Doenças Saúde

Doença de Crohn: sintomas, complicações e tratamentos

Doença de Crohn

Uma doença que ataca o sistema digestivo e a pessoa começa por sentir fortes dores abdominais, que se seguem com diarreias, perda de peso, febre e chega ao enfraquecimento geral do organismo, exatamente porque a alimentação não é bem absorvida. Esta é a Doença de Crohn, ainda de origem desconhecida e sem um tratamento definitivo, pois sua cura é difícil e ela pode retornar, após tratada.

Ela costuma atacar a pessoa entre a terceira e a quarta década de vida – entre 20 e 40 anos –, mas, pode atingir o ser humano em qualquer fase de sua vida. Trata-se de enfermidade crônica inflamatória que pode atingir o sistema digestivo por inteiro.

De forma especial, entretanto, ele acomete o íleo terminal, que é o intestino delgado em sua parte inferior, e o cólon, no intestino grosso.

Por ser bastante invasivo, este processo inflamatório compromete toda a parede intestinal, em todas as suas camadas – submucosa, mucosa, a parte muscular e a serosa.

Ainda não existe uma causa definida para a origem da Doença de Crohn, mas, pesquisas indicam que a origem pode estar em desregulações do sistema imunológico central. Estas falhas no sistema de defesa do organismo é que facilitariam o início do processo inflamatório.

Começa com dores leves abdominais

Ela não escolhe sexo e pode se manifestar tanto em homens quanto nas mulheres. Devido às complicações que podem estar associadas a esta enfermidade, ela acaba constituindo-se em risco e pode evoluir para alguns tipos de câncer, especialmente o de intestino.



Para o médico, é difícil o seu diagnóstico, o que exige grande interação com o paciente para que os principais sintomas sejam devidamente transmitidos.

A doença, logo após instalada no organismo, começa provocando dores abdominais, normalmente na parte de baixo à direita do abdômen, junto com diarreias que podem vir acompanhadas de sangue e até muco junto às fezes.

É importante, portanto, o paciente fazer essas verificações no vaso quando for ao banheiro.

Doença de Crohn

Observações do paciente são importantes

Essas observações do paciente são importantes porque, em boa parte das vezes, a Doença de Crohn pode ser confundida com a colite ulcerativa. A diferença é que a colite ulcerativa fica impregnada apenas na mucosa, a camada mais superficial do cólon. Isso só será percebido, entretanto, após a realização de exames com imagens, de qualquer tipo.

Por isso as observações do paciente são importantes e precisam ser transmitidas ao médico com a maior exatidão possível. Inclusive porque a própria evolução da Doença de Crohn é bastante imprevisível, comportando-se de maneira diferente de um paciente para o outro.

Doença de Crohn avança em três estágios

Existem casos em que a pessoa não apresenta sintoma algum e, de repente, tem o primeiro surto da doença, normalmente as dores abdominais. Aí podem ocorrer situações diferenciadas em cada caso, pois não há uma progressão natural e igual em todos os casos. Isso dificulta o diagnóstico por parte do médico, podendo retardar, também, o início do tratamento, o que é péssimo.

Embora não exista essa evolução igual para todos os pacientes, é possível classificar a Doença de Crohn em pelo menos três fases:

  1. No início, de moderada a leve – Neste estágio, além da dor abdominal, a pessoa começa a ter diarreias com frequência. É possível manter boa parte de suas atividades normais, como movimentar-se. A febre não é muito alta e as dores ainda são relativamente fracas, mas a pessoa começa a perder peso;
  2. Estágio mais avançado – Possivelmente ocorreram falhas no tratamento durante a fase anterior, o que agravou a situação. Essas falhas podem ocorrer devido às dificuldades no diagnóstico. As dores passam a ser mais intensas, a febre também aumenta e há significativa perda de peso, devido à má alimentação e às obstruções no intestino. Começam as náuseas e vômitos e a anemia do organismo também torna-se grave;
  3. Fase de maior gravidade – É o pior estágio da doença e só chega-se nela devido a falhas no tratamento nos dois estágios anteriores. O estado do paciente torna-se grave, há aumento acentuado da febre e vômitos com mais insistência. Há fortes obstruções intestinais ou abcesso e tudo isso leva à grande perda de peso e anemia.

Doença de Crohn

Sintomas adjacentes que podem aparecer

O que tem intrigado os especialistas são sintomas adjacentes que aparecem durante todos os estágios da Doença de Crohn e que, aparentemente, nada têm a ver com os problemas digestivos. Estes sintomas adjacentes podem ser:

  • Aftas frequentes, que se assemelham a alguns ferimentos ulcerativos;
  • Artrite, de forma especial nas articulações inferiores, como nos joelhos e nos tornozelos. Estes lugares normalmente incham e ficam doloridos. Os medicamentos ajudam, mas, os sintomas tendem a desaparecer na medida em que a inflamação nos intestinos começa a ser controlada;
  • A febre também tende a desaparecer com o controle da inflamação nos intestinos, mas, o que tem chamado a atenção é que ela – a febre – aparece bem antes dos próprios sintomas da Doença de Crohn;
  • É possível que apareçam inflamações nos olhos e eles fiquem com vermelhidão e sensíveis à luz. É outro sintoma que aparece antes mesmo do agravamento da doença;
  • E também podem aparecer erupções na pele e até mesmo doenças dolorosas provocadas por fungos nas pernas. São feridas avermelhadas. Também tendem a melhorar na medida em que a inflamação intestinal é controlada.

A doença não costuma ser letal

Como já foi dito, não há um exame único e específico que possa diagnosticar se uma pessoa está ou não com a Doença de Crohn. É a partir dos sintomas relatados pelo paciente que o médico começa a chegar à conclusão, o que só poderá ser confirmado com os exames de imagem, desde endoscopia digestiva até ressonância magnética e tomografia computadorizada.

Como pode ser visto, o tratamento é complicado, já que o próprio diagnóstico da doença é difícil. Normalmente, o médico vai acompanhando o número de evacuações, as dores abdominais e a ocorrência de fístulas, entre outras informações, para ir determinando a medicação.

É um trabalho paciente, em que a colaboração da pessoa doente é fundamental. A Doença de Crohn não costuma ser letal e é comum o enfermo retornar às suas atividades normais depois da inflamação controlada.

Videos do nosso Canal no Youtube

/* ]]> */