Organização

Bullet Journal: saiba tudo sobre um dos diários mais fofos do mundo

O método Bullet Journal é um sistema analógico de organização pessoal em plena era digital. Ele foi desenvolvido por Ryder Caroll e você só precisará de papel e caneta para começar esse diário que incentiva a sua criatividade e permite personalizá-lo ao seu gosto.

Aprender este método é muito fácil, então, se você é apaixonado por listas, com certeza não se satisfeito ao utilizar agendas comuns, não é mesmo? Afinal, elas nos prendem a um calendário específico. Não há, por exemplo, uma opção para aproveitar um dia perdido no qual você não tenha tarefas ou afazeres.

Todos nós temos que trabalhar, de modo que o ser humano está, em certa media, “condenado” a se organizar para aproveitar ao máximo o tempo disponível. Tendemos a listar uma infinidade de coisas.

É assim que nossa cabeça funciona: Tarefas que fizemos, tarefas pendentes a serem feitas, coisas que nos inspiram, etc. Além disso, há muitas coisas que não queremos deixar ir.

O sistema Bullet Journal nos permite lembrar o passado, organizar o presente e planejar o futuro por meio da confecção de listas. A chave para o sucesso dessa metodologia é tentar levar o diário sempre consigo ou, pelo menos, estar com ele sempre à mão.

O que é um Bullet Journal?

O Bullet Journal é uma metodologia rápida, flexível e totalmente customizável que se adapta completamente às suas necessidades organizativas. A primeira decisão a tomar consiste em definir se você usará um diário por ano ou por semestre. De modo geral, as pessoas trabalham melhor estreando um novo diário a cada seis meses.

Uma vez que o diário for escolhido, ele será o seu fiel companheiro. Nele, deve ser criado um registro anual, um registro mensal e registros diários, anotando tudo o que você tem a fazer todos os dias. Graças à simbologia característica do Bullet Journal, na frente de cada uma das tarefas, é possível adicionar um símbolo que identificará o tipo de tarefa em questão.

Existem, por exemplo, tarefas simples, eventos, notas, tarefas urgentes etc. É por meio dessa simbologia que o método Bullet Journal tem ganhado um número cada vez maior de adeptos por todo o mundo.

Além das listas de tarefas pendentes a serem feitas, o seu diário também pode ser usado para apontar outros tipos de listas sobre coisas mais específicas que deseja levar em consideração. Como “próximos filmes a assistir”, “livros a serem lidos” etc. A ideia é que todas essas informações sejam listadas no mesmo diário.

Mas como você pode organizar um Bullet Journal com tudo isso ao mesmo tempo? Graças ao índice, que deve sempre ser criado nas duas primeiras páginas do diário. Esse elemento é fundamental para conferir ordenação lógica às suas listagens.

Sistema analógico

A primeira coisa que você precisa é de um notebook. No site oficial do Bullet Journal você pode comprar alguns diários prontos, com páginas numeradas e espaço para o índice, mas eles também recomendam que você use os que mais gosta. Tudo dependerá de apreciar escrever neles e portá-los consigo.

O sistema é muito simples: basta escrever tarefas, eventos e notas, usando uma linha para cada item e distingui-los com um símbolo. No site, eles propõem um círculo para as tarefas, um quadrado para os eventos e um triângulo para as anotações. Se você precisar desenvolver alguma dessas tarefas (por exemplo, com a lista de compras), poderá fazê-lo na página ao lado.

Existem mais símbolos para complementar a informação. Por exemplo, uma tarefa concluída carrega um X em vez de um círculo. Você também pode indicar a prioridade (com um asterisco) ou a necessidade de encontrar mais informações (com o desenho de um olho). E você pode adicionar notas para eventos futuros e uma agenda mensal (dedicando uma página a cada mês).

Além disso, no canto superior do diário, você deve escrever o “assunto”: pode ser a data, “tarefas pendentes” ou “ideias de presentes“. É por isso que é necessário numerar as páginas: a fim de elaborar um índice com os tópicos nas primeiras páginas do diário.

Se você já usa listas e cadernos para se organizar, mudar para esse sistema não será complicado: é apenas uma forma de dar a eles uma estrutura mais racional e lógica.

Personalização

O sistema do Bullet Journal pode ser modificado de acordo com as preferências de cada um: alguns usuários adicionam páginas de metas mensais, aniversários ou listas de localidades que desejam visitar. Eles também mudam os símbolos ou seguem uma organização semanal, em vez de diária.

No Instagram e no Pinterest, é possível encontrar muitos exemplos de usuários que compartilham as páginas mais usadas em seus diários. O Reddit, por sua vez, tem um subfórum no qual os usuários expõem suas dúvidas, aconselham marcas e compartilham fotos de seus cadernos.

Ordem e flexibilidade

Se você ainda não sabe se o Bullet Journal funcionará para você, há três características que ajudam a descobrir se o método é o ideal para você ou não:

  • Ele é voltado para pessoas que gostam de escrever à mão;
  • É mais facilmente utilizado por pessoas bem organizadas;
  • A metodologia é mais flexível que a de uma agenda comum.

Uma das chaves do sucesso relaciona-se ao fato de que tomar nota das tarefas pendentes é uma maneira de “externalizar a memória”. Uma vez que escrevemos uma nota do que precisamos fazer ou lembrar, podemos focar nossa atenção em outra questão, em vez de dar voltas ao tema enquanto tentamos concluir outra atividade.

É claro que, ao incluir em sua lista uma tarefa pendente ou uma ideia, as maiores dificuldades residem em acessar as informações,. A solução Bullet Journal é o índice, que permite pesquisar por tópicos.

O sistema é uma reminiscência dos cadernos “comuns (commonplace)” descritos, por exemplo, em “De Onde Vêm as Boas Ideias” de Steven Johnson. Nesses diários, populares especialmente na Inglaterra dos séculos XVII e XVIII, foram reunidos compromissos e anotações, com a intenção de relê-los de tempos em tempos.

O filósofo John Locke projetou um sistema que, um século depois, seria comercializado seguindo suas instruções e que, supostamente, elaborasse um índice nas duas primeiras páginas do diário.

Ou seja, o método é flexível o suficiente para se adaptar às suas características e preferências, permitindo que você navegue pelas páginas e encontre anotações e ideias que não se lembrava de ter escrito, além das que estava inicialmente procurando.

/* ]]> */