Casamento

Casamento evangélico: como funciona? Dicas e ideias aqui!

Embora seja uma celebração normalmente sem a mesma pompa do casamento católico, o casamento evangélico vem ganhando cada vez mais espaço no coração dos fiéis.

Trata-se de uma cerimônia mais rápida e muitas vezes menos luxuosa, mas não necessariamente mais barata.

O termo “evangélico” se refere a todas as igrejas cristãs não católicas – e são dezenas – então o tipo de cerimônia pode variar muito de uma igreja para outra.

Quando se diz que é uma celebração menos luxuosa e pomposa é porque essa foi uma das críticas de Martinho Lutero à igreja católica quando liderou a reforma protestante.

Segundo Lutero, não havia necessidade de ostentação nas celebrações – e em contrapartida, o lucro e a ambição financeira pessoal não são pecados como na igreja católica.

As religiões evangélicas não são religiões apegadas a ritos, acreditam que o Criador mantém um contato direto e íntimo com sua criatura.

Portanto, não estabelece um rigor de culto, deixando as igrejas num amplo espaço onde possam render cultos a Deus.

Apenas o batizado e a Santa Ceia são cerimônias essenciais devidamente ordenadas.

Lembrando que devido à quantidade de igrejas diferentes, esse texto se refere em linhas gerais a itens que elas costumam ter em comum, mas cada uma tem suas particularidades.

O que você precisa para ter um casamento evangélico?

Antes de mais nada, o principal pré-requisito para um casamento evangélico é pertencer à religião e frequentar a igreja.

É comum e aconselhado que os noivos sejam acompanhados pelo seu pastor desde o início do relacionamento, amadurecendo em conjunto a ideia do casamento evangélico.

Não esqueça de verificar certinho com a sua igreja o valor da taxa e o que está incluso nela.

A documentação também varia de igreja para igreja.

Algumas só realizam o casamento evangélico depois que o casal já se casou no civil. Outras aceitam fazer o casamento evangélico antes. E ainda existe a possibilidade de fazer o casamento evangélico com valor civil.

É possível um casamento entre um evangélico e alguém de outra religião?

As igrejas evangélicas não costumam recomendar o casamento evangélico entre pessoas de diferentes crenças, ainda que ambos sejam cristãos.

As divergências nas interpretações da bíblia entre católicos e evangélicos são inúmeras e imensas.

O casamento evangélico – assim como o católico – preza a educação dos filhos no caminho da salvação, mas este caminho é diferente para cada religião.

Assim, embora saiba-se que existem evangélicos que não são verdadeiros crentes e existem católicos que são salvos, as divergências do culto familiar podem ser fatores desencadeantes da falta de harmonia no lar.

O casamento evangélico entre um crente e um não cristão é algo completamente fora de cogitação.

A união entre um crente e um infiel não poderá nunca atingir a profundidade bíblica de “uma só carne”. Uma coisa é você aceitar conviver socialmente com algo contra seus princípios. Outra coisa é que você e essa pessoa se tornem uma só carne. Isso não é possível.

A vida conjugal entre pessoas de religiões divergentes é diferente da vida conjugal entre pessoas que torcem para times rivais ou pertencem a diferentes partidos políticos.

Para o casamento evangélico ser bem-sucedido ambos precisam ter o mesmo objetivo de condução de suas vidas – o que acabará resultando em um dos dois abrindo mão de suas convicções.

Ou, num caso ainda mais comum, deixam de seguir as religiões e passam a não tocar mais nesse assunto visando a paz no lar.

O que também não é uma boa opção para uma pessoa religiosa – ninguém deseja se afastar da sua fé.

Por isso é recomendado que o crente evite iniciar um namoro com alguém que não seja crente, para não sofrer mais tarde com a necessidade de uma separação.

Muitas vezes os casais são dominados pela paixão e ignoram os problemas advindos da diferença de crenças, mas cedo ou tarde eles virão, visto que podem até ser adiados, mas jamais impedidos.

Como é o casamento evangélico?

Geralmente o casamento evangélico é uma celebração extremamente íntima e pessoal, visto que o pastor costuma conhecer bem o casal.

Essa proximidade e intimidade com o pastor permite que o casal personalize bastante a cerimônia, tornando difícil assistir a duas cerimônias parecidas.

O que você verá em todo casamento evangélico é a troca de alianças e os votos.

Além disso, hinos e louvores também costumam estar sempre presentes.

O que esperar num casamento evangélico?

Os convidados devem chegar e se acomodar na igreja. Normalmente os pais dos noivos estão na entrada da igreja para recepciona-los.

Assim como em outras religiões, a cerimônia começa com o cortejo de pais e padrinhos.

O cortejo começa puxado pelo noivo, que entra acompanhado de sua mãe ou de alguém a sua escolha em caso de ausência dela.

Em seguida entram a mãe da noiva acompanhada do pai do noivo. Atrás deles vem os padrinhos. A fila é formada por um casal de padrinhos da noiva, um casal de padrinhos do noivo e assim sucessivamente.

No altar, padrinhos do noivo se posicionam ao lado dele e padrinhos da noiva se posicionam ao lado dela. Então entram possíveis pajens e daminhas, para abrir o caminho para a estrela da cerimônia.

Geralmente as noivas mantém a tradição herdada da igreja católica e usam vestido branco, véu e grinalda.

A noiva entra por último, acompanhada do pai ou de alguém a sua escolha no caso de ausência dele. Não é raro ver a noiva entrar cantando um hino ou louvor.

O pastor, então, inicia a celebração ritualística, acolhendo e dando boas vindas aos noivos, familiares e seus convidados. Esta celebração geralmente é muito emocionante e pessoal. Ela inclui também passagens bíblicas. Cantos, hinos e louvores não podem faltar.

A troca das alianças é o ponto alto da celebração. Neste momento, o pastor abençoa as alianças, explica a simbologia, importância e função delas na vida que o casal inicia.

O momento dos votos também pode surpreender os convidados pois geralmente os noivos escrevem coisas pessoais um para o outro. Em algumas celebrações os votos podem ser feitos através de passagens bíblicas.

Após a troca das alianças e dos votos, o pastor abençoa os noivos e autoriza o primeiro beijo do novo casal.

Na sequência, os noivos assinam a documentação e inicia-se a despedida pelo último casal de padrinhos que entrou na igreja.

Os casais de padrinhos cumprimentam os noivos e saem, seguidos pelos pais dos noivos.

Por fim, o novo casal sai da igreja sob os olhares e vibração de seus convidados. A noiva pode jogar o buquê ou optar por oferta-lo diretamente a alguma amiga especial.

Conclusão

Cabe ressaltar que mesmo a maioria das igrejas dificultando o casamento evangélico apenas por convenção social, algumas permitem, mas isso não significa que seja uma boa ideia!

Você deve se casar seguindo seu coração e sua fé.

Se sua intenção é apenas cumprir um dever social, repense e busque alternativas!

Último Vídeo do Nosso Canal


/* ]]> */