Doenças Saúde

Cortisol: quais seus efeitos no corpo?

O cortisol é um hormônio esteroide que regula uma enorme quantidade de processo do corpo. Em especial, destaca-se o metabolismo e a resposta imunológica. Também possui um desempenho importante na resposta do corpo ao estresse.

Conheça mais sobre o cortisol, seus efeitos no corpo e as consequências de seu desequilíbrio:

O que é o cortisol?

Trata-se de um hormônio esteroide feito no córtex das glândulas adrenais, e liberado para a corrente sanguínea. Através dela, o hormônio é distribuído pelo corpo. Quase todas as células do corpo possuem receptores para o hormônio – por isso, ele pode ter diversas ações diferentes, a depender do tipo de célula sobre o qual age.

Estes efeitos incluem o controle do açúcar no sangue e regulação do metabolismo, até ação anti-inflamatória, formação de memórias e desenvolvimento do feto humano. Em diversas espécies animais, o cortisol é, também, responsável por diversos processos reprodutivos.

Como o cortisol é controlado pelo corpo?

Os níveis de cortisol no sangue costumam variar muito. Via de regra, são altos durante a manhã, quando acordamos, e baixam durante o dia. Este processo é chamado de ritmo diurno.

Em pessoas que trabalham à noite, no entanto, o padrão hormonal é reverso. Por isso, o padrão de funcionamento do cortisol é intimamente ligado à rotina da pessoa. Adicionalmente, em situações de estresse, hormônio extra é liberado. Este processo auxilia o corpo a responder apropriadamente a situações onde reflexos específicos são necessários.



A secreção do cortisol é controlada principalmente por três regiões do corpo que comunicam-se: o hipotálamo, no cérebro, a glândula pituitária e o glândula adrenal. Por isso, este meio de comunicação chama-se eixo hipotálamo-pituitária-adrenal.

Quando os níveis do hormônio estão baixos no sangue, o grupo de células que forma o hipotálamo libera corticotropina. Isso faz com que a glândula pituitária libere outro hormônio, que – por sua vez – estimula as glândulas adrenais a produzirem cortisol. Assim, a concentração do componente no sangue.

À medida que o nível de cortisol aumenta, inicia-se um processo que busca evitar o excesso de sua concentração. Este equilíbrio é necessário para o bom funcionamento do corpo.

O que ocorre com excesso de cortisol no sangue?

5ae28d8f832a520d7961a5295d393ce3-640_427

O excesso do hormônio durante um longo período de tempo pode levar a uma condição chamada síndrome de Cushing. Isso pode ser causado por uma grande variedade de fatores, incluindo disfunções orgânicas ou ingestão de medicamentos.

Uma série de sintomas podem ocorrer a partir destes excessos. Entre os principais, estão:

  • Rápido aumento de peso, concentrando-se especialmente no rosto, no peito e no abdômen, contrastando com braços e pernas que não sofrem o efeito na mesma intensidade;
  • Rosto mais avermelhado e inchado;
  • Pressão sanguínea elevada;
  • Osteoporose;
  • Mudanças na pele (como machucados, esfolados e marcas);
  • Fraqueza muscular;
  • Mudanças de humor que resultam em ansiedade, depressão e irritabilidade;
  • Aumento da sede e das idas ao banheiro;
  • Altos níveis de cortisol por um longo período de tempo podem diminuir a libido e, nas mulheres, tornar a menstruação irregular, menos frequente ou efetivamente pausada;

Adicionalmente, há associações entre o aumento dos níveis de cortisol e de condições psiquiátricas, como ansiedade e depressão. No entanto, a real relação entre os fatores ainda não é plenamente compreendida pela medicina.

O que ocorre com níveis muito baixos de cortisol no sangue?

saudetontura

Pouco cortisol pode resultar de uma condição chamada de doença de Addison. Há diversas causas – todas raras – incluindo danos às glândulas adrenais por doenças auto-imunes. O aparecimento dos sintomas costuma ser gradual, podendo incluir fadiga, tontura, perda de peso, fraqueza muscular, mudanças no humor e o escurecimento de algumas áreas da pele.

No caso de desconfiança ou diagnóstico da doença de Addison ou síndrome de Cushing, é necessário recorrer urgentemente ao endocrinologista. Estas condições são melhores tratadas quando descobertas rapidamente.

Veja também:

Videos do nosso Canal no Youtube

/* ]]> */