Doenças Saúde

Dengue: sintomas, cuidados, causas e tratamentos

Dengue

A dengue é um assunto recorrente na área da saúde. A doença é considerada uns dos problemas mais dominantes para a saúde pública mundial.

A dengue é causada por um vírus e transmitida através do conhecido mosquito Aedes Aegypti. A doença febril é mais comum nas zonas tropicais e subtropicais onde o mosquito se desenvolve.

Vamos descobrir quais são os sintomas, causas, tratamento e prevenção dessa doença?

Sintomas da dengue

Antes de conhecermos os sintomas, temos que conhecer as variações da dengue. Ao contrário do que muitos acreditam, a dengue possui mais de uma variante. São elas: DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4.

Embora esses quatro tipos causem sintomas similares, uma segunda ou terceira ocorrência pode ser preocupante. O risco é potencializado na repetição dos episódios do vírus, transformando-se em uma variável de dengue mais grave.

Esses episódios críticos são conhecidos como síndrome do choque da dengue e dengue hemorrágica. Os sintomas dessas três variantes se apresentam como:



Dengue clássica

A dengue clássica é o quadro mais comum e recorrente. Seu início é súbito e sua manifestação é a mais suave da doença. O vírus se manifesta com dor atrás/no fundo dos olhos e perda do paladar e do apetite.

Deve-se ficar atento às manchas e erupções no corpo inteiro, acompanhadas de coceiras e moleza. Assim como náuseas e vômitos, as dores nas articulações e ossos são sintomas frequentes. Um dos sintomas mais alarmantes é a febre alta, de 39º a 40ºC,  de início repentino.

Os sintomas podem perdurar entre cinco a sete dias. O cuidado deve ser redobrado para que os sintomas de indisposição e dor muscular não sejam confundidos com gripe.

Dengue

Dengue hemorrágica

A dengue hemorrágica é mais usual entre as pessoas que estão sendo contaminadas com o vírus pela segunda ou terceira vez. Essa forma de dengue exige especial cuidado, pois seus sintomas podem ser confundidos com a dengue clássica. O equívoco se dá em razão dos indícios iniciais.

O sangramento dos vasos e órgãos demoram a se apresentar. Em geral, as hemorragias surgem após três ou quatro dias. Dentre os sintomas da dengue hemorrágica, estão listados queda da pressão arterial, dificuldade respiratória e confusão mental.

Sede em excesso, boca seca e pulso acelerado são também sintomas da dengue hemorrágica. Se você notar palidez, frieza e umidade na pele, fique atento. O comportamento dos infectados varia de sonolento a agitado.

Podem surgir dores intensas e contínuas no abdômen. Se for observado algum dos sintomas, recomenda-se uma visita médica imediata. A dengue hemorrágica, se não tratada rapidamente, pode ser mortal.

Síndrome do choque da dengue

A reincidência da dengue também pode desencadear o que é conhecido como síndrome do choque da dengue.

A síndrome de choque da dengue é o surgimento mais grave e complexo da dengue. Ele se caracteriza por hemorragia digestiva, derrame pleural e inexistência, lapso ou queda na pressão arterial. As diversas complicações cardiorrespiratórias e neurológicas vem acompanhadas da perda de consciência.

Exteriormente, a síndrome do choque da dengue se apresenta no aspecto pálido da pele e no comportamento inquieto. Se não tratada com emergência, a síndrome do choque da dengue pode levar o paciente à morte.

Causas da dengue

A dengue não é uma doença contagiosa, isto é, ela não é transmitida de uma pessoa para outra. Sua contaminação acontece através de um vírus. O vírus, por sua vez, é transmitido pelo mosquito.

O transcurso da transmissão do vírus da dengue começa quando a fêmea coloca seus ovos em reservatórios de água parada. Os ovos dão origem às larvas, que permanecem no recipiente pelo período de uma semana.

Nesse meio tempo, as larvas se modificam, transmutando-se em mosquitos adultos e aptos a se alimentarem de sangue humano.  A partir do momento em que a vítima é picada, a dengue pode a levar até quinze dias para se manifestar.

Contudo, o mais comum é que o indivíduo apresente sintomas após o período de uma semana. A dengue é mais costumeira no verão, pois sua transmissão não costuma ocorrer em temperaturas menores que 16°C.

O mosquito prospera em zonas tropicais e subtropicais, onde encontra a temperatura ideal para a transmissão, entre 30°C e 32°C.

Tratamentos da dengue

O tratamento para dengue é sintomático, isto é, dá-se por medicamentos que combatem os sintomas apresentados. A dica mais abrangente, no caso de contaminação de dengue, é manter-se hidratado. Medicações antitérmicas, como paracetamol, são receitadas em caso de febre e dores.

A aspirina, ou qualquer medicação que contenha acetilsalicílico, deve ser evitada sob suspeita de dengue. A cautela deve ser tomada em decorrência dos efeitos anticoagulantes causados pela aspirina e associados.

Esses efeitos devem ser evitados para que não ocorra risco de sangramentos. Piroxican, diclofenaco, ibuprofeno e outros anti-inflamatórios devem ser riscados da lista pelo menos fator de risco. O medicamento mais seguro para o tratamento da dengue é o dipirona e o já mencionado paracetamol.

A internação pode-se fazer necessária a depender da gravidade do quadro.

Dengue

Cuidados

A prevenção da dengue é o método mais eficiente para que não se faça necessário remediá-la. São diversos os cuidados que podemos tomar para evitar a criação de foco de mosquitos da dengue.

Hoje, durante a Era da Internet, isso se tornou ainda mais prático e acessível. Aplicativos para celular são desenvolvidos com a finalidade de instruir o cidadão sobre a prevenção da doença. Além disso, existem outras medidas que podem evitar a contaminação pelo mosquito. São elas:

Lembre-se de tomar a vacina

O método mais indicado para a prevenção da dengue é a vacina. Suas funções tratam de prevenir que o vírus se manifeste.

Atente-se à água parada

Evite a água acumulada em vasos ou pneus. Lembre-se de sempre virar as garrafas com o gargalo para baixo. Se seu jardim é predisposto à concentração de poças, realize drenagens periódicas no terreno.

Proteja janelas com telas

Outro modo de acabar com focos da doença e se proteger do mosquito é adicionando telas às janelas. As redes de proteção evitam que os mosquitos penetrem dentro da residência, formando novos focos.

Coloque areia nos vasos de plantas

Uma das dicas mais importantes é dedicar atenção especial aos vasos de flores. A água tende a se acumular nos pratos de plantas, tornando-se um vetor de dengue em potencial. Desse modo, a solução para evitar o criadouro é lavar o prato regularmente ou adicionar areia.

Considerações finais

Lembre-se das dicas! Agora que você sabe mais sobre a dengue, não tem desculpa para não tomar precauções!

Videos do nosso Canal no Youtube

/* ]]> */