Maternidade

Sono do Bebê: um guia imperdível para a mãe de primeira viagem

Siga nosso dia-a-dia no insta! Clique aqui para acessar nosso perfil.

Um dos principais desafios na vida da mãe de primeira viagem é saber lidar com o sono do bebê. A dificuldade de acalmá-lo e construir uma rotina de sono acontece porque os pequenos não nascem sabendo dormir.

Pois é, algo tão fácil para nós na vida adulta, principalmente quando estamos muito cansados é uma tremenda novidade para eles. E ensiná-los a dormir é possível quando aprendemos algumas dicas.

Neste artigo, você aprenderá mais sobre os ciclos do sono dos bebês, quanto eles costumam dormir em cada fase do primeiro ano de vida, além de ótimas dicas para organizar essa rotina!

Saiba também sobre o método da cama compartilhada aqui.

Como é o sono do bebê?

Ainda dentro da barriga da mãe, o bebê tirava suas sonecas constantemente, não havia horário para nada: o alimento vinha pelo cordão umbilical e quando o cansaço vinha era só fechar os olhos.

Os primeiros meses de vida são chamados de extero gestação, porque o bebê ainda está se acostumando a tantas novidades: respirar fora da bariga da mãe de maneira ritmada, mamar quando sente fome e sede, sentir o estômago e o intestino trabalhando, e também, dormir quando se sente cansado.

Muitos adultos sentem dificuldade para dormir, mesmo sabendo muito bem que para dormir é preciso relaxar. Agora, imagine como é difícil para o bebê, que ainda não tem total controle sobre seu estado de alerta, seus movimentos e, ainda por cima, está desenvolvendo seu sistema nervoso para lidar com tudo isso?

Pois é, antes de qualquer coisa entenda: ele precisa de sua ajuda para aprender a relaxar e descansar.

O ciclo de sono dos bebês:

O sono é muito importante para o bebê porque é durante esse tempo que o corpo reúne energia para o desenvolvimento e o crescimento do bebê.

Em cada fase do desenvolvimento do bebê, o sono é de uma forma. No início ele dorme mais e de maneira desregulada, passando a criar uma rotina de sono conforme o tempo for passando e as condições favoráveis são apresentadas para ele.

O ciclo de sono do bebê dura em torno de 60 minutos e podendo chegar a 90 minutos nos primeiros anos de vida e até a 120 minutos na vida a adulta. Ou seja: uma soneca revigorante que realmente descansa o bebê, deve ter 60 minutos, no mínimo.

Cada ciclo de sono do bebê possui suas fases:

  • sono leve: é quando o bebê está quieto, com a respiração regular e calma;
  • sono profundo: é o estágio do chamado sono REM (rápidos movimentos dos olhos em inglês), no qual o bebê apresenta atividade corporal, pode emitir sons e expressões faciais variada, os olhos se movimentam mesmo estando fechados e a respiração pode ficar irregular; nesta fase ocorrem os sonhos;
  • transição: é um estado misto entre o sono REM e o leve.

Sabe quando você adormece o bebê, ele dá aquele sorrisinho com os olhos fechados e você leva ele ao berço e ele acorda na hora?

Isso acontece porque ele ainda não atingiu o sono profundo, provavelmente ainda está no período de transição. Tente esperar mais 20 ou 30 minutos, até que ele esteja totalmente relaxado e respirando regularmente antes de levá-lo ao berço.

Seu bebê está com o sono agitado, se mexendo muito, gemendo ou fazendo outros sons?

Se ele não estiver chutando muito ou incomodado por conta das cólicas, e neste caso ele acorda chorando, não se preocupe: ele está na fase REM do sono e provavelmente está num sonho cheio de aventuras!

O bebê passa por vários ciclos de sono durante a noite, podendo acordar para mamar em cada um deles ou a cada dois ou três ciclos de sono. Com o tempo, o ideal e que ele consiga passar de um ciclo para outro sem ficar desperto durante a noite.

Veja este artigo: Teoria da extero gestação: 10 dicas essenciais para acalmar o bebê nos primeiros meses.

Quanto tempo dura o sono do bebê?

Cada bebê possui suas características próprias, então o tempo de sono pode variar de um bebê para o outro. Mães de mais de um filho costumam perceber essas diferenças.

No entanto, há um certo padrão que pode ser percebido conforme a fase de vida do bebê. Esse padrão é relacionado ao sono e ao desenvolvimento do bebê, pois os dois estão intimamente ligados.

Aqui há informações resumidas sobre o sono do bebê em cada fase da vida até 1 ano de idade:

1ª semana de vida:

Nesse primeiro período o bebê dorme de 12 a 18 horas por dia. Ele está se recuperando do incrível momento do nascimento e se adequando à vida fora do útero, então não há padrões de sono. Ele pode ficar acordado até 2 horas para as mamadas.

1 mês:

Permita que ele durma o quanto precisar para que possa se desenvolver. Os períodos de sono podem durar de 3 a 4 horas, então aproveite estes momentos par dormir também. Pode ser que ele não durma longos períodos durante a noite. Esteja preparada.

2 meses:

Ele começa a se interessar mais por brinquedos e objetos, principalmente os mais coloridos. É hora de preparar um ambiente livre de estímulos para que ele consiga dormir. A tendência é que os maiores períodos de sono sejam no início da noite. Se ele não tiver cólicas, pode dormir de 4 a 6 horas.

Crie uma rotina de brincadeiras para ele antes dos períodos de soneca. Fique atenta aos sinais de cansaço e coloque-o para dormir assim que eles aparecerem. De manhã quando ele acordar, espere pelo menos 1 horas para fazê-lo dormir novamente.

3 a 4 meses:

Neste período o bebê tende a dormir por mais tempo à noite. Coloque-o para dormir antes que ele fique cansado e irritado. Capriche no ambiente de sono, com um ambiente calmo e silencioso para que ele possa descansar mais facilmente.

4 a 8 meses:

Bebês acordam cedo: aceita que é melhor. Não adianta colocá-lo para dormir mais tarde ou dar uma refeição mais pesada à noite.

À noite a hora de dormir varia das 18 às 20 horas. O que determina essa variação é o cansaço da criança.

O bebê ainda pode acordar 5 ou 6 horas depois para mamar e acordar novamente às 4 ou 5 horas da manhã para uma segunda mamada. Isso pode variar de uma criança para a outra. Principalmente em caso de cólicas.

Hora da soneca:

Depois que o bebê acorda de manhã, aguarde de 3 a 4 horas para adormece-lo novamente. O ritual do sono: meia hora antes do período de soneca coloque-o em ambiente tranquilo. A soneca deve durar cerca de 1 hora, para restaurar totalmente o cansaço.

No início o bebê tira de 2 a 3 sonecas de 1 hora durante o dia, porque o bebê está passando por tantas transformações e desenvolvimentos em seu corpo, que se cansa rápido e precisa recobrar as energias.

9 meses a 1 ano de idade:

Nesse período eles já não precisam mais da terceira soneca do final da tarde, ficam bem com duas sonecas de 1 hora e meia cada, mais ou menos.

Rotina boa para as sonecas: ele geralmente acorda às 6 ou 7 da manhã, então a primeira soneca será às 9 horas, a segunda até as 14 horas (para não atrapalhar o sono da noite), e finalmente, ele dorme à noite das 18 às 20 horas.

Por que meu bebê troca o dia pela noite?

O que faz você dormir à noite? O cansaço, você vai responder. Pois é, mas não é apenas isso. Para dormir, os adultos utilizam um sensor de luz e escuridão que se localiza no cérebro e auxilia a criar a rotina de sono por meio de hormônios, a cada 24 horas. Ele se chama ritmo circadiano.

O recém nascido ainda não possui o ritmo circadiano desenvolvido. É por isso que ele acorda várias vezes à noite para se alimentar e ser cuidado!

O bebê começa a desenvolver o sensor de luz e escuridão para criar um ritmo de sono mais padronizado quando nasce, porém esse sensor amadurece completamente lá para o terceiro mês de vida. Esse período pode variar de um bebê para outro.

Então poderei dormir tranquila depois que meu bebê fizer três meses? Não, você nunca mais vai dormir tranquila agora que é mãe.

Brincadeiras à parte, é importante entender que o sono do bebê começa a se alinhar ao seu a partir dos três meses de vida. Mas isso leva tempo. E muita paciência.

Atenção: vacinas e remédios dão sono no bebê:

Alguns acontecimentos podem alterar a rotina de sono do bebê, pois o deixam sonolento.

O paracetamol pode deixar a criança um pouco mais sonolenta que o normal. Sempre leia a bula atentamente para saber as reações adversas e contra-indicações dos medicamente, além de sempre consultar um profissional da área.

A reação à vacinas, no entanto é o maior causador de sonolência na criança. Isso acontece porque a vacina geralmente é uma versão enfraquecida do vírus ou bactéria causadora das doenças.

Mesmo com uma versão mais branda, o bebê utiliza toda a capacidade do seu corpo para produzir uma defesa e, neste caso, pode apresentar sonolência.

Sempre monitore a temperatura corporal de seu filho após a vacinação. Também peça orientação ao profissional que aplica a vacina sobre outros efeitos específicos de cada vacina.

Dicas de como organizar o sono do bebê:

Agora que já entendemos que o bebê não dorme igual aos adultos e que leva tempo para aprender a dormir e também desenvolver a parte do cérebro que permite regular o sono, podemos entender melhor ações que podem ajudar a lidar com o processo e até, em alguns casos, desenvolvê-lo mais cedo.

Cuidado com o efeito vulcânico:

Você já deve ter ouvido alguém falar sobre um bebê que não consegue relaxar para dormir, que luta contra o sono, não é? Pois bem, esse bebê lutar contra o sono, com toda a força que ele ainda dispõe é o chamado efeito vulcânico.

A principal causa desse efeito é o bebê não conseguir tirar suas merecidas e necessárias sonecas durante o dia. Isso mesmo: se o bebê não tira as sonecas de 1 hora, pelo menos, durante o dia para completar seu ciclo de sono e poder descansar bem para uma nova bateria de interação social e resposta aos estímulos, ele não vai conseguir dormir bem à noite.

Isso acontece porque o bebê se cansa rápido, seu nível de desenvolvimento neurológico não permite que ele passe muito tempo sem dormir. É como se fosse uma pressão que o bebê sente e o deixa cansado, irritado. Como ele ainda não sabe dormir sozinho, ele deve ser ninado quando apresenta os sinais de cansaço. Porém, se a soneca que ele tira não é suficiente para que ele se recupere, isso faz com que a pressão continue ao longo do dia.

Até que chega o final da tarde, entre as 17 e as 18 horas. É o chamado horário da bruxa, porque os bebês tendem a ficar muito irritados e chorosos. Eles se comportam assim porque estão exaustos, não conseguem se concentrar em nada e o pior de tudo: não sabem ainda como descansar!

Quanto mais cansado e privado do sono estiver o bebê, mais é difícil acalmá-lo no fim do dia. Sabe por que? Porque ele fica estressado. Isso mesmo, estresse não é só coisa de adulto.

Quando o corpo fica privado do sono e do descanso, o cérebro produz o cortisol, hormônio responsável pelo estado de alerta, que já foi muito útil no tempo dos homens das cavernas. Esse hormônio deixa o bebê tão irritado e esgotado que ele literalmente luta contra o sono com todas as forças que ainda restam e não conseguindo mais conter seu estresse, ele entra em erupção como um vulcão.

E o pior: o efeito é cumulativo. Se o bebê lutar contra o sono diariamente, isso significa que ele virará um vulcão em erupção cada vez mais rápido, porque o corpo aprende a lidar dessa forma como resposta ao cansaço de maneira cada vez mais eficiente, digamos assim.

Saiba se o bebê está cansado:

Uma das ações preventivas ao efeito do vulcão é aprender a reconhecer os sinais de sono que seu bebê passa quando ele está cansado. E o mais importante: colocar ele para descansar quando ele estiver apresentando os primeiros sinais do sono.

Possíveis sinais de sono: coçar os olhos, puxar o cabelo e as orelhas, ficar choroso, gritar, etc.

Observe seu bebê e descubra a maneira como ele tenta se comunicar com você. Para saber mais sobre isso, leia também este artigo sobre vínculo materno e comunicação com o bebê.

Não deixe o bebê chorando:

Depois de entender mais sobre o sono do bebê, já dá para ter uma ideia dos danos emocionais e de desenvolvimento que deixar o bebê chorando podem causar, não é?

Pois saiba que tem mais: deixar o bebê chorando só agrava o problema, pois a sensação de desamparo e abandono que ele sente vai liberar cada vez mais cortisol. Resultado a longo prazo: dificuldade de lidar com obstáculos, estresse diante de situações simples do cotidiano, insegurança e falta de autoconfiança.

Lembre-se sempre: seu bebê está aprendendo a dormir. Ele precisa do seu apoio e acolhimento para aprender. Ele não está tentando manipular você, ele está pedindo ajuda.

Crie um ambiente para o sono:

Sempre escurecer  quarto à noite é um ótima estratégia para que ele aprenda a diferenciar o dia da noite. Procure fazer um ninho para que ele fique mais aconchegado nos primeiros dias.

Os barulhos também não ajudam: caso não dê para evitar um ou outro barulho, tente colocar um música ambiente. Existem vídeos no YouTube com trilhas específicas para o relaxamento. Mas, caso você tenha algum disco preferido, use.

Durante o dia, deixe a casa iluminada e não cesure nenhum barulho. Deixe que o bebê seja estimulado pelo ambiente dele.

Crie uma rotina de sono:

A rotina de sono é essencial. Observe seu bebê e perceba os sinais de cansaço para introduzir cada soneca durante o dia. Crie um ritual que você possa repetir toda  a vez que ele for dormir, assim o bebê fica acostumado e começa a entender melhor o que está acontecendo.

Aproveite esse momento para curtir seu bebê, mesmo que esteja cansada, lembre-se que esse período vai passar e que esses momentos são fundamentais para fortalecer o laço entre vocês.

 

O sono do bebê pode ser um ótimo pretexto para curtir o seu bebê e aproveitar esse momento incrível que é o crescimento do seu filho! Neste artigo aqui, veja 7 conselhos para mães de primeira viagem!

E se gostou do texto, compartilhe com as mães de primeira viagem que você conhece!

 

Fonte: Soluções para noites sem choro.

 

 

/* ]]> */