Remédios Saúde

Alopatia: saiba tudo sobre o tradicional método para curar doenças

Chamada também de medicina tradicional, a alopatia é o tipo de terapia que utiliza medicação específica para o tratamento de doenças. Aliás, nesse tipo de tratamento, não existem outras alternativas. Entenda mais sobre esse tipo de terapia e de onde ela surgiu.

Desde a antiguidade, os tratamentos alopáticos existem e vem durando até os dias atuais. Mesmo com o surgimento de outros tipos de tratamentos para as doenças, a alopatia ainda é a mais utilizada.

Alguns acreditam que essa força vem das grandes indústrias de remédios que brigam pelo poder econômico a cada ano. Lançando inclusive centenas de medicamentos para as mais diversas doenças.

Você que está lendo esse artigo, provavelmente faz uso da alopatia quando tem alguma doença, mesmo sem saber. Mas será que ela é eficaz? Como se dão esses tratamentos? Vamos entender mais sobre esse assunto? Acompanhe!

O que é a alopatia e como ela funciona?

A alopatia é um modo terapêutico, onde as doenças são tratadas com remédios. O principal objetivo desse tipo de medicina é tratar as patologias proporcionando a elas efeitos contrários do que elas produzem.

Esse tipo de medicina é a mais comum no mundo todo, mesmo com tantas culturas diferentes.

Állospáthos em grego quer dizer alopatia. Onde Állos significa outro e páthos quer dizer sofrimento.



Quem introduziu o termo e o denominou dessa maneira foi um médico muito conceituado chamado Christian Friedrich Samuel Hahnemann, fundador inclusive da Homeopatia.

Ele determinou inclusive que qualquer tipo de tratamento de cura que não fosse homeopático fosse chamado de alopatia.

Algumas práticas exercidas por profissionais da medicina que não fosse homeopática era chamada de alopática.

Os medicamentos utilizados nesse tipo de prática médica sempre estão no limite da toxicidade e sempre provocam efeitos colaterais diversos em seus usuários. Por isso, fazer uso de medicamento na alopatia deve ser supervisionado e indicado por um Médico especializado.

Afinal, quais são as diferenças entre a homeopatia e a alopatia?

Existem algumas diferenças importantes entre a alopatia e a homeopatia e é muito importante que você entenda antes de começar qualquer tratamento.

A alopatia como você pode conhecer é um método de cura, cujo principal método é o de administrar medicamentos que causem reações adversas ao que a doença causa.

Esses medicamentos na maioria das vezes provocam efeitos colaterais muitas vezes desagradáveis.

Já a homeopatia é um tipo de tratamento que utiliza medicamentos que estimulam o organismo a reagir contra os males causados pelas doenças.

Os métodos utilizados pela homeopatia são bem menos agressivos e dificilmente possuem efeitos colaterais. Inclusive, a dose administrada ao doente é mínima, isso quer dizer que os efeitos tóxicos quase nem aparecem.

Alguns pais preferem esse tipo de tratamento para os seus filhos, por ser menos agressivo.

Como são feitas as preparações desses medicamentos?

Por serem métodos diferentes, a preparação de seus medicamentos também são, por isso que existem laboratórios e farmácias homeopáticas.

Os métodos alopáticos utilizam medicamentos preparados com altas doses de princípio ativo, quase na margem do limite da toxicidade, provocando o desaparecimento dos sintomas com mais rapidez, porém provocando muitos efeitos colaterais.

A produção desses medicamentos é feita com a utilização de produtos na maioria das vezes sintéticos.

Já os métodos homeopáticos vão contra esse tipo de produção. Os medicamentos utilizados na homeopatia possuem os mesmos princípios ativos, porém muito mais diluídos e naturais.

Pacientes portadores de doenças hepáticas devem consultar um médico antes de utilizar qualquer tipo de medicação homeopática, pois elas podem ser prejudiciais, já que a base principal de diluição do princípio ativo é o álcool.

Os medicamentos alopáticos também podem ser prejudiciais. Fique atento as recomendações.

Existem alguns médicos que fazem a junção da alopatia com a homeopatia, uma terapia complementa a outra. Pense nisso também! As duas podem se complementar.

A dica é que você entenda a sua doença antes de tomar qualquer medicação que você acha que dê certo.

Existem contraindicações para o uso da alopatia?

Dezenas de pesquisas são feitas o tempo inteiro sobre a eficácia dos medicamentos alopáticos. O que se sabe é que a maioria deles causam diversos tipos de efeitos colaterais e não existe nenhum que sejam isentos deles.

Pessoas muito sensíveis podem ter algumas restrições com relação a medicação utilizada na alopatia.

Dois textos importantes publicados no Journal of the American Medical Association dos Estados Unidos trouxe a tona um tema muito importante que é o aumento da morbidade e mortalidade entre os pacientes que fazem uso de medicação alopática nos hospitais dos quais estão internados.

Este alto índice deve-se principalmente aos diversos efeitos colaterais que esses medicamentos produzem.

Se você pensar bem esses dados são alarmantes, pois a partir deles é possível concluir que nem todas as pessoas podem ser tratadas com alopatia, pois a morte pode vir antes do tempo.

Alguns profissionais inclusive já estão optando pela medicina integrativa, onde associa os tratamentos alopáticos com os homeopáticos.

Quais são os tipos de medicamentos na alopatia?

Os medicamentos alopáticos possuem a função de produzir o efeito contrário aos sintomas das doenças.

Esses medicamentos alopáticos são produzidos por indústrias gigantescas e em larga escala. São utilizadas algumas matérias primas importantes na produção destes medicamentos e essas fontes podem ser animais, sintéticas, minerais ou vegetais.

Os tipos mais comuns de remédios alopáticos são:

  • Analgésicos;
  • Antitérmicos;
  • Antidepressivos;
  • Antiespasmódicos;
  • Antidepressivos;
  • Descongestionantes.

São diversos tipos, mas o objetivo de suas funções são praticamente as mesmas que é promover o efeito contrário dos sintomas das doenças.

O que é o medicamento genérico?

O medicamento genérico é muito utilizado na alopatia. Ele é um produto mais barato e com os mesmos princípios ativos do que um que tenha marca.

A diferença entre os medicamentos de marca e os medicamentos genéricos está nos nomes deles, um deles tem um nome fantasia e o outro não.

Ele se torna mais barato, porque os seus fabricantes não possuem mais a necessidade de investir em pesquisas, pois elas já foram feitas pelos grandes fabricantes.

Segundo a legislação, um medicamento genérico não pode apresentar nem nome fantasia, nome de referência e muito menos marca. Esses medicamentos podem apresentar apenas o nome do princípio ativo.

Videos do nosso Canal no Youtube

Sobre o autor

Redação Tudo Ela

Site focado em publicar conteúdo atual e interessante sobre o universo feminino. Fazemos curadoria e pesquisamos dicas úteis para o dia-a-dia da mulher moderna. Saiba mais sobre nós.

/* ]]> */