Chás Saúde

Camellia sinensis (chá-da-índia) e suas propriedades incríveis

O nome Camellia sinensis vem ganhando fama no Brasil e em especial na internet ao longo dos últimos anos, mas você sabe exatamente a que ele se refere? Pois bem, se a resposta foi não, saiba que se trata de uma planta, mais especificamente uma árvore originária das florestas ao nordeste da Índia e sul da China.

Até onde se sabe, ela pode atingir a altura de até 15 metros. No entanto, o mais comum é que devido a podas constantes ela seja mantida com no máximo 1,5 metros de altura. Nessa versão, a árvore normalmente não floresce.

Em relação à sua aparência, podemos dizer que ela possui folhas escuras, oblongas e lustrosas, tendo ainda nervuras destacadas na superfície. Não obstante, suas margens apresentam sinais dentados e quando novas exibem uma pequena camada de pelos esbranquiçados.

Por outro lado, as flores, quando aparecem, surgem sozinhas ou no máximo aos pares, sendo geralmente pequenas e de coloração esbranquiçada, exibindo um aroma bastante peculiar.

Seus frutos na maioria das vezes são pequenos e arredondados, possuindo algo entre 1 e 3 sementes, estas utilizadas na produção de uma espécie de óleo, apontado pela medicina popular como próprio ao consumo humano.

Agora na sequência você vai entender os motivos que estão levando a Camellia sinensis a se tornar tão popular e descobrir quais as propriedades que ela possui, bem como os benefícios que pode proporcionar ao organismo de acordo com a medicina alternativa.

Entendendo a Camellia sinensis

Quando falamos em Camellia sinensis, estamos nos referindo ao nome científico da planta em si. É importante esclarecer, no entanto, que tanto ela quanto seus derivados podem ser conhecidos também por outros nomes.

Você já ouviu falar, por exemplo, em chá branco e chá-da-Índia? E em chá verde, chá preto ou chá do Oolong? Pois saiba que todos esses chás são derivados da Camellia sinensis. Consumidos com frequência por muita gente que busca emagrecer, esses chás, embora derivados da mesma planta, possuem algumas diferenças substanciais, o que se deve a uma série de fatores.

Entre os mais comuns estão, por exemplo, o tipo de técnica utilizada no preparo (indiana ou chinesa), o tempo de oxidação das folhas ou até mesmo a parte da planta que é utilizada no preparo, ou seja, se é feito com as folhas, brotos ou flores.

Esclarecida essa parte, é hora de falarmos sobre as propriedades e benefícios mais comuns observados nos chás preparados a partir da planta.

Propriedades da Camellia sinensis

O chá verde, bem como alguns outros derivados da Camellia sinensis, possui uma série de propriedades necessárias à boa saúde. Dentre elas está, por exemplo, a antioxidante, anti-inflamatória, hipoglicemiante e até anti-tumoral e energizante.

Não obstante, ele ainda é conhecido por ser fonte de elementos como flavonoides, catequinas, sais minerais, vitaminas e até alcaloides, que podem ser utilizados no combate a diferentes tipos de problemas.

A lista de efeitos benéficos causados por esses tipos de chás inclui ainda os do tipo:

  • adstringente;
  • analgésico;
  • antiasmática;
  • antibacteriana;
  • digestiva;
  • diurética;
  • estimulante, dentre outros.

Para que serve a Camellia sinensis?

Conforme adiantamos inicialmente, muitos acreditam que o chá verde, bem como alguns outros derivados da Camellia sinensis, servem não só ao combate dos mencionados problemas relacionados à saúde, mas também ao emagrecimento.

A razão disso é que em tese ele possui antioxidantes, catequinas e polifenóis, sendo considerado, portanto, um composto alimentício funcional. Adicionalmente, ele pode ser útil, portanto, no combate à artrite, reumatismo e até colesterol, ajudando ainda no trato capilar e da pele.

A lista de benefícios que podem ser proporcionados inclui ainda:

  • Auxílio na digestão;
  • Redução do colesterol;
  • Dilatação dos brônquios;
  • Auxílio nos casos de gripe.

Modo de uso mais popular

Existem várias maneiras de utilizar os chás derivados da Camellia sinensis, no entanto, uma das mais comuns, como você pode ter percebido, está relacionada ao uso do chá verde.

Esse tipo de produto pode ser encontrado hoje até mesmo em farmácias e lojas de produtos naturais, seja em forma de chá propriamente dito, ou até em cápsulas, sendo nesse caso mais direcionado ao emagrecimento. As recomendações de uso normalmente estão descritos na embalagem.

O chá de Camellia sinensis faz mal?

Mesmo se tratando de um produto natural, é fato que sempre existem prós e contras no consumo de qualquer item com promessa medicamentosa. Até onde se sabe, por exemplo, pessoas que encontram dificuldade em dormir estão no grupo das que devem evitar a ingestão do chá verde e outros compostos de Camellia sinensis. O motivo é que o chá pode causar agitação e insônia.

Além disso, acredita-se que um malefício causado pelo chá de modo geral é que ele pode prejudicar a absorção do ferro e da Vitamina C no organismo, o que eventualmente pode contribuir com o surgimento de uma anemia. Não obstante, acredita-se que pessoas com problemas como gastrite ou refluxo também podem experimentar problemas no caso do consumo do chá.

E as contraindicações?

O chá e qualquer composto derivado da Camellia sinensis deve ter seu consumo evitado por mulheres grávidas e crianças. Existem fortes indícios de que o chá verde pode ser um abortivo, devendo, portanto, ser evitado em todo o período de gestação.

Também no grupo dos que não devem consumir o produto estão as pessoas com problemas estomacais, cardíacos ou renais, além dos que possuem hipertireoidismo.

Além disso, é importante destacar que, todo medicamento, ainda que de procedência natural, só deve ser ingerido mediante orientação médica.

Possíveis efeitos colaterais

Mesmo se tratando de um produto natural, o chá verde e outros derivados da Camellia sinensis podem causar uma série de efeitos colaterais. Dentre os mais comuns estão, por exemplo, a dor de estômago e a má digestão. Não obstante, acredita-se ainda que ele pode diminuir a capacidade de coagulação do sangue, devendo ser evitado antes de procedimentos cirúrgicos.

Vale destacar ainda que, se consumida de modo excessivo, a planta ainda pode causar perda de apetite e até causar prisão de ventre ou diarreia.

Sobre este conteúdo

Para efeito de esclarecimento, destacamos que este é um conteúdo meramente informativo e que deve ser tratado como tal. Este site e seus colaboradores não incentivam nem recomendam o uso de Camellia sinensis ou qualquer outro medicamento, natural ou não, sem a devida recomendação médica.

Veja também:

Sobre o autor

Giovanna Cóppola

Trabalha com web, design, criação, conteúdo, SEO e fotografia. Em 2011 criou a Pandartt e hoje assume a direção da agência, além de colocar a mão na massa em todos os projetos. Paralelamente, tem outros três projetos: Viva com Felicidade, BlogGeek e Mapa dos Bichos. Ama música, cinema, jogos, arte, tecnologia, tatuagens e pandas.