Emagrecimento Nutrição

Dieta pegan (paleo + vegan): veja tudo aqui!

A dieta pegan é a tendência do momento, entre astros da televisão e celebridades de diversos segmentos, que querem emagrecer de uma maneira saudável. Combinação entre as já famosas, dietas paleo e vegan, esta nova proposta é vista como radical por alguns, mas também é aprovada por muitas pessoas que conseguiram bons resultados através deste método.

A dieta foi desenvolvida, e é apresentada pelo médico norte-americano Mark Hyman, no livro “Comida – Afinal de contas, o que devemos comer?” da editora Best Seller. O autor, que é especialista em nutrição, recomenda uma alimentação que além de evitar a obesidade também combata o desenvolvimento de doenças crônicas.

Sua dieta propõe o consumo de alimentos naturais, frescos e que contenham gorduras, proteínas e carboidratos que não ofereçam riscos para a saúde. Vamos conhecer as principais recomendações da dieta e saber também quais são os prós e contras de seguir esta forma inovadora (e ousada) de se alimentar.

Dieta pegan: principais características

A dieta pegan, é um misto de duas dietas muito populares atualmente: a Paleo (paleolítica) que recomenda apenas o consumo de alimentos que os nossos ancestrais das cavernas consumiam, ou seja, frutas, verduras, carne, óleos, sementes, ovos e peixes; a outra dieta é a Vegan, na qual o consumo deve se restringir a frutas, legumes e cereais e na qual é proibido o consumo de carne.

A principal determinação da dieta pegan é que a pessoa deve consumir apenas três grupos alimentares em suas refeições: vegetais, legumes e frutas. E assim como suas fontes inspiradoras a dieta pegan recomenda que se consuma alimentos naturais.

Princípios da dieta pegan

A dieta pegan possui alguns princípios que descrevem sua metodologia e orientam o comportamento de quem adota esta orientação alimentar:

Não consumir nenhum alimento de origem animal, é o primeiro mandamento da dieta;

Somente é permitido consumir três grupos alimentares: frutas, legumes e vegetais;

Diferentemente da dieta Paleo, os frutos do mar não são permitidos na dieta pegan;

Alimentos industrializados, glúten e carboidratos simples devem ser trocados por frutas, sementes, frutas secas e raízes;

Massas, pães e batatas também são proibidos para os seguidores da dieta pegan;

O consumo de frutas é parte essencial da dieta pegan, eles são importantes por oferecerem minerais, vitaminas e outros nutrientes fundamentais para o organismo;

Legumes e vegetais também são importantes nesta dieta em razão dos inúmeros benefícios que eles fornecem como fibras, minerais, proteínas e vitaminas;

Dieta pegan: principais benefícios

A dieta pegan é recomendada para quem quer perder peso ou complementar o trabalho de controle de doenças como o colesterol e a diabetes. Ela também é muito elogiada por que busca alimentar-se de maneira mais saudável e natural.

Pessoas que decidiram não se alimentar mais de produtos de origem animal também se beneficiam desta dieta. Para muitos, com o passar do tempo, a dieta deixa de ser uma orientação alimentar para tornar-se um estilo de vida.

Aprender a relacionar-se com a comida de uma maneira mais equilibrada e saudável é visto como o principal benefício da dieta pegan. A troca de açúcar, alimentos processados e gorduras saturadas por um consumo maior de frutas e vegetais é uma atitude muito recomendada por nutricionistas para melhorar a saúde.

Ajudar na sustentabilidade do planeta é outro elogio muito recebido pela dieta pegan. Ao recomendar que se evite o consumo de carnes e alimentos processados a dieta ajuda a difundir um comportamento que auxilia na diminuição de práticas nocivas ao planeta. A busca por alimentos que não contenham pesticidas também ajuda neste objetivo.

Dieta pegan: cuidados e desvantagens

Consumir apenas frutas, legumes e vegetais. A principal orientação da dieta pegan é o alvo das críticas de quem enxerga algumas desvantagens nesta orientação alimentar.

As inúmeras restrições que a dieta pode oferecer riscos à saúde, na medida em que o consumo apenas destes grupos alimentares pode levar o corpo a sentir a ausência de importantes nutrientes, como minerais, proteínas e vitaminas.

A dieta pode levar o organismo a sentir a ausência de nutrientes que estão presentes em laticínios, grãos e até de alguns tipos de gorduras. Esta carência nutricional também é percebida na restrição que a dieta faz quanto ao consumo de feijão.

A preferência que a dieta pegan dá para alguns tipos de frutas também é criticada por deixar de lado outros tipos de frutas que são mais nutritivas, mas que são rejeitadas pela dieta por apresentarem índices glicêmicos mais elevados.

Diante destas considerações, recomenda-se que antes de adotar a dieta pegan você busque a orientação de um nutricionista. Ele saberá avaliar os benefícios e desvantagens da dieta levando em consideração os seus hábitos e seu estado de saúde.

Dieta pegan: cardápio recomendado

Apesar de restringir o consumo de muitos alimentos a dieta pegan ainda permite escolher entre muitas opções nutritivas para o organismo. O cardápio deve ser baseado em alimentos in natura, preferencialmente, frutas, vegetais e legumes. Segundo a dieta pegan o prato ideal deve ser composto por 75% destes itens.

O consumo moderado de peixes de água fria é permitido na dieta pegan. Isto ocorre porque este alimento oferece nutrientes importantes para saúde como ômega 3. Gorduras saudáveis podem ser obtidos por meio do consumo de nozes, azeite e abacate.

Ao escolher frutas, vegetais e legumes opte sempre pela variedade e por criar pratos com muitas cores. Esta é uma orientação simples que ajuda na escolha deste tipo de alimento.

Logo pela manhã, recomenda-se o consumo diário de dois ovos que fornecerão ao organismo nutrientes importantes como vitaminas, minerais e gorduras saudáveis.

Outros tipos de alimentos devem ser escolhidos considerando a quantidade de açucares e conservantes presentes. Quanto menor for o índice glicêmico presente no alimento melhor ele será. Entres estes alimentos destacam-se itens como morango, maça, pepino, alface, brócolis, cogumelos, aipo, espinafre, repolho, etc.).

Grãos e cereais integrais como aveia, quinoa e arroz selvagem também podem ser consumidos, mas com moderação pois estes alimentos podem aumentar o índice glicêmico da refeição.

Segundo a dieta pegan, o consumo de leguminosas também deve ser feito com moderação. Estes alimentos apesar de oferecerem minerais, fibras e vitaminas, se consumidos em excesso podem causar problemas de digestão.

/* ]]> */