito à base de tioglicolato de amônia, guanidina, hidróxido de sódio, hidróxido de cálcio, hidróxido de potássio e hidróxido de lítio, que são substâncias registradas e aprovadas para uso capilar pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Todas elas agem alterando a estrutura capilar, deixando a haste dos fios mais maleável, conferindo menos volume, mais definição e, o melhor, mais brilho. No entanto, cada uma dessas substâncias devem ser aplicadas no cabelo de acordo com o seu pH, assim como o respectivo tipo de fio. Como assim? É simples!

No caso de quem tem cabelos tingidos, por exemplo, os alisantes mais indicados são aqueles que trabalham com o pH baixo, como é o caso do ácido glioxílico ou a carbocisteína. Isso porque o pH mais baixo abre menos a cutícula, o que quer dizer que a chance de alteração da tintura ou fratura da haste será menor.

A seguir, você vai entender melhor quais as substâncias químicas alisadoras são recomendadas para cada situação e tipo de cabelo.

Tipos de químicas usadas no relaxamento capilar

Como falamos anteriormente, o relaxamento capilar pode ser feito a partir de vários tipos de químicas, ou seja, de diferentes substâncias alisadoras. A escolha de qual deverá ser aplicada no cabelo dependerá da situação e tipo capilar, como você vai conferir a seguir:

  • Ácido glioxílico ou a carbocisteína: Devido ao seu pH baixo, é ideal para alisar ou “relaxar” cabelos tingidos. Isso porque o pH menor fará com que a chance de alteração da tintura ou fratura da haste seja menor.
  • Guanidina: Apesar de estar entre os tipos de químicas mais comuns, merece mais atenção na hora de usar. Isso porque essa substância pode ser incompatível com várias outras substâncias encontradas em outros produtos capilares, como é o caso da amônia, por exemplo. Esta a química é mais indicada para cabelos crespos, afros e fios mais rebeldes.
  • Tioglicolato de etanolamina: Orelaxamento capilar feito com esta substância química é mais recomendado para mulheres com ondas nos fios e que desejam um alisamento menos intenso. Como é mais leve, não costuma trazer bons resultados em cabelos crespos ou muito rebeldes.
  • Hidróxido de sódio e cálcio: O hidróxido de sódio e cálcio é uma química pouquíssima usada por ser muito agressiva. Por isso, ela só deve ser utilizada por um profissional experiente e não pode ser aplicada em qualquer cabelo, como é o caso de fios com tinturas, por exemplo. A combinação de ambos os processos pode levar ao corte químico.
  • Tioglicolato de amônia: Bastante utilizada, essa química é pouco indicada para quem já tem química no cabelo, pois os fios precisam estar bem saudáveis para que não sofram danos e, ao contrário disso, tenham melhores resultados. Ela ajuda a relaxar e depois reestruturar o fio. Outra vantagem do tioglicolato de amônia, diferente das demais opções acima, é que o cheiro não é forte.

Benefícios

Dentre os principais benefícios do relaxamento capilar para cabelos cacheados ou crespos, podemos citar:

  1. Redução do volume de cabelos cacheados ou crespos sem fazê-los perder o “balanço natural”;
  2. É menos agressivo e danoso que o alisamento;
  3. Mantém as ondas naturais do cabelo, apenas controlando o volume e diminuindo o “frizz”;
  4. Por ter a possibilidade de ser feito com várias formas de ativos, entre amônia e sódio, pode trazer resultados variados, o que vai depender exclusivamente do efeito desejado;
  5. Define e “solta” os cachos, deixando-os mais definidos e, ainda, com mais brilho.

Cuidados antes e depois do procedimento

Por mais benéfico que o relaxamento capilar seja para cabelos cacheados e crespos, ele se trata de um tipo de tratamento químico e, sendo assim, merece os mesmos cuidados especiais antes e depois da aplicação nas nossas madeixas.

O primeiro deles é utilizar produtos de qualidade para evitar danos aos fios. O segundo, e não menos importante, é procurar um profissional de beleza, com experiência e proficiência com os elementos químicos, para fazer a aplicação correta no cabelo, visando o resultado que você deseja, seja este o de alisar completamente os cachos ou apenas deixá-los mais soltos, definidos e com menos volume.

Sabendo disso, você pode evitar o alisamento excessivo (no caso de quem não quer acabar com os cachos), além do temido corte químico, que nada mais é que a destruição química da fibra, que faz com que os fios sejam “cortados”, como se fosse por uma tesoura.

Depois disso, basta seguir algumas recomendações antes e depois de realizar o procedimento nas suas madeixas, que incluem:

Antes

  • Faça uma hidratação profunda nos seus cabelos alguns dias antes da aplicação;
  • Não lave os cabelos antes de fazer o procedimento, pois a oleosidade natural dos fios ajudará a proteger seu couro cabeludo. O ideal é que você fique, pelo menos, 3 dias sem lavar o cabelo;
  • Antes de aplicar o produto, realize um teste de resistência nos fios. Aplique o produto em uma pequena mecha para testar a reação dos seus cabelos.

Depois

  • Faça hidratações nos cabelos semanalmente, com um produto de qualidade, especialmente nas primeiras semanas após a realização do relaxamento.
  • Invista em reconstruções capilares para tratar os fios fazendo uma reposição de massa capilar.

Como fazer relaxamento capilar?

Por ser feito através de produtos químicos, a recomendação é que o relaxamento capilar seja feito em um salão de beleza com um cabeleireiro capacitado e treinado. Isso porque a utilização errada desses produtos pode trazer diversos danos ao cabelo, podendo provocar até mesmo queda dos fios.

Por isso, nada de inventar de realizar o procedimento em casa e sozinha, ok?! Além disso, o primeiro passo antes de fazer o relaxamento é aplicar o produto em algumas mechas, para ver qual produto se adapta melhor ao fio e, ainda, se há algum desconforto ou reação alérgica no couro cabeludo.

Depois, o procedimento é feito com os fios sem lavagem. O produto é aplicado nos cabelos secos e deve ficar agindo por cerca de 20 minutos. Em seguida, os fios são enxaguados e neutralizados, além de receberem tratamento adequado, como uma hidratação.

Quanto tempo dura no cabelo?

O efeito do relaxamento capilar no cabelo pode durar até 4 meses, o que vai variar de cabelo para cabelo. Vale lembrar que o relaxamento trata-se de química forte e, portanto, é necessário dar um tempo entre uma sessão e outra.

Jamais repita o tratamento na mesma semana, mesmo se acreditar que o seu cabelo é forte, pois isso pode gerar sérios danos à fibra capilar, como é o caso do corte químico. Evite também deixar o produto agir no cabelo mais que o tempo indicado nas instruções. Converse com o seu cabeleireiro!

Efeitos colaterais e contraindicações

Pessoas que possuem outros tipos de químicas nos cabelos antes de realizar o relaxamento capilar devem fazer um teste de resistência dos fios antes de fazer o procedimento para evitar fios quebradiços ou até a sua perda. Mulheres grávidas devem evitar esse tipo de tratamento capilar, já que as químicas usadas podem afetar sua saúde e a do bebê.

Além disso, como o relaxamento lida com produtos químicos, qualquer erro em sua aplicação pode trazer uma série de malefícios e danos ao cabelo, podendo provocar até mesmo queda ou o corte químico. Sendo assim, opte por fazê-lo sempre em um salão de beleza, com um profissional de beleza experiente no assunto, ok?!

Gostou do artigo? Você já fez ou pretende fazer o relaxamento capilar? Então, deixe um comentário aqui embaixo contando para a gente…

Até a próxima!

/* ]]> */