Maternidade

Sling: saiba como usar e como escolher

Siga nosso dia-a-dia no insta! Clique aqui para acessar nosso perfil.

O bebê recém-nascido é como um ímã para a mãe. A vontade é se transformar numa espécie de canguru humano para levar o bebê sempre com a gente. Ainda mais no caso das mães de primeira viagem.

O sling é uma opção muito prática para levar o bebê junto ao corpo e poder fazer os serviços de casa, dar um passeio ou até mesmo para acalmar o pequeno. Assim, é possível estar junto ao bebê sem ficar com os braços doloridos por carregá-lo no colo por muito tempo.

Neste post você vai saber o que é esse acessório, como ele surgiu, quais são os tipos que existem e como escolher o mais adequado para você.

E então, o que é o sling?

O sling é um acessório de pano utilizado para auxiliar a mãe que quer carregar seu bebê sem cansar os braços. Por ser um carregador não estruturado, ele permite que o bebê se aconchegue com mais facilidade, ergonomicamente e trazendo mais conforto para a mãe também.

Ele é muito prático e pode ser usado com bebês recém-nascidos e também com bebês maiores, suportando até 20kg, dependendo do tipo de tecido e modelo.

A palavra sling vem do inglês e significa tipoia, ou uma rede usada para transportar pessoas. Uma das vantagens do uso do sling é conseguir manter o bebê junto ao corpo da mãe, fazendo com que entre eles haja troca de calor, fortalecimento do vínculo, e claro, muito carinho.

Segundo a teoria da extero gestação, os primeiros meses de vida são responsáveis pela adaptação do bebê à vida fora do útero, numa espécie de gestação fora da barriga, que requer cuidados especiais e atenção redobrada para que o bebê fique seguro e se desenvolva da melhor maneira possível. Neste artigo você pode ler mais sobre isso.

Como surgiu o sling?

O sling é um acessório que está presente na tradição de várias culturas da humanidade: indígenas, africanas, asiáticas e indu-americanas.

Em muitas dessas culturas, inclusive, não há cólicas, pois como o bebê está sempre junto à mãe, diminuindo o desconforto que o bebê sente nos primeiros meses de vida, para se adaptar ao ambiente.

Quais são os tipos de sling?

Existem vários tipos de slings, com modelos, tecidos e funções diferentes.

Wrap Sling:

O sling tipo wrap é uma faixa grande de tecido, com tamanhos que variam de 5 a 8 metros. O tipo de tecido do wrap sling pode ser de malha de algodão ou de sarja cruzada e cada um deles possui características específicas.

A malha de algodão é muito boa, porém possui uma limitação de peso, pois ela vai cedendo. A sarja é muito resistente, pois ela estica apenas no sentido diagonal, então ela mantém a amarração por mais tempo. Este texto explica muito detalhadamente cada tipo de tecido para sling.

Esse tipo de sling possui uma grande vantagem: ele distribui o peso do bebê nas costas da mãe de maneira equilibrada. Isso faz com que ele seja a opção mais confortável para ambos.

Existem variações de como carregar o bebê com o wrap sling porque cada amarração é mais adequada para uma coisa. Neste vídeo aqui, você pode aprender como usar o wrap sling com recém-nascido.

Sling de Argola:

O sling de argola é muito mais fácil de usar, porque ele não precisa de uma amarração completa como a do modelo wrap. O tecido do sling de argola é um pouco menor, com cerca de 2 metros de comprimento, e possui duas argolas em uma das pontas. Para usá-lo é preciso colocá-lo como uma bolsa transversal.

Apesar da praticidade, este modelo concentra o peso em um dos ombros, então não é indicado para longos períodos.

Neste vídeo aqui, você aprende a usá-lo na posição mais comum.

Pouch Sling:

Usado na mesma posição que o sling de argola, o sling tipo pouch é um tecido que possui uma emenda formando uma espécie de bolsa lateral. A praticidade é uma vantagem, porém ele ainda sobrecarrega um dos ombros, como o sling de argola.

Geralmente, este tipo de sling é feito sob medida, encomendado diretamente com a artesã ou fabricante. Isso faz com que a peça possa ser personalizada com estampas mais criativas.

Mei Tai:

Esse tipo de sling inspirado nos carregadores japoneses tradicionais. É semelhante a uma mochila, onde o bebê fica sentado como se fosse numa cadeirinha.

Ele distribui bem o peso do bebê nas costas da mãe, além de ser ergonômico para o bebê. Não é indicado para recém-nascidos, pois é necessário que o bebê já consiga segurar a cabeça firmemente.

Canguru:

O canguru é muito parecido com o Mei Tai, no entanto ele possui uma diferença importante: nele as pernas do bebê ficam penduradas, porque o apoio ao corpo dele é feito com um formato parecido com o da fralda.

Esse modelo nem sempre é ergonômico para o bebê, pois além de ser incômodo (imagina ficar pendurado pela virilha?) ele também não favorece a circulação sanguínea.

Como escolher o sling certo para mim?

Não existe o sling perfeito, mas existe o sling mais adequado para você. E isso depende de vários fatores que é importante considerar:

  • problemas na coluna: se você já apresenta algum problema ortopédico, as melhores opções são o tipo wrap e mai tai, pois eles distribuem mais o peso do bebê, mas consulte seu médico antes de decidir;
  • quem vai usar o sling: se o sling será usado por você e mais outras pessoas, é melhor evitar modelos feitos sob medida, como o pouch;
  • paciência conta: o modelo wrap exige o mínimo de disposição para aprender as amarrações, mas não é algo complicado;
  • praticidade também conta: os modelos mais práticos são o de argola, pouch e mai tai, pois não necessitam de muitos ajustes.

 

O sling pode ser um grande aliado nos primeiros anos de vida do bebê. Basta saber escolher a opção que mais combina com seu estilo de vida. E aí, conseguiu decidir?

Enquanto você pensa mais um pouco, veja este artigo sobre dores no corpo que são comuns no pós-parto.

/* ]]> */