Curiosidades

Bocejo: Entenda este processo contagioso

Bocejo

O bocejo é algo que todos fazemos, e sabemos que possui algo relacionado ao cansaço. No entanto, diferente da apneia do sono, o bocejo é algo sobre o que os pesquisadores ainda não possuem certeza sobre o significado.

Isso não quer dizer que não sabemos absolutamente nada a respeito do assunto. Há alguns fatos que já são sabidos sobre o bocejo. Saiba quais são, e entenda o que já é um consenso sobre esta prática (verdadeiramente) contagiosa:

Bocejos são verdadeiramente contagiosos

É verdade. Estudos demonstram que cerca de 50% das pessoas bocejam ao assistir vídeos de outras pessoas bocejando. Na verdade, isso acontece até mesmo entre outros animais. Em 2004, um estudo observou a natureza de replicação de bocejos entre macacos, chimpanzés e babuínos.

Ainda mais impressionante é a atitude dos cães. Eles sentem-se compelidos a bocejaram até mesmo quando veem seus donos soltando um bocejo! Algumas vezes, até mesmo pensar sobre ou ler sobre o bocejo pode estimular as pessoas. Por isso, não sinta vergonha por querer bocejar agora mesmo.

Na realidade, esta reação não é tão estranho. Segundo o psiquiatra e neuro-cientista da Universidade de Maryland, nos EUA, Robert Provine, há diversas reações humanas que são consideradas “contagiosas”.

É o caso, por exemplo, das gargalhadas. Estamos mais suscetíveis a gargalhar quando outras pessoas também estão fazendo isso. Segundo o pesquisador, o “contágio” do bocejo é um fenômeno essencialmente social.

O bocejo é mais contagiante entre amigos

Nem todo mundo “contagia” você com um bocejo. De acordo com uma pesquisa de 2012, os bocejos são mais contagiosos à medida que os envolvidos são mais próximos. Pesquisadores descobriram que esta ligação emocional gera, por algum motivo, um maior nível de empatia. O resultado é a maior possibilidade de replicar o bocejo de quem conhecemos melhor.



O bocejo pode ser indicativo de algo mais sério

Geralmente, bocejos não são o primeiro sintoma da algo sério. No entanto, a prática em excesso pode, em alguns casos, dizer que a algo de errado em relação aos hábitos de sono. Em algumas pessoas, o excesso de bocejos pode ser indicativos de problemas nervosos.

Em alguns casos raros, pode ser um indicativo de problema cardíaco, ou, até mesmo, de problemas neurológicos.

Fetos também bocejam

Ninguém sabe exatamente o porquê, mas fetos também são capazes de bocejar. Um estudo de 2012, realizado com tecnologia 4D, foi capaz de demonstrar que há distinções entre a simples abertura do boca de um feto e um bocejo. Este mesmo estudo demonstrou que as duas situações ocorrem com certa frequência dentro do útero. Muitos acreditam que este seja um indicativo do desenvolvimento adequado do cérebro.

O bocejo médio dura 6 segundos

Não há resultados conclusivos de grandes pesquisas sobre o assunto. Na verdade, não é uma informação necessariamente relevante, mas é uma curiosidade interessante. A duração média dos bocejos é de 6 segundos.

Durante o período, a taxa de batimentos cardíacos aumenta significativamente. Um estudo de 2012 demonstrou que a quantidade de mudanças fisiológicas de um bocejo é singular. Não se pode, por exemplo, simular os mesmo efeitos no corpo ao respirar profundamente ou fingir bocejar.

Videos do nosso Canal no Youtube

Sobre o autor

Pedro Henrique Ferreira Mendes

/* ]]> */