Looks Moda

Candy colors: as “cores de doce” são tendência na moda

As candy colors são as cores do momento e se você não sabe o que é saiba que certamente já viu, usou, usa ou está prestes a usar, porque como afirmado são as cores em alta que estão dominando diversos setores, como arquitetura, moda, decoração, perfumaria, etc.

Mas o que são candy colors?

Deve ter percebido que a expressão origina-se do inglês. Numa tradução livre ao nosso idioma brazuca significa “cores doces”. Mas por que não usamos o termo em português para facilitar a vida da galera? Talvez seja pelo mesmo motivo que os lojistas de shopping usam 50% “off” em vez de 50% de “desconto”, os youtubers falam “live” em vez de “transmissão ao vivo” e os nerds usam “plot twist” no lugar de “reviravolta”, “virada de roteiro”, “ponto de inflexão”, enfim: pra dar aquela aparência sofisticada, passar a ideia de algo novo, moderno, o que há de mais recente na capital do mundo, escolher uma pronuncia comercialmente mais atrativa. Mas é isso: cores doces.

Ok. Mas o que é exatamente candy colors, essas cores doces, pois como é de conhecimento geral cores são intangíveis e por isso não têm gosto, qual o critério adotado para fazer tal classificação?

Pois bem, as candy colors são cores neutras, claras, em tons pastéis, muito ligadas aos primeiros anos da infância, pois normalmente objetos e guloseimas que rodeiam o universo dos infantos recebem tal espécie de coloração, como as paredes rosa ou azul bebê dos quartos de crianças, as pelúcias dadas de presente, o algodão doce, o vestidinho de princesa, a roupa de marinheiro etc. As candy colors também se associam ao romantismo, mas nesse caso a associação ocorre mais por símbolos imateriais do que por símbolos concretos, porque a juventude sempre está relacionada com uma visão mais utópica, intensa, sonhadora, otimista… romântica, do mundo.

Pegue esses dois universos familiares, infância e romantismo, coloque em um liquidificador, misture-os e o resultado será: candy colors, cores doces.



E por que virou moda?

Alguma vez já se deparou com o termo zeitgeist? Zeitgeist é um vocábulo alemão que significa “espírito da época”, “espírito do tempo”, uma espécie de termômetro sobre o panorama cultural, intelectual, político da contemporaneidade.

Os sociólogos, antropólogos, historiadores, psicanalistas, enfim a turma das humanas, ao fazerem uma análise sobre os tempos atuais, sobre a geração atual identificou um fenômeno comportamental na qual cunharam, na verdade resgataram um conceito psicológico oitentista, a denominação “Síndrome do Peter Pan”. Essa síndrome, ou complexo, se refere aos adultos, jovens ou não, que continuam a se comportar como crianças ou a cultivar hábitos, costumes característicos de fases imaturas, que têm dificuldade de se enxergar como adultos.

Esse comportamento infantilizado, essa negação de se assumir “gente grande” ou a vontade de subverter, supostamente modernizar, o conceito de adulto foi entendida como o que melhor reflete o zeitgeist de nossa época.

Não concorda? Vamos elencar alguns exemplos, basta analisar algumas condutas. Hoje vemos pais e mães disputando com os seus filhos e filhas o controle do videogame, a revista em quadrinho, o bonequinho de colecionador (quanto a esse último ficam irritados com a expressão bonequinhos, preferem “action figures”) e outros tantos exemplos. Levaram para a vida adulta, práticas que antigamente ficavam restritas a vida adolescente.

Isto não quer dizer que tais gostos aparentemente perpetuados devam ser taxados como “coisa de criança”, ou só por quem se comporta como uma mesmo barbado ou amamentando, pois é se fechar em pensamento raso, em querer determinar de forma matemática o que é ou não adulto no que se refere ao abstrato de determinadas expressões artísticas. Afinal esses meios de entretenimento também cresceram junto com o seu público, entenderam que podem lucrar com a turma mais velha tanto quanto as crianças e por isso passaram a desenvolver produtos mais complexos, profundos, violentos, que chegam a rivalizar com outras mídias tradicionalmente tratadas como “mais sérias”.

O que deve ser extraído da era da Síndrome do Peter Pan é apenas a constatação, o dado frio, que as novas gerações, independente do grau de maturidade que venham ou não a desenvolver, estendem para a vida adulta hábitos que antigamente encerravam-se até a conclusão da primeira facul.

Acresce que diferente do transtorno diagnosticado nos anos 1980, esse fenômeno comportamental não deriva de um trauma, mas de uma reação espontânea de negação a determinadas convenções sobre o que é ser adulto, o que é ou não “coisa de adulto”. Provável reflexo da chamada modernidade líquida.

Percebendo essa tendência, o mundo da moda resgatou, reciclou um modismo iniciado nos anos 1960, mas popularizado nos 1970, as candy colors. E, veja só, não é que os cérebros, os cabeçudos das humanas, fizeram uma análise correta? As candy colors viraram febre, se tornaram as queridinhas do mundo da moda.

Candy colors em roupas

Se ficou interessada em entrar de cabeça com seu vestuário na moda candy colors, preste atenção nessas dicas.

Tente usar cores que mais se aproximam com o seu tom de pele. Para as de pele clara, rosa, lilás ou coral. Para as de pele escura, as escolhas são praticamente livres.

A moda candy colors pode não ser uma boa ideia se achar que anda acima do peso, as cores claras podem revelar mais do que gostaria. Isso significa que as que estiverem acima do peso ideal devem ficar de fora desse look mais arejado, romântico? Não, é possível remediar esse entrave apostando em escolhas monocromáticas, uma cor só, pois causam o efeito de alongar a silhueta.

Outro macete é usar acessórios, como bolsas, sapatos, bijuterias, nas cores doces.

Candy colors na decoração

As candy colors são ótimos recursos para deixar o visual de sua casa, escritório, comércio, com um visual menos carregado, pesado, pois as cores suaves ajudam a refletir luz. Outro aspecto interessante é que as candy colors são muito fáceis de fazer combinações, podem ser usadas nas paredes, sofás, mesas de centro etc.

Uma dica é priorizar o branco, o excesso de cores talvez gere o efeito contrário, de carregar demais o ambiente, acumular excesso de informações e prejudicar na concentração.

Se deseja um ambiente arejado, esbanjando frescor: verde menta, amarelo e azul claro.

Se deseja um clima mais Romântico: rosa, lilás e laranja.

Considerações finais

As candy colors são cores doces, inspiradas na juventude prolongada das gerações atuais que caracteriza o espírito do tempo, e são tendência na moda, decoração, arquitetura, perfumaria, no mundo fashion em geral.

Gostou desse conteúdo? Curta, compartilhe, opine. Aproveite o espaço. Leias mais da sessão de moda da Tudo Ela. O seu apoio é muito importante para nós.

Videos do nosso Canal no Youtube

/* ]]> */