Plantas Medicinais Saúde

Yohimbe: conheça a planta usada para combater impotência sexual

Yohimbe

Yohimbe é uma planta originária da África do Sul. Seu uso inicial sempre foi associado ao tratamento de condições como febre, tosse e lepra. Mas, no século XIX, missionários alemães descobriram uma função nova para ela, a de afrodisíaco.

Então, os estudos sobre a yohimbe começaram a ser feitos com mais critério em busca de respostas e comprovações sobre seus componentes químicos, entre os quais o destaque é a ioimbina. Este alcaloide promove a expansão dos vasos sanguíneos, inclusive nos órgãos genitais.

Ao longo do tempo, pesquisas realizadas pela indústria farmacêutica passaram a isolar e sintetizar a ioimbina, utilizando o composto como remédio no combate à impotência sexual.

Atualmente, a yohimbe vem sendo usada principalmente para aumentar a libido de homens e mulheres, graças à sua capacidade vasodilatadora natural. Ou seja, ela estimula o aumento do fluxo sanguíneo, auxiliando especialmente em casos de disfunção erétil e melhora da duração da ereção.

Diz-se inclusive que, antes do surgimento do viagra, muitos costumavam tomar chá feito do extrato da casca da árvore com intuito de reverter dificuldades no campo sexual. Com a vantagem de não precisar recorrer a fármacos muitas vezes cheios de efeitos colaterais fortes.

Mas existem outras formas de aproveitamento da yohimbe

O ganho de massa muscular seria uma delas. Relatos indicam que a ingestão da planta pode favorecer a hipertrofia porque ela seria capaz de agilizar a recuperação pós-treino, além de impulsionar a disposição física, turbinando o desempenho durante a prática de exercícios.

Outra vantagem do consumo de yohimbe seria a perda de peso. A alegação dos fabricantes de suplementos é que a planta ajuda a perder gordura localizada, inclusive aquela difícil de eliminar mesmo com atividade física intensa, que fica depositada no abdômen, coxas, pernas e glúteos.

Há relato de estudo clínico com 20 mulheres obesas submetidas a dieta de 1000 calorias por dia durante 3 semanas, sendo que 10 delas receberam ioimbina, enquanto as demais tomaram placebo. A conclusão: as que tomaram ioimbina perderam uma média de 3,55 quilos; já no grupo do placebo, essa média foi de 2,21 quilos a menos.

Os resultados podem ser animadores, porém, é necessário fazer mais pesquisas para de fato atribuir à yohimbe a função de emagrecedora. Também é preciso levar em conta os efeitos adversos que, em algumas situações, podem ser perigosos.

É bom lembrar que é fundamental o acompanhamento especializado, a supervisão profissional ao administrar ervas em nossa dieta. As plantas medicinais também podem ter contraindicações, efeitos colaterais e interações medicamentosas.

O conteúdo deste post tem função de informar. Apenas um nutricionista ou médico pode prescrever dietas e fazer alterações importantes na alimentação, de acordo com a situação específica de cada pessoa.

Possíveis efeitos colaterais da planta yohimbe

  • Aceleração nos batimentos cardíacos
  • Ansiedade
  • Ataque cardíaco
  • Aumento da pressão arterial
  • Cefaleia
  • Convulsões
  • Dificuldade para respirar
  • Dor de estômago
  • Edemas
  • Insônia
  • Insuficiência renal
  • Morte
  • Náuseas
  • Paralisia
  • Queda acentuada da pressão arterial
  • Reações alérgicas
  • Tontura
  • Tremores
  • Vômito

Quem não deve consumir yohimbe

Em geral, crianças, lactantes, gestantes, pessoas com tendência a hemorragias, homens com problema de próstata e indivíduos com doenças no fígado não devem ingerir yohimbe.

Pessoas com alterações na pressão arterial (alta ou baixa), cardíacos, diabéticos, doentes renais e pacientes com quadro depressivo também têm contraindicação quanto à ingestão da planta.

E mais: quem está prestes a passar por uma cirurgia e faz uso de yohimbe deve parar de consumir a planta no mínimo duas semanas antes da intervenção.

A conclusão à qual podemos chegar é a seguinte: a yohimbe parece trazer benefícios, sim, mas ainda requer mais estudos, para que suas propriedades sejam confirmadas. Portanto, só consuma a planta se houver realmente muita necessidade – e recomendação médica.

Cuide-se! Até a próxima…

/* ]]> */