Flores

Wistéria ou glicínia: trepadeira possui grande valor ornamental

Wistéria é um gênero botânico popularmente chamado de glicínia, e pertencente à família Fabaceae, das leguminosas. É um tipo associado à recuperação do prazer sexual, à suavidade, quando utilizado em floral da Austrália, por exemplo.

Este produto feito com wistéria é indicado para quem não está confortável com a própria sexualidade, especialmente para aqueles que ficam tão tensos com o sexo que perdem a capacidade de apreciar o ato.

A essência de wistéria geralmente tem relação com as mulheres, porém, pode ser utilizada pelos homens também. No geral, serve para as pessoas que não conseguem relaxar ou têm medo de intimidade.

Existem muitas espécies de wistéria, entre as quais podemos destacar: Brachybotrys, Floribunda (wistéria japonesa), Frutescens (wistéria americana), Japônica, Macrostachya (wistéria do Kentucky), Sinensis (wistéria chinesa), Venusta (wistéria de seda) e Villosa.

As mais frequentes no paisagismo são a Wisteria Sinensis, a Floribunda ou multijuga e a Wisteria Macrostachya.

Tanto sucesso não é à toa. A Floribunda, para você ter uma ideia, tem provavelmente o florescimento mais sensacional da família wistéria. Suas flores podem ser brancas, rosas, azuis ou violetas; enquanto seus cachos chegam a impressionantes 45 cm de comprimento. Nada mal!

Saiba mais sobre glicínia ou wistéria

Glicínia significa “ternura”. Estas elegantes trepadeiras possuem enorme valor ornamental. Suas inflorescências são longas, em forma de pêndulos, repletas de numerosas flores e agradavelmente perfumadas. Porém, nem todas as espécies de wistéria possuem perfume.

Desenvolvem-se e florescem bem quando cultivadas diretamente ao sol. Podem até crescer em sobra parcial, mas neste caso suas flores são menores ou sequer aparecem.

A wistéria aprecia o frio, sendo perfeita para cultivo em lugares de clima subtropical ou mediterrâneo. Em áreas mais quentes, ela pode ser produzida, mas sem o mesmo desempenho.

As folhas das wistérias são alternas com 15/35 cm de comprimento; já suas flores são dispostas em cachos pendentes e produzidas normalmente nas cores roxa, violeta, rosa ou branca.

Existem cerca de 10 espécies de trepadeiras lenhosas de escalada, nativas do Japão, Coreia, China e leste dos Estados Unidos.

As glicínias conseguem atingir até cerca de 20 metros acima do solo e crescer 10 metros lateralmente. A maior wistéria de que se tem notícia no mundo está localizada na Sierra Madre, Califórnia, com peso de 250 toneladas e mais de 1 acre de tamanho.

É importante não deixar de regar a glicínia, especialmente nas fases de crescimento e floração, que mudam conforme o clima e a região em que ela está plantada.

Solo muito seco pode atrapalhar os resultados, sendo indicado um terreno fértil, úmido e bem-drenado para conseguir belas wistérias.

A reprodução da wistéria é por sementes ou estacas. E como seu crescimento é considerável, sua poda é essencial, ou não haverá espaço adequado para garantir uma floração abundante.

A planta pode ser colocada em jardins ou varandas, sempre em vasos largos ou caixas capazes de aguentar o desenvolvimento de suas raízes. Há, ainda, quem cultive a glicínia como bonsai, dependendo das podas que ela receber.

Que tal criar um belo túnel de wistéria no seu jardim para deixar moradores e visitantes encantados? É uma trepadeira de incrível valor ornamental e que também proporciona uma viagem pelos sentidos, com aroma, beleza, paz e serenidade.

Antes de terminar, entretanto, não posso deixar de destacar que as sementes da glicínia são produzidas em vagens que lembram às do Laburnum – e são tão venenosas quanto estas.

Atenção! A glicínia é uma planta tóxica e deve ficar longe do alcance de crianças pequenas e animais domésticos.

Com os cuidados certos, você tem uma excelente dica para compor ambientes com a graça e a leveza da wistéria.

Até o próximo post!

/* ]]> */