Sexo

Sexo sem camisinha: conheça os prós e os contras da prática

Sexo sem camisinha

Quando o assunto é sexo seguro, não dá para negligenciar a importância da camisinha.

Método contraceptivo mais utilizado pelos casais e importante aliada na prevenção de doenças sexualmente transmissíveis (DST’s), ainda hoje, a camisinha levanta uma série de perguntas quanto aos prós e contras do seu uso.

Os maiores questionamentos vêm da ideia de que a camisinha interfere na excitação e prazer masculino e em alguns casos, feminino. Mas será que isso é mesmo verdade? Existem vantagens de fazer sexo sem camisinha? E você sabe elencar quais os riscos e contras do sexo sem proteção?

Leia este post e esclareça todas as suas dúvidas sobre o assunto!

Sexo com camisinha reduz a sensibilidade e a excitação? Mito ou verdade?

Você provavelmente já ouviu alguém dizer que fazer sexo com preservativo é como “chupar bala com papel”.

Essa expressão surgiu da ideia de que o uso da camisinha reduz a sensibilidade durante o sexo, e consequentemente, a excitação e o prazer.

A verdade é que isso não passa de um mito. Especialistas afirmam que os preservativos são desenvolvidos com material e tecnologia para que sejam similares a uma segunda pele, permitindo que ambos os parceiros sintam prazer.

Além disso, para os mais incrédulos, diversas marcas de camisinha desenvolveram linhas que favorecem ainda mais a sensibilidade durante o sexo, com produtos hipersensíveis e ultrafinos.

Portanto, a sensação de que o sexo é mais prazeroso sem camisinha é puramente psicológica e não possui nenhuma relação com o preservativo em si. A dica é experimentar diversas marcas e tipos até encontrar uma camisinha que se adeque ao casal.

Então, se a redução da sensibilidade era um motivo para não usar camisinha, você pode voltar a usar o preservativo tranquilamente, até porque abrir mão dele pode trazer diversos riscos para a sua saúde, como veremos a seguir.

Os riscos do sexo sem camisinha

Os riscos do sexo sem proteção não são novidade. E o maior deles é que o sexo sem camisinha aumenta muito as chances de se contrair DST´s, inclusive a AIDS, elevando a probabilidade de contágio.

Além das DST’s, vale salientar que a região genital – tanto dos homens como das mulheres – é rica em microrganismos e bactérias e a troca de fluídos durante uma relação sexual sem preservativo pode trazer alguns desconfortos posteriormente, como prurido, irritação, corrimentos, etc.

Também é importante ressaltar que o sexo sem camisinha não evita uma possível gravidez caso a mulher não esteja usando outro método contraceptivo, como DIU, pílula anticoncepcional, entre outros.

O fato é que não é de hoje que se fala da importância do sexo seguro. Segundo dados do Ministério da Saúde, 95% da população sabe que a camisinha é o modo mais eficiente de não contrair o vírus da AIDS, além de outras DST’s e gravidez indesejada.

No entanto, em contradição, pesquisas revelam que mais da metade dos brasileiros não utilizam camisinha.

O estudo da Gentis Panel, divulgado no ano passado pela Revista Saúde, entrevistou 2 mil brasileiros em todas as regiões do país e apontou resultados alarmantes: 52% dos entrevistados admitiram que nunca ou raramente usam preservativos, 10% utilizam às vezes e apenas 37% sem protegem sempre ou com frequência.

As vantagens do sexo com camisinha

Como vimos, o sexo sem camisinha pode trazer diversos riscos para a saúde e o uso do preservativo apresenta muitas vantagens.

Uma das principais vantagens da camisinha é que ela é um excelente método contraceptivo. Para ter uma ideia, uma mulher saudável que possui uma vida sexual ativa apresenta cerca de 20% de chance de engravidar por mês. O uso da camisinha – quando utilizada corretamente – reduz essa taxa a 2%, ou seja, sua efetividade é de cerca de 98%.

Essa efetividade também se dá na prevenção e combate ao contágio de diversas DST’s, inclusive a AIDS, além de impedir a troca de fluidos, microrganismos e bactérias.

Já é comprovado que em termos de sensibilidade, excitação e prazer, não há perda no uso da camisinha. E ela ainda apresenta uma vantagem, muitos preservativos já vem lubrificados a fim de facilitar a penetração durante o sexo.

Por fim, podemos concluir que o sexo sem camisinha só deve ser feito por casais que desejam engravidar, ou que tenham uma relação sólida, com muita confiança, conversa, honestidade e comprometimento. E nestes casos, é imprescindível que o casal faça exames periódicos a fim de garantir a segurança do sexo sem proteção.

Já em relações casuais, o sexo sem preservativo não é recomendado, pois favorece o contágio de AIDS e outras DST’s, além de aumentar as chances de uma gravidez indesejada, ou seja, é um ato de irresponsabilidade com você e com seu parceiro.

Portanto, pense bem antes de fazer sexo sem camisinha, pondere os riscos, o tipo de relação e de parceiro que você tem.

E se você optar por usar preservativo nas suas relações (por sinal, a decisão mais acertada), veja nosso post sobre as melhores marcas de camisinha!

/* ]]> */