Curiosidades

Folia e tradição: Confira 15 curiosidades sobre o Carnaval

Cores, alegria, fantasia e muita diversão! Quem resiste a uma folia de Carnaval, não é mesmo? Uma das festas mais populares no Brasil, que acontece entre os meses de fevereiro e março, a data também ficou conhecida em outros países por se tratar da maior manifestação cultural existente no planeta, que atrai a cada ano milhares de foliões dos quatro os cantos do mundo.

E, com tanta tradição, não é difícil imaginar que o Carnaval reserva várias curiosidades acerca da sua origem e história, concorda? Portanto, se você aí adora o clima carnavalesco e não vê a hora de sair às ruas para comemorar, que tal conhecer um pouco mais sobre essa festividade enquanto ela não chega?

Confira as 15 curiosidades sobre o Carnaval mais legais e interessantes que nós separamos para você nesse post!

1ª: Origem

Quadro representando as Saturnais, dos gregos.

Você sabia que o Carnaval, apesar de bastante popular no Brasil, não surgiu em terras brasileiras? Na verdade, a comemoração teve origem na Grécia, em meados de 600 a 520 a.C. É isso mesmo! Reza a lenda que os gregos deram início à festividade, a princípio, para realizar cultos em comemoração e agradecimento aos deuses pela boa produção e fertilidade do solo.

Outros estudiosos acreditam que a origem do Carnaval se deu através de uma festa na Roma Antiga, chamada “Saturnais”, que, como o nome já entrega, era realizada para homenagear o Deus Saturno. Durante a comemoração, as escolas ficavam fechadas, os escravos eram soltos e as pessoas saíam às ruas para dançar.

Também na ocasião, alguns carros chamados de “Carrum Navalis”, por serem semelhantes aos navios, levavam homens e mulheres nus em desfile. Daí, a expressão “Carnavale”.

2ª: Costumes

Cenas da festa conhecida como Entrudo, na obra de Debret.

Outra curiosidade interessante sobre o Carnaval é que a tradição de jogar água, farinha e frutas em outros foliões durante a festividade teve origem no conhecido “Entrudo”, um tipo de festa bastante comum que ocorria nas ruas de Portugal antigamente e que contava com a participação de jovens e crianças.

No dicionário português, o verbo “entrudar” quer dizer molhar com água, empoar de goma ou talcos. Por este motivo, no século XVII, os foliões se armavam de baldes e latas cheias de água e molhavam uns aos outros. Até Dom Pedro II se divertia jogando água nos nobres!

Porém, conforme o tempo foi passando, a brincadeira foi ficando mais agressiva. Os participantes começaram a jogar água suja, farinha e talco, além de atirar limões, laranjas e ovos em quem estivesse passando na rua.

Assim, logo surgiu uma lei proibindo o “Entrudo”, em 1854, quando um chefe de polícia do Rio de Janeiro determinou que a brincadeira tinha de “ser seca para não estragar as roupas mais custosas e cuidadas e, ainda, não provocar quaisquer desordens e confusão”. Foi assim que o tradicional “Entrudo a seco” se transformou no Carnaval que conhecemos hoje.

3ª: O nome

Você sabia que a palavra “Carnaval” vem da expressão em latim “Carnis Levale”, que em português quer dizer algo semelhante a “Retirar ou afastar-se da carne”? O significado está ligado ao jejum que deveria ser realizado durante a Quaresma, período em que os cristãos eram proibidos de comer carne, e, ainda, ao controle dos “prazeres mundanos”.

4ª: Oposição religiosa

Por esta razão, como era de se esperar, a Igreja Católica se opôs e enquadrou o Carnaval como uma festa pagã na Antiguidade. Porém, no ano de 590 a.C., a religião decidiu reconhecê-lo, mas com a exigência de que, no dia seguinte, ou seja, a Quarta-feira de Cinzas, fosse dedicado à expiação e arrependimento dos pecados.

Para quem não sabe, a Quarta-feira de Cinzas marca o início da Quaresma, período religioso no qual os cristãos fazem 40 dias de “abandono dos prazeres”. Ela tem esse nome devido ao costume que havia à época de marcar a testa dos fiéis com as cinzas de uma fogueira, em sinal de penitência.

5ª: Data comemorativa

A data em que comemoramos o Carnaval aqui no Brasil é definida de acordo com o período de Páscoa. A Quarta-Feira de Cinzas sempre cai 46 dias antes do domingo da festividade, que é a soma dos 40 dias que antecedem o Domingo de Ramos com os 6 dias da Semana Santa.

Mas você sabia que, no ano de 1892, o Ministério do Interior quis mudar a data do Carnaval para dia 26 de junho? A explicação do governo era a de que o clima era mais ameno durante o inverno, fato que geraria melhor aproveitamento e conforto aos foliões. É claro que não deu certo, mas o povo, festeiro que é, acabou comemorando o Carnaval duas vezes neste ano.

Outra curiosidade um tanto interessante é que o início da festa é conhecido como “Grito de Carnaval” aqui no Brasil.

6ª: No Rio de Janeiro

Muita gente não sabe, mas foi apenas em 1963 que o Carnaval carioca deu as caras ao mundo. Na ocasião, a agremiação do Salgueiro desfilou o enredo sobre “Chica da Silva”, o que deixou os quatro dias de folia conhecidos de forma definitiva no calendário turístico da “Cidade Maravilhosa”.

7ª: Livro dos Recordes

O tradicional Carnaval do Rio Janeiro está no “Guiness Book”, o famoso Livro dos Recordes, como a maior folia carnavalesca do planeta. Legal, né?

8ª: Em São Paulo

Apesar de grande e de atrair foliões do mundo inteiro, o desfile das escolas de samba de São Paulo adquiriu relevância ao passar a ser transmitido pela Rede Globo para todo o país, exceto no Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

9ª: Em Recife

Bloco “Galo da Madrugada”, no Recife.

O Livro dos Recordes também declarou, em 1995, o bloco “Galo da Madrugada”, da cidade do Recife, como o maior do Carnaval do mundo todo.

10ª: Blocos de rua

No Brasil, os tradicionais blocos carnavalescos surgiram na segunda metade do século XIX, compostos por pessoas fantasiadas, carros decorados e bandas musicais. O primeiro deles foi o chamado “Congresso das Sumidades Carnavalescas”, fundado em 1855 no Rio de Janeiro, por membros da elite urbana, dentre eles, o famoso escritor José de Alencar.

Na ocasião, os foliões se dirigiram até o Palácio São Cristóvão para pedir que a Família Real assistisse ao desfile. É claro que Dom Pedro II não resistiu ao convite, mas foi apenas no ano de 1989 que a polícia do Rio de Janeiro autorizou os desfiles de blocos de Carnaval pelas ruas da cidade, como acontece atualmente.

11ª: Escolas de Samba

Escola de Samba “Deixa Falar”, em 1920.

E de onde será que surgiram as escolas de samba?! De acordo com a história do Carnaval, as tradicionais escolas de samba surgiram por volta de 1928, quando o sambista e compositor Ismael Silva reuniu os principais artistas da categoria do bairro carioca Estácio em uma roda em frente à antiga Escola Normal. Daí, o nome “escola de samba”.

A primeira delas foi fundada oficialmente em 12 de agosto do mesmo ano, sendo batizada de “Deixa Falar”. Ela já continha entre as suas atrações o casal que empunhada a bandeira do grupo, conhecida como pavilhão.

O mestre-sala e a porta-bandeira também já existiam e faziam parte dos membros que ainda restavam dos antigos ranchos, grupos anteriores à escola de samba. A tradição de desfiles com escolas de samba só chegou a São Paulo em 1935.

12ª: A música

As primeiras marchinhas de Carnaval surgiram nos salões cariocas por volta de 1880, com o intuito animar a festa de forma alegre, irreverente e popular. Porém, foi apenas em 1890 que a saudosa Chiquinha Gonzaga compôs a música que se tornaria “hit” da festividade no mundo inteiro, a famosa “Ô Abre Alas”, que tenho certeza que você já ouviu bastante por aí.

A marchinha foi feita especificamente para o Cordão Rosas de Ouro, que desfilava pelas ruas do Rio de Janeiro durante a folia.

13ª: Bailes carnavalescos

Já o primeiro baile de Carnaval brasileiro foi realizado na cidade do Rio de Janeiro, em 1840.  O evento foi organizado por uma mulher italiana que pretendia reproduzir no Brasil uma das características do Carnaval veneziano.

14ª: “Folia”

Você sabia que a palavra “folia” tem origem na palavra francesa “folie”, que quer dizer “loucura” em português? Como assim? Calma, que eu te explico!

Desde o seu surgimento, o Carnaval foi mudando aos poucos de cara. Para você ter uma ideia, na Idade Média, a comemoração incluía sátiras aos poderosos. Os foliões se protegiam de possíveis retaliações com a desculpa de que a festa os deixava loucos. Daí, o motivo de a festa ter passado a ser chamada de folia atualmente.

15ª: “Micareta”

E você aí? Prefere uma micareta ao Carnaval tradicional? Então, também temos uma curiosidade interessante para você! Para quem não sabe, a famosa micareta é uma espécie de “Carnaval fora de época” aqui no Brasil, regada ao ritmo de axé music, bastante comum na Bahia.

O nome da festa tem origem na palavra francesa “mi-carême”, que significa “meio da Quaresma”. A partir daí, já dá pra imaginar a afronta à Igreja Católica à época, não é mesmo? Isso porque o evento acontecia, inicialmente, durante os 40 dias de penitência impostos pela tradição religiosa.

A primeira micareta brasileira ocorreu no começo do século XX, em Jacobina, uma cidade do interior da Bahia. Atualmente, é a festividade mais popular entre os baianos!

E sabe aquele abadá que todo micareteiro gosta de usar durante o Carnaval? Pois bem! Ele tem origem na cultura afro-brasileira. A peça era usada como vestimenta nas celebrações do candomblé. Com o passar do tempo, ela passou a compor também a roupa dos capoeiristas.

E aí? Qual dessas curiosidades você mais gostou de saber sobre o Carnaval? Conta pra gente nos comentários!

Até a próxima!

Último Vídeo do Nosso Canal


LISTA VIP!
Nossas Dicas no seu Email
Seja a primeira a saber das nossas últimas dicas. Coloque seu email abaixo e receba nossos posts:
Cadastrar!
Apenas 1 email por semana. Conteúdo Exclusivo!
close-link
/* ]]> */