Chás Saúde

Chá de catuaba e suas principais propriedades e benefícios

O chá de catuaba vem crescendo bastante em popularidade nos últimos anos, e não sem motivo. Boa parte do sucesso que tem feito, especialmente entre os fãs da famosa medicina alternativa, por exemplo, está associada às suas propriedades medicinais.

Essas propriedades, amplamente difundidas tanto na internet quanto em veículos de comunicação massiva como a TV, podem em tese proporcionar uma série de benefícios.

Na sequência falaremos mais detalhadamente sobre cada um deles e também como o chá pode ser feito. Confira!

A catuaba e suas propriedades

Antes de qualquer outra coisa, é importante esclarecer que hoje em dia muitas plantas são conhecidas como catuaba. Apesar disso, entre as mais populares estão a raiz de Anemopaegma arvense (Bignoniaceae) e as cascas do caule de Trichilia catigua (Meliaceae).

Em relação a isso, vale destacar que esta última é uma árvore bastante conhecida e tradicional na Mata Atlântica, tendo origem comercial na Bahia. Entre os destaques de suas propriedades, está a função afrodisíaca, que também é atribuída a outras versões de catuaba, incluindo a Anemopaegma arvense.

É importante que se diga, porém, que este não é o único benefício que a famosa catuaba pode proporcionar. Nos próximos tópicos, falamos mais detalhadamente a respeito de cada um.

O chá de catuaba e a saúde sexual

Falando particularmente das cascas da Trichilia catigua, podemos dizer que seu poder em relação à atividade sexual dos homens é grande e cientificamente justificado.

De acordo com pesquisas realizadas em animais, por exemplo, as propriedades desse tipo de catuaba podem causar vasodilatação no corpo cavernoso do pênis.

Esse tipo de resultado é basicamente similar ao observado no contato com sildenafil, que é o princípio ativo do Viagra. Como se não bastasse, acredita-se que a planta também possa atuar de modo a reduzir a receptação de neurotransmissores, como serotonina e dopamina. Como resultado, há o efeito antidepressivo e estimulante físico.

A soma de todos os fatores, portanto, pode se traduzir em um excelente aliado de homens da terceira idade, especialmente aqueles que experimentam alguma disfunção erétil.

A ação antioxidante do chá de catuaba

De novo falando da Trichilia catigua, podemos dizer que ela também foi alvo de um estudo que sugeriu grande potencial antioxidante.

A pesquisa feita in vitro e até mesmo em animais, portanto, demonstrou que a planta tem caráter farmacológico e capacidade de prevenir problemas relacionados ao estresse oxidativo.

O chá de catuaba e seu efeito anti-inflamatório

Especialistas também acreditam que a catuaba pode ter grande poder anti-inflamatório.

O que ampara essa tese é o resultado de um experimento publicado há pouco mais de uma década. A publicação do estudo sugeriu que o extrato da planta pode ser considerado um anti-inflamatório natural.

A catuaba e a saúde mental

Aqui temos outra situação onde o chá de catuaba também já foi considerado útil. Nesse caso, a razão também está associada às propriedades antioxidantes da planta, mas aliadas ao seu poder anti-inflamatório.

Na prática, portanto, suas substâncias podem agir prevenindo o cérebro contra os danos da oxidação, protegendo por consequência contra eventuais perturbações.

Em um estudo realizado, por exemplo, pesquisadores verificaram uma grande capacidade da raiz para a promoção da acuidade mental. Além disso, observou-se uma grande melhoria na memória e bem-estar em geral.

Catuaba contra o mau humor

Além do estudo brasileiro, a medicina popular tem diversos motivos para defender a ideia de que o chá de catuaba ajuda contra o mau humor. Isso porque, até onde se sabe, suas propriedades também podem auxiliar nos distúrbios nervosos.

Como consequência disso, pode ser uma aliada do tratamento de quadros de depressão e ansiedade. É importante que se diga, porém, que por invocar sentimentos de curta duração, ela pode não ser utilizada com exclusividade em quadros muito severos.

Leia também:

Como fazer o chá de catuaba?

Apesar de todos os benefícios oferecidos, o chá de catuaba ou qualquer outro derivado da planta não é recomendado para consumo sem a prescrição de profissional da saúde. Todavia, ao longo dos anos, os defensores da medicina alternativa já divulgaram diversas receitas para o preparo da bebida.

Uma delas, por exemplo, consiste em separar algo em torno de 2000 mg de Trichilia catigua e colocar em fervura por 5 a 10 minutos. O resultado disso seria o chá, com a recomendação de ingestão por duas vezes ao dia.

Vale destacar aqui, no entanto, que mesmo nos casos em que há recomendação de especialista, o consumo das cascas de catuaba, seca ou em pó, jamais deve ultrapassar 4000 mg por dia.

Os cuidados no consumo da catuaba

Além de tudo o que foi dito no tópico anterior, é importante notar também que uma série de cuidados se faz necessário em relação à catuaba. Uma delas, por exemplo, é que o consumo de bebidas alcoólicas com a catuaba em sua composição devem ser evitadas se o objetivo é benefício à saúde.

O motivo é que esse tipo de bebida geralmente não possui quantidades suficientes da planta, apresentando ainda outras substâncias que podem ser prejudiciais. Essa é a mesma razão pela qual os flaconetes estimulantes também devem ser evitados.

Não obstante, é preciso notar que quem usa algum tipo de vasodilatador e pacientes com problemas cardíacos, hipertensos e até hemofílicos devem se privar do uso da planta, salvo em caso de recomendação médica.

Além disso, usuários de antidepressivos sintéticos e com presença de fluoxetina e derivados também não devem utilizar a catuaba.

Contraindicações da catuaba

Em relação às contraindicações claras do chá de catuaba, podemos dizer que existem pelo menos quatro grupos de pessoas que não devem ingeri-lo em hipótese alguma. São eles:

  • As gestantes e/ou lactantes;
  • As crianças com idade inferior a 12 anos;
  • Os hipertensos ou com problemas de arritmia cardíaca;
  • Os pacientes com glaucoma ou outra pré-excitação ventricular.

Riscos relacionados ao excesso

Apesar de não existirem estudos amplamente conclusivos nesse sentido, acredita-se que o excesso da catuaba também pode trazer uma série de riscos. Entre os casos já documentados, estão efeitos como a dilatação da pupila e elevação da pressão intra-ocular.

Além disso, os excessos também podem causar sintomas como aumento na frequência cardíaca e pressão arterial, ansiedade, tontura, dores de cabeça, insônia e até irritabilidade.

Último Vídeo do Nosso Canal


/* ]]> */