Doenças

Escabiose: causas, sintomas e tratamentos

A escabiose (ou sarna) é uma doença altamente contagiosa, causada por uma reação imunológica de hipersensibilidade. Essa hipersensibilidade se dá pela infestação na pele do ácaro Sarcoptes scabiei var. hominis. Ele produz uma intensa coceira como o resultado mais marcante.

Este ácaro é um parasita obrigatório do ser humano, sendo também diferente de outros ácaros que produzem escabiose em animais. Animais de estimação, como cães e gatos, sofrem da doença semelhante a da raça humana. Às vezes, pode ser transmitida para as pessoas, especialmente quando animais infestados são acariciados.

A escabiose é mais comumente disseminada em ocasiões de contato – íntimo ou não – ou com o compartilhamento de objetos de uso pessoal. A transmissão por material contaminado é um mecanismo importante. Deve ser verificada com atenção tanto em residências como em locais de uso ou atividades coletivas, uma vez que a higiene individual nesse caso é imprescindível.

Os ácaros são identificados em poeira doméstica, solo, móveis e roupas de cama. Nesses locais eles podem sobreviver por mais de 10 dias. Sendo assim, não pode ser descartada a transmissão dessas fontes.

Como a escabiose se espalha?

O ácaro é transmitido por contato direto com a pele de outra pessoa infectada, geralmente exigindo contato prolongado entre ambos. O paciente recém-infectado geralmente hospeda uma média de 5 a 10 ácaros, embora, em alguns casos, esse número possa chegar a centenas de parasitas.

O agente responsável pela doença completa seu ciclo de vida inteiramente em humanos. A infestação começa quando uma fêmea fertilizada entra em contato com a pele.

Depois de uma hora, a fêmea cava um túnel na espessura do estrato córneo, o chamado sulco. As fêmeas do ácaro colocam 10 a 25 ovos ao longo de seu ciclo de vida, que se acumulam no sulco junto com os excrementos do parasita (escíbalos). Estes são irritantes e são parcialmente responsáveis ​​pela produção de coceira. Em 3 ou 4 dias, os ovos eclodem, perfuram o estrato córneo e as larvas terminam seu processo de maturação na superfície da pele nas próximas duas semanas. O ciclo de vida do parasita dura de 30 a 60 dias.



Inicialmente, a invasão é limitada a um número de ácaros que raramente excedem 15 a 20 parasitas, sendo a comichão muito limitada e não muito intensa. Conforme a infestação progride, o mesmo acontece com a coceira, que pode se tornar insuportável. Após a infecção, os sintomas levam várias semanas até se desenvolverem completamente.

A escabiose geralmente está localizada nas mãos, dedos e pulsos. Também é comum que ela afete as superfícies de flexão dos cotovelos, axilas e tornozelos, bem como a dobra submamária, nádegas e genitália masculina.

Se o paciente sofre de um distúrbio imunológico ou tem suas defesas diminuídas (idade avançada, bebês, certos medicamentos, infecção por HIV), a doença afeta de forma mais geral, aparecendo em lugares diferentes do usual e com um caráter mais difuso. Pode afetar praticamente qualquer local da pele, incluindo o tórax, a cabeça, as palmas das mãos e solas dos pés.

Quais são os sintomas da escabiose?

O principal sintoma é a coceira intensa, que piora durante a noite, embora em alguns casos raros os pacientes não apresentem nenhum sintoma.

A doença se desenvolve pouco a pouco. O indivíduo percebe uma coceira discreta, que usualmente é a uma picada de inseto. Esta deixa a pele seca ou irritada. Coçar destrói parte dos sulcos, produzindo um alívio momentâneo. A coceira pode diminuir durante o dia para piorar quando o infectado se deitar.

De fato, coçar serve para proporcionar alívio imediato, no entanto, acaba espalhando os ácaros para outras áreas do corpo. Depois de algumas semanas, a infestação torna-se cada vez mais intensa e pior tolerada.

Uma vez infectada, a pessoa leva entre três e seis semanas para ter sintomas, que aparecem quando ela desenvolve uma resposta imune ao ácaro e seus excrementos. Em contraste, a reinfecção dá origem a uma resposta na forma de sintomas dentro de 24 horas, uma vez que ela já havia desenvolvido essas defesas.

A lesão mais característica da escabiose é o sulco, formado por túneis na pele em que o parasita vive. Estes sulcos são geralmente áreas elevadas, geralmente finas e curvas, medindo de 1 a 10 mm de comprimento. Além destas lesões podem também ocorrer:

  • Pápulas (áreas engrossadas);
  • Bolhas;
  • Áreas de eczema;
  • Formação de nódulos (inchaços);
  • Infecções.

Em pacientes com escabiose crostosa, as lesões são semelhantes às da psoríase ou verruga e podem ser acompanhadas por hiperqueratose (lesões nas unhas). Ocasionalmente, a doença é acompanhada por um aumento de leucócitos eosinofílicos no sangue, inflamação dos gânglios linfáticos, vasculite (inflamação nos vasos sanguíneos) e glomerulonefrite (inflamação do rim).

Como a escabiose é tratada?

É aconselhável tratar todas as pessoas com um relacionamento próximo com infectados. Roupas de cama, toalhas e objetos pessoais devem ser lavadas em água morna ou quente.

Aqueles objetos que não podem molhar, devem ser mantidos fora de contato com qualquer pessoa por um período mínimo de 3 dias. Esse é o tempo que leva a maioria dos ácaros a morrer fora de seu hospedeiro natural:: o ser humano.

Permetrina

Este medicamento é a primeira escolha para tratar adultos e crianças. Uma aplicação tópica única de permetrina produz a cura de quase 98% dos casos comuns de escabiose. Nenhum outro antiparasitário atinge eficácia semelhante ou superior. Embora a taxa de cura seja muito alta, atualmente é considerado aconselhável aplicar a medicação novamente uma semana após a primeira aplicação.

Lindano

Este é um composto similar, embora não idêntico ao lindano usado como pesticida para usos agrícolas. É comercializado sob a forma de creme, xampu e loção a 1%. Aplica-se de maneira semelhante à permetrina. Aproximadamente 10% da dose administrada é absorvida pela pele. Mais do que isso pode se tornar tóxica.

O Lindane pode ter uma eficácia comparável à da ivermectina se for administrada em duas doses separadas por um intervalo de duas semanas, embora essa substância seja menos tóxica.

Como o produto se acumula no fígado e se liga aos tecidos do cérebro, é importante não administrar mais lotes do que o recomendado.

Ivermectina

A ivermectina, outra substância antiparasitária, produz uma taxa de cura após uma única aplicação de 70%, longe da taxa de cura da permetrina. Para atingir um nível altamente eficaz, duas aplicações separadas são necessárias por duas semanas.

A ivermectina oral é uma alternativa ao tratamento local. Duas doses de 12 mg são administradas com uma semana de intervalo. Embora não seja um tratamento disponível em todos os países, pode ser uma opção em formas graves de escabiose, isoladamente ou associada à permetrina.

Enxofre

Esta substância constitui há mais de um século e meio o tratamento clássico da escabiose, aplicando-a de 5 a 10% em todo o corpo por três ou quatro dias. Embora o enxofre seja eficaz na resolução do problema, os pacientes o aceitam mal devido ao odor desagradável, manchas e secura.

Crotamiton

A aplicação padrão consiste em duas doses em dias consecutivos, deixando a droga in situ por 24 horas.

Às vezes, embora o tratamento tenha entrado em vigor, o paciente pode piorar desenvolvendo uma dermatite de contato com a droga ou, mais raramente, a sensibilidade cruzada com outros parasitas domésticos.

Nesse sentido, é imprescindível que se faça o acompanhamento médico rigorosamente.

Videos do nosso Canal no Youtube

Sobre o autor

Redação Tudo Ela

Site focado em publicar conteúdo atual e interessante sobre o universo feminino. Fazemos curadoria e pesquisamos dicas úteis para o dia-a-dia da mulher moderna. Saiba mais sobre nós.

/* ]]> */