Maternidade

Andador infantil é recomendado? Confira prós e contras

O andador infantil é uma das primeiras alternativas que vêm na cabeça quando o bebê está naquela fase dos primeiros passos. Mas, entre os especialistas, mães e pais, esse acessório causa muita polêmica. Há quem defenda seu uso com o argumento de que facilita o cotidiano dos cuidados com o bebê e há quem atente para questões de segurança em relação a ele.

Diante de tantas opiniões diferentes, resolvemos trazer algumas informações de especialistas de diferentes áreas, que trabalham com o cuidado e a saúde do bebê. Dessa forma, você pode avaliar melhor se o uso do andador é uma opção viável para você e sua família.

Nós já fizemos uma outra matéria aqui no Blog sobre andadores. Lá você pode encontrar alternativas ao uso deste acessório. Confira:

1. O andador pode ser bom para você, mas não é bom para seu bebê

Quem disse isso foi a apresentadora do programa Supernanny, pedagoga e escritora argentina Cris Polis em seu canal no YouTube. Entre os argumentos da especialista, está a questão do desenvolvimento dos músculos das pernas do bebê. Com o uso do andador, a musculatura fica prejudicada porque o pequeno não precisa fazer muita força para andar.

Apesar de facilitar a lida com o bebê, especialmente numa rotina corrida e cheia de afazeres, o andador pode ser substituído por outras formas de estímulos.

Veja mais:

2. O andador é relativamente perigoso

Essa é a opinião do Pedriatra e Homeopata, Dr Moises Chencinski. No programa Manhã Gazeta, o doutor explica os riscos envolvidos no uso do andador. Segundo o pediatra “nos Estados Unidos eles recebem em prontos-socorros de 15 a 20 mil crianças por ano acidentadas por causa disso”. Há riscos de batidas e quedas. Algumas crianças se jogam para trás ou caem de escadas. Essa situação exige uma atenção especial durante o uso do andador.



3. O andador é perigoso e desnecessário

A Sociedade Brasileira de Pediatria é firme em seu posicionamento. Conforme nota divulgada pela organização de profissionais especializados, o andador dá uma liberdade e uma independência muito grandes para um bebê ainda em desenvolvimento. Embora o acessório impeça quedas normais dos primeiros passos do bebê, pode facilitar outros acidantes mais graves. Queimaduras, intoxicações ou afogamentos são riscos reais para o bebê que usa o andador sem supervisão. O andador promove uma maior mobilidade para o bebê, que pode atingir uma velocidade perigosa. Essa agilidade pode, ainda, dificultar a supervisão dos adultos.

4. O andador não atrasa o desenvolvimento do bebê

Segundo uma pesquisa publicada da Revista Brasileira de Fisioterapia em 2011, o andador não prejudica o bebê em relação a aprender a andar. O estudo fez um levantamento com 14 crianças que usaram andador e compararam com outras 12 que não usaram. De acordo com os artigo científico:

“Até o momento, as evidências científicas disponíveis informam que o uso do andador infantil não atrasa a idade de aquisição da marcha da criança, apesar de a Associação Americana de Pediatria não reconhecer seus benefícios e preconizar a proibição de seu uso”.

5. Não foram evidenciados efeitos negativos do uso desse equipamento

A pesquisa de Paula Silva de Carvalho Chagas de 2010, não detectou diferenças significativas no desenvolvimento de bebês que usaram ou não o andador. Em sua tese de doutorado aprovada pela Universidade Federal de Minas Gerais, Paula explica:

“Os resultados desse estudo contribuem para mudanças na prática clínica em relação à opinião sobre os efeitos do uso do AI (andador infantil) na aquisição da marcha independente em lactentes, podendo contribuir para mudanças na tomada de decisões clínicas quanto à indicação desse equipamento”.

 

Como você pode perceber, ainda há muita discordância em relação ao uso do andador infantil e seus efeitos sobre o desenvolvimento da criança. Ao mesmo tempo que há pesquisas que afirmam que o equipamento não prejudica o desenvolvimento do bebê, não existem dados confiáveis no Brasil sobre a quantidade de acidentes envolvendo bebês que usam andadores.

Mesmo que as evidências científicas indiquem que ele não atrapalha o desenvolvimento, não sabemos muito sobre o número de acidentes causados por seu uso no Brasil.  De acordo com o Sistema de Vigilância de Violência e Acidentes, a queda é uma das maiores causas de ferimentos graves e mortalidade de crianças no país. Esses dados, no entanto, não apresentam informações sobre o uso de andadores durante os acidentes. Por causa disso, não é possível afirmar com certeza que o andador oferece risco.

De qualquer maneira, se você escolher usar o andador infantil no cotidiano do seu bebê, dê atenção especial a escadas, degraus e outros riscos de acidentes.

O que você acha? Vai usar o andador com seu bebê ou não? Compartilhe nas redes sociais esse post e escreva sua opinião! E não esquece de marcar a nossa página, tá?

Videos do nosso Canal no Youtube

Sobre o autor

Mariana Mendes

/* ]]> */