Maternidade

Ultrassom: saiba aqui quais são os tipos que você deve fazer

Siga nosso dia-a-dia no insta! Clique aqui para acessar nosso perfil.

A ultrassonografia é um dos exames mais esperados pela nova gestante. É por meio dele que é possível ouvir o coração do bebê bater pela primeira vez, saber o sexo do bebê, além de obter informações muito importantes para o acompanhamento do pré-natal.

Neste artigo você vai saber quais são os tipos de ultrassonografias que fará em cada período de gestação e qual a função de cada uma delas.

O que é o ultrassom?

O exame de ultrassonografia é feito por meio de ondas sonoras.

O aparelho emite essas ondas de alta frequência, que ao entrar em contato com o corpo da gestante e do bebê, produzem um eco, que é lido pelo aparelho e convertido em imagem.  Esse exame também pode ser chamado de ecografia, por utilizar o eco.

Os aparelhos mais modernos emitem ondas de frequência mais alta e como resultado, eles obtêm uma imagem mais nítida.

Nós não conseguimos ouvir o som que o aparelho emite, porque nossa capacidade auditiva não consegue captar as altas frequências do equipamento.

Tipos de ultrassom em cada fase da gestação:

Primeiro trimestre:

Se você acaba de descobrir que está grávida, é muito provável que o médico fará um requerimento de ultrassonografia transvaginal, logo nas primeiras semanas.

A ultrassonografia transvaginal é um tipo de ultrassom em que o aparelho é inserido na vagina para projetar a imagem do útero.

Esse exame permite que se tenha outra referência para calcular a data prevista do parto.

Geralmente a data prevista do parto é calculada pela data da última menstruação, no entanto, o primeiro exame de ultrassom possui uma precisão bem grande quanto à idade gestacional do embrião.

Essa precisão acontece porque quando estão bem no início, as gestações costumam ser muito parecidas. As maiores variações nos estágios de desenvolvimento ocorrem a partir do terceiro mês de gestação.

Outras informações que podem ser coletadas no primeiro ultrassom:

  • quantidade de embriões: se é uma gravidez de um ou mais bebês;
  • sinais vitais: batimentos cardíacos e movimentação do embrião;
  • saco gestacional: a localização do embrião, para saber se é uma gestação normal ou ectópica, que é quando o saco gestacional está fora do útero;
  • colo do útero: se o colo está devidamente fechado;
  • corpo lúteo: confirmar a presença do corpo lúteo, que é responsável pela produção hormonal que mantém a gravidez em andamento, até quando a placenta é produzida e assume essa tarefa.

Segundo trimestre:

Neste estágio, o ultrassom é feito para acompanhar o desenvolvimento do bebê. Pode ser feito transvaginal ou com o aparelho direto na barriga, depende do equipamento do local e da indicação médica.

O principal objetivo deste ultrassom é fazer a chamada translucência nucal, que é realizada da 11ª até a 14ª semana, além de outros fatores:

  • sinais vitais: movimentação e batimentos cardíacos do feto;
  • posição do veto no útero: se está cefálico (de cabeça para baixo) ou pélvico (sentado);
  • biometria fetal: faz uma medição do feto, analisa a possibilidade de síndrome de down e outras anomalias cromossômicas, por meio da análise da quantidade de líquido na nuca dele, que deve ser menos do que 2,5 mm;
  • placenta: localização da fixação da placenta no útero, veja mais informações sobre a placenta aqui;
  • líquido amniótico: quantidade de líquido presente no útero;
  • idade gestacional: estimativa de qual é o estágio de desenvolvimento da gravidez.

Veja ainda: 3 curiosidades sobre a placenta que vão te surpreender!

Terceiro trimestre:

Esse é o tão esperado ultrassom morfológico. É o mais detalhado que é feito durante a gestação em relação à anatomia do bebê.

Nele, serão observados problemas de má formação, se existirem. E também é o tão esperado momento de saber o sexo do bebê. Na grande maioria dos casos é possível identificar nesse exame.

É realizado entre a 20ª e a 24ª semana de gestação.

Quarto trimestre:

Ultrassom 3D ou 4D geralmente são realizados nessa fase, por volta da 34ª semana. Essa modalidade de ultrassom pode avaliar má formação na face, como lábio leporino, por exemplo.

Também é uma oportunidade para saciar a ansiedade de ver o bebê, pois as imagens são mais detalhadas e é possível ver o rostinho.

 

Ultrassom com doppler ou Dopplervelocimetria:

Esse tipo de exame é utilizado para observar a circulação sanguínea na barriga da mãe para saber se o bebê está recebendo os nutrientes e oxigênio suficientes.

Essa avaliação pode ser feita em todas as ultrassonografias ou apenas quando o médico indicar, caso haja necessidade.

 

O acompanhamento do desenvolvimento da gestação é fundamental, pois através dele é possível detectar problemas de saúde ou má formação no bebê. Nestes casos o diagnóstico feito mais cedo pode garantir que os tratamentos e intervenções médicas possam minimizar os riscos do bebê e da mãe.

E aí, está preparada para o parto? Estes 9 vídeos de parto normal vão te emocionar!

/* ]]> */