Maternidade

Tudo sobre a gravidez: o que é episiotomia?

Existem vários procedimentos que podem ocorrer durante o parto normal, se informar sobre eles é indispensável para uma gestante que gosta de estar bem informada. Causadora de muita polêmica entre especialistas, a episiotomia auxilia no andamento do parto ou é utilizada de maneira rotineira sem a devida necessidade?

Neste artigo, você vai ler sobre o que é esse procedimento, quais as diferenças entre ele e a laceração, quais são os mitos mais difundidos sobre a episiotomia e muito mais!

Então, o que é a episiotomia?

A episiotomia é um corte realizado pelo obstetra durante o trabalho de parto, na região do períneo, que é a área muscular próxima ao canal vaginal, por onde o bebê passa.

O corte possui a função de auxiliar na dilatação, abrindo um corte para que o bebê passe mais facilmente no período expulsivo do trabalho de parto. Após o parto, é feita uma sutura no local, para fechar o corte feito pelo médico.

Há muita polêmica sobre esse procedimento, porque, segundo especialistas, ele geralmente é feito em todas as mulheres, como uma rotina, não havendo necessidade de fazê-lo em todos os casos.

Episiotomia ou laceração?

Segundo a Dra Melania Amorim, a episiotomia não é necessária na maioria dos partos naturais. Ela afirma que faz 13 anos que não utiliza a episiotomia e que em 60% dos casos não há nenhum tipo de lesão no períneo das mulheres atendidas por ela.

A laceração é uma lesão que pode acontecer naturalmente na área de períneo em algumas mulheres durante o trabalho de parto, quando não é aplicada a episiotomia. Segundo os defensores da episiotomia como procedimento de rotina, ela tem a função de prevenir lacerações graves, que são lesões que podem causar problemas na musculatura da mulher para o resto da vida.



Ainda segundo a Dra Melania, as lacerações que podem ocorrer são muito menores do que o corte que a episiotomia acaba proporcionando nas pacientes. E inclusive, na grande maioria dos casos não é preciso sequer dar pontos na laceração. Ela apresentou um estudo no qual mais de 450 partos foram feitos sem episiotomia e em pouquíssimos casos houveram lacerações graves.

A Bela Gil, culinarista e apresentadora de TV relatou em seu canal no YouTube que sofreu a episiotomia sem seu consentimento e que isso arruinou sua vida sexual por um ano. No mesmo vídeo ela ainda cita outros procedimentos que geralmente são feitos de maneira rotineira e que nem sempre são necessários, causando sofrimento maior ainda para a mulher num momento tão delicado que é o trabalho de parto.

Devo fazer a episiotomia?

Essa é uma decisão que deve ser tomada durante o trabalho de parto, caso o médico veja necessidade do procedimento. Mas ainda assim, é muito importante que a gestante participe da decisão.

Para isso, é preciso se informar sobre o assunto e garantir que seu parto seja o mais confortável possível para você e o seu bebê.

Neste vídeo, o Dr. Carlos Czeresnia fala sobre o tema. Segundo ele, a episiotomia não deveria ser um procedimento de rotina e para saber se é necessário ou não, é preciso avaliar:

  • a elasticidade do períneo: a capacidade do músculo de se contrair e relaxar, para que seja possível passar o bebê;
  • se a paciente tomou ou não anestesia: porque, caso ela não tenha tomado, a incisão pode ser muito dolorosa;
  • o tamanho e a posição da cabeça do neném: dependendo de como a cabeça está posicionada, é necessário um auxílio para a saída;

Há alguma maneira de prevenir a episiotomia?

Como é um assunto polêmico, não há consenso entre os profissionais sobre isso, mas existem alguns exercícios que a gestante pode fazer para fortalecer o períneo:

Exercício de Kegel:

Esse exercício pode ser praticado por gestantes ou por mulheres que não estão grávidas, mas desejam aumentar o prazer nas relações sexuais. Além dessa vantagem incrível, ele também auxilia no combate à incontinência urinária, que é uma dificuldade que algumas pessoas têm para segurar a urina.

Uso de Epi-no:

O Epi-no possui esse nome justamente por conta da episiotomia e é uma abreviação da frase “Episiotomia Não”. Ele é um aparelho com um pequeno balão de silicone, conectado a um medidor de pressão através de um tubo, com uma bomba manual. Existe uma série de exercícios para treinar o períneo para a passagem da cabeça do bebê com esse aparelho.

 

Como é a recuperação da episiotomia?

Como qualquer grande incisão que necessita de pontos, a episiotomia exige cuidados no pós-parto para evitar infecções e outras complicações.

Para a recuperação é necessário higienizar a região sempre que possível, após utilizar o banheiro e sempre lavar as mãos antes de tocar a região. Além desses cuidados, deve-se evitar fazer qualquer esforço, pois os pontos podem romper.

 

Como você pôde perceber, a episiotomia é um assunto delicado, principalmente porque diz respeito ao corpo da mulher e sua integridade. Procure relatos de mulheres que passaram por esse procedimento e converse com seu médico.

Quer saber mais sobre como funciona o trabalho de parto? Este artigo traz informações essenciais sobre o assunto.

 

Videos do nosso Canal no Youtube

Sobre o autor

Mariana Mendes

/* ]]> */